Campanha decepcionante

A participação do Valência na Champions League durou pouco, isso porque os Ches foram eliminados da competição com uma rodada de antecedência, depois de vencerem apenas uma das cinco partidas disputadas pelo torneio. Diante deste cenário, podemos afirmar com total convicção que a campanha dos pupilos de Marcelino García Toral acabou sendo decepcionante no maior campeonato de clubes do planeta.

Após ficar três temporadas consecutivas sem disputar a Champions League, o Valência retornou ao torneio graças ao 4º lugar conquistado na edição anterior da La Liga. Este tradicional clube do futebol espanhol, seis vezes campeão da liga nacional, passou por uma grande reformulação no ano passado, reformulação esta, que foi toda conduzida pelo treinador Marcelino García Toral. No final das contas, o excelente trabalho desenvolvido pelo treinador asturiano, resgatou o prestígio do conjunto valenciano no mundo da bola.

Como não poderia deixar de ser, o regresso dos Morcegos à Champions League, animou demasiadamente os torcedores valencianos, e principalmente, a diretoria do clube, que investiu pesado na contratação de reforços no início desta temporada, visando logicamente fortalecer ainda mais a equipe. Com isso, o mandatário do Valência, Peter Lim, abriu os cofres, trazendo ao Mestalla os jogadores Kévin Gameiro, Cristiano Piccini, Daniel Wass, Mouctar Diakhaby e Micky Batshuayi. Além deles, os atletas Gonçalo Guedes, Geoffrey Kondogbia e Jeison Murillo foram comprados em definitivo pelos Ches.

O Valência desembolsou o montante de 122 milhões de euros para reforçar a equipe que disputa a atual temporada.
O Valência desembolsou o montante de 122 milhões de euros (R$ 530 milhões) para reforçar a equipe que disputa a atual temporada.

A chance do Valência avançar às oitavas de final da Champions League era difícil mas não impossível, afinal, o time espanhol foi sorteado no grupo H do torneio, ao lado da Juventus, do Manchester United e do Young Boys. Obviamente, a Juve, agora com Cristiano Ronaldo, foi apontada como a grande favorita do grupo, ao contrário dos Red Devils, que vivem uma temporada bastante turbulenta em virtude da péssima relação do treinador José Mourinho com alguns atletas do elenco. Já a equipe suíça, era considerada o saco de pancada do grupo.

Por essas e outras, era esperado que o time de Marcelino García Toral brigasse de igual pra igual com o Manchester United pela segunda colocação do grupo. Entretanto, todo este prognóstico não se concretizou, dado que o Valência teve a proeza de ser eliminado da competição com uma rodada de antecedência. Para se ter uma ideia, o único triunfo dos valencianos no torneio foi sobre o Young Boys (3 x 1) no estádio Mestalla. De resto, os Morcegos apenas empataram com o Manchester United (0 x 0) e com o próprio Young Boys (1 x 1), além de terem perdido duas vezes da Juventus (2 x 0, e 1 x 0).

O empate (1 x 1) diante do Young Boys na Suíça, foi determinante para a precoce eliminação do Valência da Champions League.
O empate (1 x 1) diante do Young Boys na Suíça, foi crucial para a precoce eliminação do Valência da Champions League.

Para aumentar ainda mais o drama do Valência, a desclassificação do time foi confirmada da pior maneira possível, tudo porque o Manchester United marcou o gol da vitória sobre os Young Boys (1 x 0) aos 46 minutos da segunda etapa da partida, e detalhe, o belga Marouane Fellaini ajeitou a bola com a mão antes de finalizar para as redes do goleiro David von Ballmoos. Evidentemente, este fato irritou o treinador Marcelino García Toral, porém é nítido que uma equipe que fez apenas 4 gols em cinco jogos, e obtém somente 33,3% de aproveitamento na competição, não merece passar de fase em qualquer torneio que disputar.

Contabilizando duas derrotas, dois empates e somente uma vitória em cinco partidas realizadas pela Champions League, o Valência registra 5 pontos ganhos, e em decorrência desta pífia campanha, deu adeus ao torneio de forma antecipada, já que a líder Juventus soma 12 pontos, à medida que o vice-colocado, Manchester United, computa 10. Como prêmio de consolação, a equipe espanhola garantiu a sua vaga na Europa League, uma vez que o lanterninha, Young Boys, tem apenas um ponto, ou seja, mesmo que os suíços vençam a Juve na última rodada, eles chegariam a quatro pontos.

Isto posto, resta aos Ches melhorarem a sua performance na La Liga, até porque o objetivo principal do clube é disputar novamente a Champions League. Atualmente, o Valência ocupa a modesta 11ª posição na tabela com 17 pontos, seis atrás do quarto colocado, Alavés, a primeira equipe classificada ao torneio. Outro caminho para os valencianos garantirem uma vaga direta na Champions League, é através da Europa League. Por este motivo, o treinador Marcelino García Toral já está usando o Atlético Madrid como exemplo, lembrando que na temporada passada, os Colchoneros ergueram a taça da Europa League depois de caírem na fase de grupos da Champions League, logo, quem sabe o filme não se repete mas desta vez pelos lados do Mestalla!

 

 

Deixar um comentário

Menu