Revés inesperado

Na noite de ontem (23), as equipes de River Plate e Grêmio disputaram a primeira partida referente às semifinais da Copa Libertadores 2018 no estádio Monumental de Núñez. No confronto que reuniu as duas maiores escolas do futebol sul-americano, foram os brasileiros que levaram ao melhor sobre os argentinos, vencendo-os pelo placar mínimo.

O destino quis assim

O embate entre River Plate x Grêmio já era aguardado desde a edição anterior da Copa Libertadores, afinal, ambos estiveram bem próximos de se encontrar na final da competição. Isso só não aconteceu, porque os Millionários foram eliminados pelo Lanús nas semifinais da Copa Libertadores 2017, ficando assim, impossibilitados de disputar a decisão do torneio contra o Tricolor Gaúcho, que no final das contas, consagrou-se tricampeão sul-americano.

Mas como diz o velho ditado: “o destino está escrito por linhas tortas”, e por incrível que pareça, a atual edição da Copa Libertadores colocou os dois times frente a frente na fase semifinal do torneio. Como o Grêmio realizou uma campanha melhor em relação ao River Plate, os gaúchos tiveram a vantagem de disputar a segunda e decisiva partida da semifinal em casa. Logo, o jogo de ida, que teve como palco o mítico estádio Monumental de Núñez, foi bastante pegado, intenso, repleto de rivalidade, e obviamente, composto por grandes doses de emoção.

O River Plate já ergueu a taça da Copa Libertadores em quatro oportunidades. A última delas, foi em 2015, quando o time era comandado por Marcelo Gallardo.
O River Plate já ergueu a taça da Copa Libertadores em três oportunidades. A última delas, foi em 2015, quando o time era comandado por Marcelo Gallardo.

Vantagem considerável

Pelo fato dos argentinos atuarem os primeiros noventa minutos desta verdadeira decisão em seus domínios, os pupilos de Marcelo Gallardo entraram em campo com o objetivo principal de conquistar uma vitória por um placar amplo, pois desta maneira, eles teriam a possibilidade de jogar a partida de volta mais tranquilos em Porto Alegre. Entretanto, à medida que a partida se desenrolava, o River Plate sentia a enorme pressão vinda das arquibancadas, e a batata dos anfitriões assou pra valer mesmo, quando Michel marcou o gol salvador do Grêmio aos 17 minutos da segunda etapa, calando o Monumental de Núñez.

Com a desvantagem no placar, o River foi pra cima do Grêmio, uma prova disso, é que a equipe argentina obteve 67% de posse de bola mediante apenas 37% dos brasileiros. Todavia, em momento algum da partida o experiente time de Renato Portaluppi se desesperou, muito pelo contrário, o que vimos foi os gremistas marcando intensamente durante os noventa minutos, com todos os jogadores extremamente aplicados taticamente, e suando sangue dentro de campo. Assim, os campeões sul-americanos bateram o conjunto argentino em pleno Monumental de Núñez por 1 a 0, por este motivo, um simples empate será suficiente para classificar os gaúchos à grande decisão da Copa Libertadores.

O River investiu altíssimas cifras para conquistar o tetracampeonato da Libertadores, trazendo à Núñez nomes como Enzo Pérez, Lucas Pratto e Ignacio Scocco.
O River investiu altíssimas cifras para conquistar o tetracampeonato da Libertadores, trazendo à Núñez nomes como Enzo Pérez, Lucas Pratto e Ignacio Scocco.

Retrospecto favorável em Núñez

Até agora os torcedores do River Plate parecem não acreditar no revés da equipe de Núñez na noite de ontem, isso porque os Millionários são donos de um retrospecto altamente positivo em mata-matas desde a chegada de Marcelo Gallardo ao comando técnico do clube em 2015. Para se ter uma ideia, o River Plate de Gallardo havia disputado dez partidas eliminatórias pela Copa Libertadores, sendo que destas, o time venceu oito, empatou uma e sofreu somente uma única derrota, obtendo assim, um belíssimo aproveitamento de 83,3%.

A única derrota sofrida pelo River Plate no estádio Monumental de Núñez pela Copa Libertadores sob o comando de Marcelo Gallardo até então, havia sido em 2015, ano em que o clube foi campeão do torneio continental pela última vez. Na ocasião, o River perdeu do Cruzeiro por 1 a 0, pelas quartas de final da competição, porém no jogo de volta, realizado no Mineirão, os Millionários deram o troco no time mineiro ganhando por 3 a 0. Abaixo relacionamos todas as partidas de mata-matas disputadas pelo River Plate em casa, desde a chegada de Marcelo Gallardo, confira:

Libertadores 2015
River Plate 1 x 0 Boca Juniors
River Plate 0 x 1 Cruzeiro*
River Plate 2 x 0 Guaraní (Paraguai)
River Plate 3 x 0 Tigres

Libertadores 2016
River Plate 1 x 0 Independiente del Valle

Libertadores 2017
River Plate 1 x 1 Guaraní (Paraguai)
River Plate 8 x 0 Jorge Wilstermann
River Plate 1 x 0 Lanús

Libertadores 2018
River Plate 3 x 0 Racing
River Plate 3 x 1 Independiente
River Plate 0 x 1 Grêmio*

Vida ou morte

O jogo de volta contra o Grêmio será de vida ou morte para o River Plate, dado que o time de Núñez terá a indigesta obrigação de derrotar o Grêmio em sua arena, local aonde os gaúchos não perderam nenhuma das cinco partidas lá disputadas nesta Copa Libertadores, lembrando que o esquadrão de Renato Gaúcho balançou as redes adversárias 16 vezes e sofreu apenas um gol nestes compromissos. Aliás, das cinco vítimas dos gremistas na Arena Grêmio, duas foram equipes argentinas, me refiro ao Estudiantes (2 x 1) nas oitavas de final, e mais recentemente, o Atlético Tucumán (4 x 0), pelas quartas de final.

Diante deste cenário, fica evidente que a missão dos Millionários é quase impossível. Se levarmos em consideração o fato de que o River jamais venceu equipes brasileiras em semifinais de Copa Libertadores, esta tarefa torna-se ainda mais complicada. Por essas e outras, Marcelo Gallardo já anunciou de antemão que poupará todos os seus titulares na partida de sábado, frente o Aldosivi, válida pela 10ª rodada do Campeonato Argentino, visto que o embate diante do Grêmio, será já na próxima terça-feira (30). Agora, a pergunta que fica é a seguinte: conseguirá o River Plate reverter o placar na Arena Grêmio? Aguardemos!

 

 

 

 

Deixar um comentário

Menu