A um passo da Champions League

A temporada 2017/18 foi realmente decepcionante para os torcedores do Benfica, afinal, o time na época tetracampeão português, caiu precocemente na fase de grupos da Champions League, e detalhe, sem conseguir nem ao menos uma vaga à Europa League, visto que os portugueses ficaram na lanterna do grupo A do torneio, atrás de Manchester United, Basel e CSKA Moscou, respectivamente. Além disso, na Primeira Liga, os Encarnados só garantiram o vice-campeonato porque o Sporting conseguiu a façanha de perder para o Marítimo (2 x 1) na última rodada da competição.

Diante deste cenário, a diretoria benfiquista espera que a temporada 2018/19 seja melhor ao clube da capital lusitana. E para que isso ocorra, a obrigação primordial do Benfica é classificar-se à fase de grupos da Champions League, lembrando que a vaga direta ficou com o rival Porto, atual campeão nacional. Vale ressaltar, que as cifras recebidas pelo segundo colocado da Primeira Liga é bem menor em relação ao primeiro colocado, aspecto esse, que complicou bastante a vida dos Encarnados para reforçar o time.

Uma prova disso, é que o Benfica investiu apenas 15,38 milhões de euros (R$ 66 milhões) para contratar novos atletas. Chegaram ao estádio da Luz, os jogadores Nicolás Castillo, Germán Conti, Odysseas Vlachodimos, Alfa Semedo, Chiquinho, Tyronne Ebuehi, Facundo Ferreyra e Cristian Lema, sendo que dentre todas estas aquisições, o atacante chileno Nicolás Castillo foi o reforço mais caro, uma vez que o time lisboeta precisou desembolsar a bagatela de 6,85 milhões de euros (R$ 29,45 milhões) para trazê-lo do Pumas. Já o argentino Facundo Ferreyra, considerado a melhor contratação da equipe nessa janela, veio à custo zero, pois o seu contrato junto ao Shakhtar Donetsk havia terminado.

Há duas temporadas, o Benfica havia gasto 22 milhões de euros somente para contratar os jogadores Rafa e Mitroglou. No total, a equipe investiu 43,77 milhões de euros, enquanto nessa janela, foram disponibilizados pouco mais de 15 milhões de euros para trazer novos reforços.
Há duas temporadas, o Benfica havia gasto 22 milhões de euros somente para contratar Rafa e Mitroglou. Naquele ano, a equipe havia investido 43,77 milhões de euros, bem diferente dessa janela, que foram disponibilizados pouco mais de 15 milhões de euros para trazer novos reforços.

Embora o investimento tenha sido baixo, os comandados de Rui Vitória vêm cumprido com êxito o seu objetivo até aqui, dado que na tarde de ontem, o Benfica conseguiu qualificar-se para a quarta e última fase pré-eliminatória da Champions League, após empatar com o Fenerbahce, em Istambul, por 1 a 1. Este empate foi suficiente aos portugueses, porque eles já haviam vencido os turcos pelo placar mínimo no jogo de ida, realizado em Lisboa, na semana passada.

Este embate contra o Fenerbahce preocupava bastante o treinador Rui Vitória, haja vista a pressão que os adversários encontram no estádio Sukru Saraçoglu, quando enfrentam o time turco. Contudo, mesmo atuando frente todas essas adversidades, os portugueses controlaram muito bem o jogo, anulando completamente as ações da equipe comandada por Phillip Cocu. Deste modo, o Benfica mostrou novamente porque é considerado um dos principais favoritos à avançar para a fase de grupos da Champions League. No final das contas o empate por 1 a 1 soou como uma vitória ao técnico benfiquista:

"Enfrentamos uma equipa de valor, que tem 14 jogadores estrangeiros, em um estádio difícil,
e um ambiente que não é fácil. Mesmo sofrendo o gol muito perto do intervalo, algo que perturba 
qualquer equipe, no segundo tempo entramos mais atentos e tivemos mais disciplina. Um jogo
não é isento de erros, não se conseguem 90 minutos de perfeição, mas conseguem-se 90 minutos
de qualidade. Fica um empate saboroso, justo, perante uma grande adversário."
O jovem Gedson Fernandes de 19 anos de idade, foi o grande destaque do Benfica na vitória diante do Fenerbahce em Istambul.
O jovem Gedson Fernandes, de 19 anos de idade, foi o grande destaque do Benfica na vitória diante do Fenerbahce em Istambul.

A veiculação da notícia de um possível retorno de Ramires, atualmente no Jiangsu Suning (China), ao Benfica, animou demasiadamente os torcedores. Segundo o site da UOL, a transação seria sem custos, já que o volante está negociando a rescisão amigável de seu contrato com os chineses, válido até 2019. O único empecilho deste acordo, é o altíssimo salário do brasileiro, que recebe pouco mais de R$ 2 milhões por mês na China, ao passo que em Portugal, ele ganharia metade disso, ou seja, R$ 1 milhão mensalmente.

A classificação do Benfica para a quarta fase pré-eliminatória da Champions League já rendeu 8 milhões de euros ao time de Lisboa, porém na hipótese da equipe chegar na fase de grupos, ela garantiria o total de 43 milhões de euros, prêmio concedido pela UEFA para os 32 clubes que integram os oito grupos do torneio. Desta maneira, é evidente que mais dinheiro entraria no caixa, viabilizando recursos para a vinda de novos reforços. De qualquer forma, o técnico Rui Vitória não deixou nenhum rastro sobre a intenção do Benfica ir ao mercado ainda nessa janela, confira:

"Tudo aquilo que tenho para tratar com a diretoria, eu tratarei. Não sou treinador para chegar aqui
e dizer: preciso disso e daquilo. Não preciso gritar, berrar, dizer a vocês o que quero ou necessito. 
Esses assuntos só dizem respeito a mim e a minha direção."

O Benfica também iniciou com o pé direito a sua caminhada na Primeira Liga 2018/19, isso porque a equipe da Luz não encontrou dificuldades para bater o Vitória Guimarães, em seus domínios, por 3 a 2, depois de ter aberto uma vantagem de 3 a 0 no marcador. No entanto, como citei anteriormente, a meta principal do time é conseguir a vaga na fase de grupos da Champions League. O próximo adversário dos portugueses no torneio continental, é o surpreendente PAOK, da Grécia, que eliminou o Spartak Moscou na fase anterior. O jogo de ida acontecerá já na terça-feira que vem, dia 21, em Lisboa, à medida que o jogo de volta será disputado no dia 29, em Tessalônica. Aguardemos!

Deixar um comentário

Menu