O pesadelo chamado Champions League

Erguer a taça da Champions League, é certamente, o maior desejo de todos os clubes europeus. Entretanto, as equipes encontram grandes dificuldades para alcançar essa façanha, haja vista a enorme qualidade técnica dos participantes, além do alto nível de competitividade entre os concorrentes que disputam o maior torneio de futebol do planeta. Acontece, que para o PSG, a Champions League tornou-se uma verdadeira obsessão, e este fator, está atrapalhando os parisienses na luta pela inédita conquista da competição.

Nem toda a dinheirama investida pelo Paris Saint-Germain nos últimos anos para contratar craques como Neymar, Kylian Mbappé, Edinson Cavani, Ángel Di María, Julian Draxler, entre outros, foi suficiente para a equipe francesa conquistar a “orelhuda”. Isto já era mesmo esperado, afinal, não adianta ter um time composto por diversas estrelas para vencer o torneio, é preciso muito mais do que isso. Basta citarmos o Real Madrid, atual tricampeão europeu, que tinha no elenco jogadores renomados, mas era extremamente organizado dentro de campo, focado, e principalmente, dono de uma confiança ímpar, motivo que causava até medo nos adversários.

Na tarde de ontem, mais uma vez ficou provado que o PSG não tem a confiança necessária para ser protagonista na Champions League, assim como o time é na Ligue 1. Para se ter uma ideia, os pupilos de Thomas Tuchel entraram no gramado do Anfield Road para encarar o Liverpool, invictos na temporada, somando seis vitórias em seis jogos disputados até então. Todavia, todos estes jogos foram contra oponentes franceses, quer dizer, clubes limitados financeiramente, sem condições de montar equipes capazes de brigar de igual para igual com o Paris Saint-Germain.

Está virando rotina ver o PSG decepcionar na Champions League.
Está virando rotina ver o PSG decepcionar na Champions League.

Logo, é correto afirmar que o primeiro grande desafio dos campeões franceses nesta temporada, ocorreu no duelo frente o Liverpool. Muitos esperavam que o PSG faria jus a todo o investimento feito por ele recentemente, e deste modo, surpreenderia os ingleses. Contudo, o que vimos no confronto foi o time de Jurgen Klopp amassando os parisienses do início até o final da partida. O placar não expôs isso, porque os Reds desperdiçaram uma série de oportunidades, e no final das contas, a vitória só foi conquistada nos acréscimos do jogo, graças ao gol de Roberto Firmino proveniente de uma ótima jogada individual do atacante brasileiro.

Perder do Liverpool no estádio Anfield Road não é nenhuma barbaridade, tanto é, que os Reds estão invictos em seus domínios há exatos 17 jogos por competições da UEFA, somando 12 vitórias e cinco empates neste período. No entanto, como citei anteriormente, o Paris Saint-Germain perdeu novamente no último minuto de uma partida, assim como ocorreu na eliminação dos franceses para o Barcelona na temporada retrasada, lembrando que naquela oportunidade, o PSG havia vencido o Barça no jogo de ida, em Paris, por 4 a 0, e de forma incrível, ele foi eliminado pelos catalães no jogo de volta, depois de ser goleado por de 6 a 1, com direito a um gol do lateral-direito Sergi Roberto nos acréscimos.

A vexatória derrota por 6 a 1 para o Barcelona, nas oitavas de final da Champions League 2016/17, permanece viva na memória dos parisienses.
A vexatória derrota por 6 a 1 para o Barcelona, nas oitavas de final da Champions League 2016/17, permanece viva na memória dos parisienses.

Já na edição passada do torneio, os franceses também demonstraram que falta peso em sua camisa, visto que eles sucumbiram diante do Real Madrid nas oitavas de final da Champions League 2017/18. Nos primeiros noventa minutos do embate, 3 a 1 aos madridistas de virada no estádio Santiago Bernabéu. Nos noventa minutos finais, um novo triunfo dos espanhóis em pleno Parque dos Príncipes por 2 a 1. Vale ressaltar que na fase de grupos, o PSG havia sofrido um duro revés para o Bayern Munique por 3 a 1 na Allianz Arena, resultados estes, que atestam a fragilidade dos parisienses quando eles enfrentam os “bichos papões” do futebol europeu.

Por conta deste retrospecto assustador, muitos já estão condenando o Paris Saint-Germain, porém sabemos que estamos apenas no início da temporada, isto significa que o time irá evoluir. Além disso, o treinador Thomas Tuchel acabou de assumir o comando do PSG, isto é, o técnico alemão ainda está implantando a sua nova filosofia de trabalho, seus conceitos táticos, realizando ajustes na equipe, e para que tudo isso seja concretizado, são necessárias horas e horas de treinamento. A derrota frente o Liverpool foi somente o primeiro jogo da equipe de Thomas Tuchel pela Champions League, sendo assim, ela terá tempo de sobra para recuperar-se no torneio.

Para concluir, é evidente que os torcedores do PSG não querem ter um esquadrão repleto de craques do futebol mundial, somente para ganhar competições de âmbito nacional, o desejo tanto da diretoria quanto de toda a nação parisiense, é ver o Paris Saint-Germain deixar para trás o rótulo que carrega consigo de mero coadjuvante na Champions League, e entrar de vez ao seleto hall de campeões do torneio continental. Só resta saber no entanto, se a pressão extra-campo permitirá com que isso ocorra, ou então, o clube continuará grande na França e pequeno na Europa.

 

Deixar um comentário

Menu