Sonhando alto

A torcida do Olympique Marseille está ansiosamente contando os segundos para o inicio da temporada 2017/18 do futebol europeu, ao contrário dos anos anteriores, aonde a perspectiva em relação ao time, era péssima. Mas isso tudo tem uma explicação, os altos investimentos feitos pelo novo dono do clube, o norte-americano Frank McCourt, que logo em sua chegada já havia mostrado seu cartão de visitas, trazendo ao OM (apelido do Olympique Marseille) o meia Dimitri Payet e o lateral-esquerdo Patrice Evra, vem novamente arrebentando a boca do balão, tudo vislumbrando o sucesso dos marselheses.
O momento vivido pelo Olympique Marseille até antes da venda do clube para o empresário norte-americano Frank McCourt, definitivamente não era bom. Uma prova disso, é que o último titulo conquistado pelo conjunto marselhês foi o tricampeonato da Copa da Liga Francesa (2009/10, 2010/11 e 2011/12), mesmo período que o time ergueu as taças de campeão francês (2009/10) e o de bicampeão da Supercopa da França (2010 e 2011). De lá para cá, o OM parou no tempo, não venceu mais nada, fato que preocupou demasiadamente a apaixonada torcida da equipe. Acontece, que em outubro de 2016, Frank McCourt apareceu em cena, comprou o Olympique Marseille e logo de cara garantiu o 5º lugar na edição passada da Ligue 1 (campeonato francês), atrás apenas do campeão Monaco, e dos fortes concorrentes PSG, Nice e Lyon, respectivamente.

Além de ser dono do Olympique Marseille, Frank McCourt é também proprietário do Los Angeles Dodgers (equipe de beisebol norte-americana).
Além de ser dono do Olympique Marseille, Frank McCourt é também proprietário do Los Angeles Dodgers (equipe de beisebol dos EUA).

A janela de transferências de janeiro, é sempre menos movimentada, afinal, ela é usada somente para que os clubes reforcem seus plantéis quando acontecem contusões ou então devido a alguma saída inesperada de algum atleta. Mas como Frank McCourt comprou o Olympique Marseille em outubro de 2016, a primeira janela utilizada por ele, foi justamente a de janeiro (2017), e para a alegria dos torcedores marselheses, o empresário investiu pesado, trazendo do West Ham, o meia Dimitri Payet, e da Juventus, o experiente lateral-esquerdo Patrice Evra. Como já era esperado, o OM vem atuando fortemente nessa janela de meio de ano, tudo sob o olhar criterioso do treinador Rudi Garcia, e com o time que está sendo montado, não seria nenhuma injustiça afirmar que a equipe localizada na Costa do Mar Mediterrâneo, será uma das grandes favoritas na briga pelo título da Ligue 1, juntamente com os rivais PSG, Monaco, Nice, Lille e Lyon. A intenção do presidente Jacques-Henri Eyraud além de resgatar o prestígio do Olympique Marseille, é recolocá-lo novamente no hall dos clubes mais poderosos do Velho Continente, uma tarefa que há um ano atrás era sem sombra de dúvidas, impossível de se imaginar.

O Olympique Marseille repatriou o meia Dimitri Payet, pelo montante de 30 milhões de euros. Foi o primeiro presente de Frank McCourt ao time marselhês.
Na temporada passada, o Olympique Marseille repatriou o meia Dimitri Payet, pelo montante de 30 milhões de euros. Foi o primeiro presente de Frank McCourt ao time marselhês.

Com dinheiro disponível em caixa, o treinador Rudi Garcia enviou à diretoria uma extensa lista de reforços, que aos poucos foram sendo apresentados. O Olympique Marseille iniciou suas contratações, trazendo o zagueiro francês Adil Rami, ex-Sevilla, por 6 milhões de euros. Em seguida, foi a vez do jovem atacante camaronês Clinton N’Jie, ser comprado junto ao Tottenham, por 7 milhões de euros. Até aí tudo tranquilo, porém foi apenas o presidente anunciar a chegada de três novos jogadores, para que os torcedores marselheses fossem literalmente ao êxtase. A começar pelo volante brasileiro Luiz Gustavo, que deixou o Wolfsburg pela bagatela de 10 milhões de euros. Depois veio a confirmação da compra em definitivo do meia Florian Thauvin pela quantia de 11 milhões de euros, ele que passou a temporada anterior emprestado ao OM. Por último, para resolver de vez o problema do setor ofensivo do time, o Olympique Marseille desembolsou 8 milhões de euros para tirar do atual campeão francês, Monaco, o atacante Valère Germain. O fechamento da janela de verão europeia, ocorre somente no dia 31 de agosto, portanto, fica bastante nítido que novos jogadores se juntarão ao conjunto marselhês, que até aqui já investiu o total de 42 milhões de euros em compra de atletas.

blog
O Olympique Marseille oficializou a compra de Luiz Gustavo, que já vestiu a camisa da seleção brasileira em 41 oportunidades, por 10 milhões de euros. O contrato do volante tem 4 anos de validade, enquanto seu salário será de 750 mil euros por mês.

Rumores dão conta de que um nome de impacto será anunciado pelo Olympique Marseille, que até agora apresentou contratações consideradas normais. Apesar das tentativas de manter em sigilo esse “nome impactante”, a informação acabou vazando, e a imprensa logo tratou de anunciar que Olivier Giroud é o grande sonho de consumo de Rudi Garcia. O atacante da seleção francesa, atualmente defende as cores do Arsenal, e segundo o jornal francês L’Equipe, é desejado também pelo Lyon que perdeu seu principal homem de frente, Alexandre Lacazette, curiosamente negociado com o Arsenal. A intenção de Giroud seria permanecer na Inglaterra, porém com o crescimento da Ligue 1 nos últimos anos, ele não descartaria voltar ao seu país de origem, que além de estar importando diversas estrelas do futebol mundial como por exemplo Daniel Alves, Mario Balotelli, Dimitri Payet, Ángel Di María, Falcão García, entre outros, conta também com excelentes treinadores, como é o caso de Marcelo Bielsa, Unai Emery, Leonardo Jardim, Bruno Génésio e do próprio Rudi Garcia. Mesmo com o forte interesse do Lyon, a diretoria do Olympique Marseille segue bastante otimista com um desfecho feliz nessa negociação, que seria concretizada por 28 milhões de euros, um valor extremamente alto para um atleta de quase 31 anos de idade, e que ao que tudo indica, faria seu último contrato na carreira. A notícia de que os marselheses também estariam de olho em Yohan Cabaye, do Crystal Palace, não me surpreende já que na janela anterior o clube gastou 30 milhões de euros para tirar Dimitri Payet do West Ham, e para quem não sabe, o meia francês assim como Cabaye, tem mais de 30 anos de idade, portanto, jamais poderíamos descartar estes nomes no novo Olympique Marseille.

 

 

 

 

Deixar um comentário

Menu