Terror na Academia de Alcochete

Podemos considerar o dia 15 de maio de 2018 como um dos mais nebulosos da história do Sporting, e só não teve piores consequências, porque a premeditada tragédia não aconteceu. Para a tristeza de todos os sportinguistas espalhados pelo mundo, a crise que se instaura em Alvalade parece realmente não ter fim.

Ao analisarmos a temporada 2017/18 do Sporting, notamos que a performance da equipe foi boa, afinal, os Leões encerraram a sua participação na Primeira Liga, ocupando o terceiro posto da tabela com 78 pontos ganhos, contabilizando 24 vitórias, 6 empates e quatro derrotas, em 34 partidas realizadas pela competição, obtendo assim, 76,5% de aproveitamento através desta campanha. Além disso, o conjunto verde e branco disputará a final da Taça de Portugal no próximo domingo contra o Desportivo Aves. Vale ressaltar ainda, que a terceira colocação no campeonato garantiu aos pupilos de Jorge Jesus uma vaga direta na fase de grupos da Europa League.

No entanto, os Leões chegaram na última rodada da Primeira Liga dependendo apenas de si para entrar na fase pré-eliminatória da Champions League. Bastava ao time lisboeta vencer o Marítimo, fora de seus domínios, para que este objetivo fosse alcançado, ou então, o Sporting precisaria torcer pelo revés do Benfica frente o Moreirense no estádio da Luz, ou seja, algo bastante improvável. Por incrível que pareça, a equipe de Alvalade conseguiu a façanha de tropeçar por 2 a 1 na Ilha da Madeira, depois de realizar uma partida extremamente apática, e como os benfiquistas triunfaram pelo placar mínimo, os leoninos tiveram de se contentar com a vaga na Europa League.

Como não poderia deixar de ser, a derrota para o Marítimo, que culminou com a não qualificação do Sporting à Champions League, revoltou alguns torcedores, que no próprio domingo se deslocaram até Alvalade para protestar contra o treinador e os jogadores. Sucumbindo a pressão, o presidente do clube, Bruno de Carvalho, decidiu demitir o técnico Jorge Jesus, todavia, essa atitude revoltou os atletas, que por esta razão, ameaçaram não entrar em campo na decisão da Taça de Portugal. Sem saber o que fazer, Bruno de Carvalho readmitiu Jorge Jesus, informando que ele comandará o time somente na final contra o Desportivo Aves.

Mas o estopim ocorreu mesmo na tarde de ontem, quando cerca de cinquenta membros da torcida organizada Juve Leo, todos encapuzados, invadiram a Academia de Alcochete (CT do Sporting) para agredir os atletas e a comissão técnica. Por sorte ninguém ficou ferido com maior gravidade, porém através das redes sociais, o atacante holandês Bas Dost postou fotos com cortes na cabeça provenientes de golpes. Os atletas Rui Patrício, William Carvalho, Marcos Acuña, Rodrigo Battaglia e Josip Misic, o preparador físico Mário Monteiro e o técnico Jorge Jesus, infelizmente também sofreram agressões.

Além de todas essas agressões, os revoltados ultras literalmente destruíram os vestiários da Academia de Alcochete e a situação só não ganhou maiores proporções porque a Guarda Nacional de Lisboa foi acionada e chegou a tempo de evitar uma tragédia. No final das contas, o Sporting divulgou uma nota lamentando o ocorrido. Entretanto, o que causa enorme estranheza é que o presidente do clube não estava no centro de treinamento no momento da invasão. Depois deste lamentável episódio, todo o plantel leonino juntamente com a comissão técnica, se apresentaram a delegacia para a realização de um boletim de ocorrência. O que se diz na imprensa portuguesa, é que a maioria deles acionará a justiça contra Bruno de Carvalho, com o intuito de rescindirem seus contratos por justa causa, alegando falta de segurança no trabalho.

Existem suspeitas de que o presidente Bruno de Carvalho e o diretor de futebol André Geraldes permitiram com que a invasão fosse realizada pelos ultras da Leo Juve, um fato que revolta ainda mais os jogadores do Sporting. Em contrapartida, tudo isso é somente uma suposição, visto que nada foi comprovado até o presente momento. E lembrar que tudo isso aconteceu às vésperas da decisão da Taça de Portugal, o único torneio que os Leões têm chances de conquistar nessa temporada. Resta saber agora se os atletas terão condições psicológicas de lutar pelo título no Jamor, ou se esse triste acontecimento abalou demasiadamente a moral do grupo, a ponto dele não ter estrutura emocional para lidar com essa gigantesca pressão. Aguardemos!

Deixar um comentário

Menu