O Dortmund de Tuchel

No início da temporada, os torcedores aurinegros temiam e muito pela saída do técnico Jurgen Klopp, que desde 2008, comandou a equipe do Borussia Dortmund, onde foi duas vezes campeão alemão, uma vez campeão da copa da Alemanha e duas vezes da Supercopa da Alemanha, além disso, por pouco não conquistou a UEFA Champions League em 2013 quando perdeu na final para o rival Bayern. Como toda história tem um fim, Klopp foi respirar novos ares no Liverpool e Thomas Tuchel, foi contratado junto ao Mainz 05, traçando a mesma trajetória de Klopp (que também iniciou a carreira no Mainz 05), com a expectativa de levar o Borussia novamente a lutar pela Bundesliga e consequentemente classificar-se para a Champions League.
Devido a má performance na temporada passada, o Borussia Dortmund (7º colocado) conseguiu apenas a participação na Liga Europa, ficando fora da principal competição europeia de clubes, a UEFA Champions League, fato esse, que fez com que a equipe diminuísse e muito o orçamento para a atual temporada, mais um problema para o novo treinador Thomas Tuchel, que sem dinheiro, teria que treinar a equipe que ali estava, contando apenas com a chegada no meio campista Gonzalo Castro, do goleiro suíço Burki e do jovem volante da seleção alemã sub-20 Julian Weigl, vindo do pequeno 1860 Munich.
Dado o start da temporada, o Borussia Dortmund, demonstrou toda a sua força, fazendo uma campanha absolutamente incrível, na Bundesliga (campeonato alemão)  até então não perdeu nenhuma partida dentro do Signal-Iduna Park (seu estádio). Em 25 partidas até aqui na liga, perdeu apenas três jogos, tem 58 pontos e ocupa o segundo lugar, com cinco pontos a menos que o Bayern. Na Liga Europa, o time deu show novamente, ontem bateu o Tottenham por 3 a 0, e praticamente garantiu o acesso as quartas de final da
competição, já que agora os ingleses precisarão goleá-los no jogo de volta em Londres.
Todo esse sucesso devido ao esquema de Tuchel, que aboliu o 4-2-3-1 de Klopp, para implantar o  4-1-4-1, com uma marcação adiantada, apertando a saída de bola do adversário, um jogo que não valoriza a posse de bola, deixa o adversário jogar, priorizando um estilo de jogo mais direto. Outra virtude de Thomas Tuchel foi “descobrir” o talento de Erik Durm, que tem atuado em diferentes posições, com Klopp, o jogador se limitava a atuar de lateral esquerdo, aparecendo sempre para substituir Schmelzer, hora contundido, hora na seleção alemã. Hoje Erik Durm, além de lateral esquerdo, atua de lateral direito, atua de ponta aberto pela esquerda, direita e até no meio campo, virou um coringa na equipe do Borussia, sempre com ótimas atuações. Outro jogador que vem se destacando ainda mais sob o comando de Tuchel, e na minha opinião dificilmente ficará na equipe alemã, é Pierre-Emerick Aubameyang, o gabonês, faz sua terceira temporada no Dortmund, tem 22 gols na Bundesliga e briga pela artilharia da competição com Robert Lewandowski que tem um gol a mais.
Com a temporada chegando quase na reta final, os torcedores aurinegros que tem a maior média de público por jogo do mundo (81.076 pessoas por jogo de média),  tem motivos de sobra pra sonhar até o final, e quem sabe levantar algum troféu, seja ele da Bundesliga, da DFB Pokal (copa da Alemanha) ou quem sabe da Liga Europa, desejos nada improváveis para eles e para Tuchel!

Deixar um comentário

Menu