River Plate x Boca Juniors

A 59ª edição da Copa Libertadores da América, terá o seu campeão definido na tarde deste domingo (09), depois que River Plate e Boca Juniors se enfrentarem no estádio Santiago Bernabéu. Após empatarem por 2 a 2 na Bambonera, os eternos rivais da capital argentina decidirão qual deles ficará com o título da competição, a partir das 17:30 (horário de Brasília), nesta, que já é considerada a final mais polêmica do torneio ao longo dos tempos.

River Plate

O empate por 2 a 2 no jogo de ida na Bambonera, foi bastante comemorado pelo River Plate, isso porque os pupilos de Marcelo Gallardo chegaram a ficar atrás do marcador em duas oportunidades, mas através de um enorme poder de reação, eles conseguiram igualar o placar através dos gols de Carlos Izquierdoz (gol contra) e Lucas Pratto. Desta maneira, basta uma simples vitória para que o conjunto de Núñez fature a Copa Libertadores frente o seu maior rival no mundo da bola.
No entanto, quem pensa que a vida dos Millionários será fácil na decisão da Copa Libertadores está completamente enganado, visto que o treinador Marcelo Gallardo não poderá contar com o colombiano Rafael Santos Borré, suspenso devido ao acumulo de cartões amarelos. Por esta razão, El Muñeco (Gallardo) provavelmente mudará todo o esquema tático de sua equipe, optando em utilizar o 4-3-2-1, com os meias Pity Martínez e Nacho Fernández servindo o atacante Lucas Pratto.

No comando do River desde 2014, o treinador e ídolo Marcelo Gallardo corre atrás de sua segunda Copa Libertadores na carreira.
No comando do River desde 2014, o treinador e ídolo dos Millionários, Marcelo Gallardo, corre atrás de sua segunda Copa Libertadores na carreira, lembrando que a primeira foi conquistada em 2015.

Boca Juniors

Enquanto isso, o Boca Juniors sabe que desperdiçou uma ótima oportunidade de sair da Bambonera com uma vantagem para o jogo de volta da decisão da Copa Libertadores, afinal, os atuais bicampeões argentinos chegaram a ficar duas vezes à frente no placar, graças aos tentos de Ramón Ábila e Dario Benedetto. Contudo, os comandados de Guillermo Barros Schelotto deixaram a vitória escapar, e no final das contas, o empate de 2 a 2 teve um sabor amargo de derrota, sobretudo porque agora eles serão obrigados a derrotar o River Plate na capital espanhola, para faturarem a taça de campeão do torneio pela sétima vez.
A boa notícia aos torcedores boquenses, é que o departamento médico liberou o ponta-esquerda Cristian Pavón, que estava vetado da decisão, em virtude de uma lesão no tendão. Além dele, o goleiro Esteban Andrada também recuperou-se da contusão no maxilar, e iniciará a final deste domingo entre os onze titulares do Boca Juniors.

Com a ausência de Cristian Pavón, o atacante Dario Benedetto, autor de um dos gols do Boca contra o River no jogo de ida, estará em campo no Monumental de Núñez.
O retrospecto recente do Boca Juniors é totalmente favorável sobre o River Plate, dado que os Xeneizes venceram três dos últimos quatro Superclássicos disputados como visitantes.

Dados Estatísticos

O registro histórico do Superclássico, aponta que os rivais da capital argentina se enfrentaram o total de 94 vezes ao longo da história, e a vantagem é do Boca Juniors que soma 35 vitórias mediante 26 triunfos do River Plate, ao passo que o empate prevaleceu em outras 33 oportunidades.
Este será o quarto confronto envolvendo os dois clubes em 2018, sendo que o Boca Juniors permanece invicto diante do River Plate no ano, colecionando duas vitórias e um empate neste período. Vale ressaltar, que o embate mais recente entre eles, foi justamente o jogo de ida da atual edição da Copa Libertadores, realizada no mês passado, no estádio da Bambonera. Como citei anteriormente, o clássico terminou empatado por 2 a 2.
Curiosamente, River Plate e Boca Juniors nunca decidiram uma final de Copa Libertadores da América, portanto esta é uma decisão inédita do torneio, pois tanto em 2004 quanto em 2015, Millionários e Xeneizes estiveram frente a frente pelas semifinais da competição.

O Boca Juniors já ergueu a taça da Copa Libertadores seis vezes ao longo da trajetória, enquanto o River corre atrás de sua quarta conquista continental.
O Boca Juniors já ergueu a taça da Copa Libertadores seis vezes ao longo da trajetória, enquanto o River corre atrás de sua quarta conquista continental.

Escalações

River Plate (4-3-2-1): Armani; Montiel, Maidana, Pinola e Casco; Enzo Pérez, Leonardo Ponzio e Palacios; Pity Martínez e Nacho Fernández; Lucas Pratto. Técnico: Marcelo Gallardo.

Boca Juniors (4-3-3): Andrada; Buffarini, Izquierdoz, Magallán e Olaza; Nández, Barrios e Pablo Pérez; Pavón, Ábila e Villa. Técnico: Guillermo Barros Schelotto.

Previsão

A final da edição de 2018 da Copa Libertadores da América colocará frente a frente os dois maiores clubes do futebol sul-americano. A decisão deste ano é tão marcante, que é como se a Champions League fosse decidida entre Real Madrid x Barcelona, considerando tamanha rivalidade e grandeza dos envolvidos.
O River Plate era o favorito ao título, isso porque o time de Marcelo Gallardo atuaria no Monumental de Núñez, necessitando de uma mísera vitória. Entretanto, como a final será disputada em Madrid, os Millionários acabaram sendo os grandes prejudicados, uma vez que eles jogarão duas vezes fora de seus domínios.
Já o Boca Juniors, dono da camisa mais pesada do continente, ainda tenta melar o jogo nos bastidores, algo que dificilmente ocorrerá. No final das contas, o adiamento da partida beneficiou os Xeneizes, que agora poderão contar com o goleiro Esteban Andrada, além do habilidoso Cristian Pavón, principal astro da equipe de Guillermo Barros Schelotto. Todavia, a equipe de Núñez têm se apresentado melhor dentro das quatro linhas, um fato que preocupa bastante os bicampeões argentinos.
Palpite: River Plate 2 x 1 Boca Juniors.

 

 

 

 

Deixar um comentário

Menu