O maior clube de bairro do mundo

Uma façanha histórica, assim podemos definir a classificação do Lanús para a final da Copa Libertadores da América 2017. Digo isso porque depois do Granate sofrer um revés no jogo de ida para o River Plate por 1 a 0 no estádio Monumental de Núñez, e sair perdendo o jogo de volta no estádio Ciudad de Lanús (La Fortaleza) por 2 a 0, os comandados de Jorge Almiron conseguiram uma virada épica, e bateram os Millonarios de maneira surpreendente por 4 a 2, vencendo por 4 a 3 no placar agregado. Por isso, a noite do dia 31/10/2017, ficará para sempre marcado na história do Lanús, que disputará a primeira final de Libertadores ao longo da trajetória.
Club Atlético Lanús, clube argentino, fundado no ano de 1915 (102 anos), situado na província de Buenos Aires, no município de Lanús. Apesar de ser uma equipe centenária, as conquistas do Lanús são poucas, pois o Granate ergueu somente o troféu da Copa Conmebol 1996, a Copa Sul-Americana 2013, dois títulos do Campeonato Argentino (2007 e 2016) e a Supercopa da Argentina 2016. Até por esta razão, a torcida do Lanús é bastante pequena, sendo composta em sua grande maioria por pessoas que habitam o município de Lanús, em outras palavras, poderíamos comparar o Lanús ao Juventus, modesto clube paulista localizado no famoso bairro da Moóca, que também recebe um apoio imensurável dos moradores daquela região. A partir destas informações, fica fácil compreender o tamanho do êxito obtido pelo Granate na noite de ontem.
Até a metade dos anos 2000, o objetivo do Lanús era sempre manter-se na divisão de elite do futebol argentino, e disputar torneios internacionais era algo surreal, mesmo com a conquista da Copa Conmebol em 1996. No entanto, após o título do Torneio Apertura 2007, época em que o Lanús era comandado por Juan Ramón Cabrero, o time começou a figurar constantemente ao lado dos grandes clubes argentinos, se transformando em uma verdadeira pedra no sapato do Boca Juniors e do River Plate, as duas maiores agremiações da Argentina. Não à toa, o Granate venceu a Copa Sul-Americana 2013, e posteriormente ganhou o Campeonato Argentino 2016 e a Supercopa da Argentina 2016, se classificando assim para a Copa Libertadores 2017.

O técnico hispano-argentino Juan Ramón Cabrero, foi o grande responsável por colocar o Lanús, no caminho dos títulos.
O técnico hispano-argentino Juan Ramón Cabrero, foi o grande responsável por colocar o Lanús no caminho do sucesso.

Garantido na Copa Libertadores 2017, o Lanús iniciou o torneio no grupo G ao lado do Nacional (Uruguai), da Chapecoense e do Zulia (Vanezuela), e só garantiu sua vaga nas oitavas de finais, pois a Chape utilizou um jogador de maneira irregular na competição, perdendo por este motivo os pontos da partida contra o Lanús. Nas oitavas de finais, os pupilos de Jorge Almiron passaram pelo The Strongest vencendo os bolivianos por 2 a 1 no placar agregado. Já nas quartas de finais, o Granate encarou um adversário mais indigesto, me refiro ao San Lorenzo. Após sofrer uma dura derrota no jogo de ida por 2 a 0 no estádio Nuevo Gasômetro, através de muita garra e determinação, as principais características do Lanús, o time conseguiu pelo menos igualar o confronto, batendo o Ciclón por 2 a 0 no estádio La Fortaleza, levando a decisão para as dramáticas cobranças de pênaltis. Nas penalidades, enfim o conjunto de Jorge Almiron pôde comemorar a tão sonhada classificação às semifinais da Libertadores, depois de derrotarem o San Lorenzo por 4 a 3, graças ao goleiro Esteban Andrada, que defendeu os chutes de Matías Caruzzo e Nicolás Blandi.

O comandante do conjunto Granate, Jorge "El Negro" Almiron, tem uma vasta história no futebol mexicano e trabalhou no Independiente antes de assumir o Lanús.
O comandante do conjunto Granate, Jorge “El Negro” Almiron, tem uma vasta história no futebol mexicano e trabalhou no Independiente antes de assumir o Lanús.

Nas fase de semifinais o Lanús se deparou com o concorrente mais poderoso até então na competição, o atual vice-campeão argentino River Plate, comandado pelo competentíssimo Marcelo Gallardo. Nos primeiros noventa minutos da decisão, vimos uma partida extremamente truncada no estádio Monumental de Núñez, digna de uma semifinal de Copa Libertatores, e na ocasião, o River Plate levou a melhor, batendo o Lanús pelo placar mínimo com gol do atacante Ignacio Scocco aos 36 minutos da segunda etapa.
Precisando reverter o marcador, o Lanús entrou em campo no jogo de volta com a missão de terminar o primeiro tempo pelo menos igualado ao River Plate. Entretanto, o dia das bruxas parecia realmente assombrar o Granate, que viu os Millonarios abrirem 2 a 0 no placar com gols de Ignacio Scocco e Gonzalo Montiel, deixando a tarefa do time de Jorge Almiron ainda mais complicada. Contudo, o gol de José Sand no último minuto do primeiro tempo animou a torcida do Lanús no estádio La Fortaleza. Já na etapa final, os anfitriões mostraram toda a sua força e em 23 minutos viraram o confronto através dos gols de José Sand (1 minuto), Lautaro Acosta (16 minutos) e Alejandro Silva (23 minutos), garantindo desta forma, a inédita classificação à finalíssima da Copa Libertadores da América.

blog
Jogadores do Lanús comemoram ao lado de sua pequena porém fanática torcida, a classificação do time à final da Copa Libertadores da América 2017.

Uma agremiação sem os flashes e holofotes dos grandes clubes sul-americanos, porém que através de muito trabalho, perseverança e determinação, chegou aonde todos sonham em chegar, na final do torneio mais importante do continente. Um êxito que não é uma simples coincidência, muito pelo contrário, pois a equipe montada por Jorge Almiron merece total respeito, basta analisarmos alguns aspectos, a começar pelo veterano José Sand, atacante rodado que já passou por diversas praças como Espanha, México e até o Emirados Árabes, mas que tem sua imagem fortemente ligada ao Lanús, clube pelo qual ele balançou as redes mais de 100 vezes, e consequentemente tornou-se ídolo da torcida. Já o talentoso camisa 10, Román Martínez, é o homem que dita o ritmo do jogo, responsável pela criação de jogadas do time, que embora não seja um Juan Román Riquelme, exerce de maneira impecável sua função em campo. Não poderíamos deixar de mencionar o incansável Lautaro Acosta, que resgatou a alegria de jogar futebol no Granate, depois de decepcionar defendendo as cores do Sevilla e do Boca Juniors. Por último, destacamos o treinador Jorge “El Negro” Almiron, de 46 anos, que segue a mesma filosofia de Marcelo “El Loco” Bielsa, ou seja, amante das rápidas trocas de passes, organização tática, que privilegia jogar com a bola sempre no chão, e tem no elenco atletas versáteis, que atuam em várias posições. Por essas e outras, está comprovado que o Lanús deixou de ser um mero coadjuvante para figurar entre os principais clubes da América do Sul.

 

Deixar um comentário

Menu