Garantidos em Kiev

Está definido, o Liverpool será o adversário do Real Madrid na decisão da Champions League 2017/18, que será realizada no próximo dia 26 em Kiev. Mesmo com a derrota por 4 a 2 para a Roma no estádio Olímpico, os Reds garantiram sua vaga na final pois no jogo de ida, disputado no Anfield Road, os ingleses golearam os italianos por 5 a 2, derrotando-os por 7 a 6 no placar agregado. Desta maneira, os pupilos de Jurgen Klopp terão três semanas de preparação para a partida mais importante desde a chegada do treinador alemão em 2015.

Onze anos depois de disputar a sua última final de Champions League, enfim o Liverpool deixou de ser um mero coadjuvante e voltou a ser um grande protagonista no futebol europeu. Esse protagonismo foi sendo retomado aos poucos, através de muito empenho e dedicação, e o maior responsável pelo sucesso do time é sem sombra de dúvidas o treinador Jurgen Klopp. Vale lembrar que o técnico alemão já havia feito um trabalho similar a esse no Borussia Dortmund, naquele glorioso período em que o conjunto auri-negro venceu o bicampeonato da Bundesliga, e chegou na decisão da Champions League contra o Bayern Munique.

Terceiro colocado na Premier League com 72 pontos, fica nítido que os Reds são donos de um elenco enxuto, não à toa, jovens como Joe Gomez, Dominic Solanke e Ben Woodburn completam o banco de reservas da equipe. A inesperada ida de Philippe Coutinho ao Barcelona no começo do ano complicou ainda mais a vida de Jurgen Klopp, que foi obrigado a mudar todo o seu plano de jogo em plena metade de temporada. A saída do meia brasileiro certamente fez com que até mesmo os torcedores mais apaixonados do time temessem por sua queda dentro de campo, algo que realmente não aconteceu, tanto é, que o Liverpool chegou à final da Champions League depois de eliminar o Porto, o Manchester City e a Roma, respectivamente, nas fases decisivas da competição.

Diversas características do Liverpool são bem peculiares do treinador Jurgen Klopp, um verdadeiro amante do futebol ofensivo. Armado no 4-3-3, os Reds pressionam demasiadamente a saída de bola do adversário, tudo com o intuito de recuperar a redonda o mais rápido possível, por esta razão, as suas linhas são bastante adiantadas. Além disso, a velocidade, a intensidade e as rápidas triangulações, são algumas das marcas registradas desse Liverpool de Klopp. Na minha opinião, o setor defensivo continua sendo o ponto fraco do time, porém a chegada do zagueiro Virgil van Dijk, contratado junto ao Southampton pela bagatela de 331,5 milhões de reais, melhorou muito a defesa da equipe, principalmente nas jogadas aéreas. No entanto, os Reds ainda sofrem com a ausência de um bom lateral-direito e especialmente com a falta de um grande goleiro.

Com certeza posso apontar o setor ofensivo do Liverpool como o ponto forte do time, visto que estamos nos referindo ao maravilhoso trio formado por Mohamed Salah, Roberto Firmino e Sadio Mané. Aliás, outro mérito de Jurgen Klopp foi ter indicado estes três craques para atuarem pela equipe, uma prova disso, é que os três compõe o trio que mais marcou gols na história da Champions League. Com 29 gols até aqui, o egípcio Salah, o brasileiro Roberto Firmino e o senegalês Mané, superaram os famosos trios BBC (Benzema, Bale e Cristiano Ronaldo) que balançou as redes adversárias em 28 ocasiões no torneio, além do trio MSN (Messi, Suárez e Neymar) que marcou 27 tentos.

Há exatos dois anos e sete meses no comando do Liverpool, o treinador Jurgen Klopp nunca esteve tão próximo de levar o conjunto vermelho da cidade dos Beatles à erguer um título da magnitude da Champions League. Para se ter uma ideia, o último caneco conquistado pelos Reds foi a Copa da Liga Inglesa em 2012, ou seja, época em que a equipe nem ao menos era dirigida pelo treinador alemão. Embora estes dados sejam preocupantes, na atualidade ninguém mais dúvida da capacidade dos Reds, que chegam nesta decisão com números impressionantes, como por exemplo, o melhor ataque da competição com 46 gols pró, superando até mesmo o poderoso Barcelona na temporada 1999/00. Por essas e outras, os torcedores do Liverpool seguramente lotarão os 16.626 destinados à eles no estádio Olímpico de Kiev, mesmo sabendo que terão de encarar essa pedreira chamada Real Madrid, finalista em quatro das últimas cinco edições do torneio continental.

Deixar um comentário

Menu