Fechou o tempo no Stamford Bridge

A temporada passada foi realmente brilhante tanto para o Chelsea quanto para o treinador Antonio Conte, tanto é, que o sucesso dessa união garantiu aos Blues o título da Premier League. No entanto, nove meses após essa conquista, a relação entre o comandante italiano e o clube londrino está extremamente desgastada e o técnico está na corda bamba.

Premier League 2016/17:

A inesperada demissão de José Mourinho na temporada retrasada deixou uma enorme lacuna no comando técnico do Chelsea, que terminou a edição 2015/16 da Premier League na 10ª posição da tabela, e com o interino Guus Hiddink dirigindo a equipe.
Mas a temporada 2016/17 foi especial para os Blues que trouxeram o emblemático Antonio Conte, ex-treinador da seleção italiana, para Stamford Bridge. Com a vantagem de participar somente de competições de âmbito nacional, o enxuto plantel do Chelsea não sofreu com problemas relacionados ao excessivo desgaste físico causado por longas viagens, durante toda a disputa da Premier League. Vale ressaltar ainda, que a filosofia ofensiva de jogo implantada por Conte, baseada no esquema 3-4-3, com dois eficientes alas, e dois pontas velozes e habilidosos, levou o time ao título do campeonato.
Com 93 pontos ganhos, o Chelsea obteve 30 vitórias, 3 empates e apenas 5 derrotas em 38 jogos realizados pela Premier League, terminando a sua participação com o segundo melhor ataque (85 gols marcados) e a segunda melhor defesa (33 gols sofridos) do torneio.

Chelsea campeão da Premier League 2016/17.
A temporada 2016/17 do Chelsea terminou assim, com o título da Premier League.

Vestiário conturbado:

Esta temporada já começou de maneira polêmica pelos lados do Stamford Bridge, afinal, antes mesmo do início da pré-temporada, Antonio Conte enviou um comunicado ao jogador Diego Costa via WhatsApp, informando que o hispano-brasileiro estava fora de seus planos e por este motivo, ele não faria mais parte do elenco dos Blues. Como não poderia deixar de ser, essa notícia caiu como uma bomba na mídia, pois Diego Costa é indiscutivelmente um dos melhores atacantes da atualidade, apesar de seu comportamento explosivo. Devido a essa atitude, o Chelsea foi obrigado a ir ao mercado e desembolsar a bagatela de 80 milhões de euros (cerca de R$ 290,5 milhões) para trazer Álvaro Morata, já que o único centro-avante presente no elenco era o belga Michy Batshuayi.
E não para por aí, no final do ano Antonio Conte teve uma forte discussão com David Luiz, que não concordou com algumas decisões táticas do técnico italiano, e por conta disso, o zagueiro perdeu sua posição no time titular, ficando de fora inclusive do banco de reservas em diversos jogos da equipe.

Antonio Conte e Diego Costa não se bicavam.
Aparentemente, a relação de Antonio Conte e Diego Costa era boa, todavia, fora das quatro linhas ambos não se bicavam.

A história se repete:

Curiosamente, estes contratempos não são novidades no Chelsea, já que o time viveu os mesmos problemas no passado recente, basta nos lembrarmos dos conturbados trabalhos de Luiz Felipe Scolari, André Villas-Boas, além da segunda passagem de José Mourinho pelos Blues em 2015, que foram interrompidos em decorrência do mal relacionamento dos comandantes com os insatisfeitos jogadores da equipe. Na época, estrelas como John Terry, Frank Lampard, Peter Cech, Didier Drogba e Branislav Ivanovic tinham uma enorme interferência dentro do clube.
No entanto, Roman Abramovich, proprietário do Chelsea, não permitirá com que a história se repita novamente, ou seja, o bilionário excluiu a possibilidade de demitir o treinador nesta altura do campeonato, e manterá Antonio Conte pelo menos até o final da temporada, apesar da imensa vontade dos torcedores de vê-lo longe de Stamford Bridge. Uma prova de que Abramovich não está blefando, é que nem mesmo as derrotas dos Blues para o Bourmemouth (3 x 0) e Watford (4 x 1), respectivamente, foram suficientes para a queda de Conte. Mas a pergunta que fica é a seguinte: será que o russo segurará o técnico no caso de novos deslizes?

Antonio Conte no Chelsea.
No Chelsea desde 2016, o treinador Antonio Conte de 48 anos, acumula 60 vitórias, 12 empates e 16 derrotas à frente dos Blues.

Futuro indefinido:

Como todos nós sabemos, os resultados positivos são fundamentais para a permanência de um treinador no comando de uma agremiação, desta forma, o futuro de Antonio Conte depende única e exclusivamente do sucesso do Chelsea na FA Cup e principalmente na Champions League, já que na Premier League, a briga dos Blues é para permanecer entre os quatro primeiros colocados.
Entretanto, a confiança da diretoria não é grande em relação à equipe, tanto é, que alguns nomes aparecem como prováveis substitutos de Antonio Conte, sendo que o primeiro deles, é o de Luis Enrique, ex-treinador do Barcelona, enquanto a segunda opção, seria Thomas Tuchel, ex-Borussia Dortmund, recordando que ambos estão disponíveis no mercado, logo, chegariam a custo zero. Por incrível que pareça, hoje é mais fácil visualizarmos Conte comandando o Arsenal do que o Chelsea na próxima temporada.
Depois da goleada sofrida para o Watford por 4 a 1 no Vicarage Road, o técnico italiano deu três dias de folga para o plantel dos Blues, para que assim, todos renovassem as energias e esquecessem um pouco o ambiente conturbado do clube. O compromisso diante do West Bromwich nesta segunda-feira, será o primeiro dos três jogos seguidos do Chelsea em seus domínios, em outras palavras, está aí a última oportunidade para Antonio Conte garantir sua permanência em Stamford Bridge.

Deixar um comentário

Menu