Santiago Bernabéu em chamas

Com um treinador imaturo no comando, jogadores completamente desmotivados, e apresentando um pífio futebol dentro de campo, o Real Madrid continua colecionando vexames atrás de vexames, sendo que o mais recente deles, veio logo na estreia do conjunto madridista no estádio Santiago Bernabéu em 2019.

Entrando 2019 de mal a pior

Como já era esperado, a estreia do Real Madrid diante de sua torcida em 2019 foi um verdadeiro desastre, isso porque os atuais tricampeões mundiais sofreram um duro revés de 2 a 0 para a Real Sociedad, que com este triunfo, subiu para a 13ª colocação da tabela da La Liga. Com um gol do brasileiro William José e outro do atacante Rubén Pardo, os bascos colocaram ainda mais fogo no incêndio que se instaurou no Santiago Bernabéu.
Vale ressaltar que no meio de semana, os merengues visitaram o Villarreal, e voltaram de lá com um empate por 2 a 2 na bagagem. Consequentemente, os comandados de Santiago Solari caíram para a 5ª posição da La Liga com míseros 30 pontos ganhos em 18 jogos disputados. Contabilizando 9 vitórias, 3 empates e o montante de seis derrotas na competição, o Real Madrid obtém apenas 55,6% de aproveitamento devido a esta péssima campanha. Como o próximo compromisso dos Blancos será contra o Betis, na Andaluzia, é difícil imaginá-los somando os primeiros três pontos do ano na rodada que está por vir.

Nem mesmo a conqusta do tricampeonato mundial, foi suficiente para amenizar a crise no Real Madrid.
Nem mesmo a conquista do tricampeonato mundial seguido, foi suficiente para amenizar a crise no Real Madrid.

Crise premeditada

Ver a barca madridista afundar era realmente questão de tempo, afinal, o Real Madrid encerrou a gloriosa temporada 2017/18 da pior maneira possível, se desfazendo do técnico Zinedine Zidane e do craque português Cristiano Ronaldo, ou seja, os dois principais nomes do time na conquista do tricampeonato europeu.
Para piorar ainda mais a situação, o presidente Florentino Pérez decidiu trazer o então treinador da seleção espanhola, Julen Lopetegui, para substituir Zinedine Zidane, lembrando que foi exatamente por esta razão que a Fúria disputou a Copa do Mundo de 2018 com o interino Fernando Hierro no banco de reservas. E para o lugar de Cristiano Ronaldo, a diretoria merengue resolveu apostar no galês Gareth Bale, contratado em 2013 carregando consigo o rótulo de ser o jogador mais caro da história do Real Madrid, mas que no final das contas tornou-se apenas um reserva de luxo na equipe de Zidane.
Hoje, já é possível notar que as escolhas de Florentino Pérez foram desastrosas, visto que tanto Julen Lopetegui quanto Gareth Bale certamente não corresponderam as expectativas.

O técnico Julen Lopetegui foi demitido após cinco meses de sua chegada ao Santiago Bernabéu.
O técnico Julen Lopetegui foi demitido após cinco meses de sua chegada ao Santiago Bernabéu.

Aposta em jovens promessas

Outro erro da diretoria do Real Madrid, foi ter apostado todas as suas fichas em jovens promessas nos últimos anos. Para se ter ideia, o único grande nome contratado pelos merengues na última janela de transferências foi o goleiro Thibaut Courtois. De resto, chegaram ao Santiago Bernabéu os novatos Mariano Díaz (25 anos), Álvaro Odriozola (22 anos) e o brasileiro Vinícius Júnior, de apenas 18 anos.
Essa política de apostar em jovens atletas já havia sido seguida na temporada passada pelo Real Madrid, tanto é, que os jogadores Theo Hernández (19 anos), Marcos Llorente (22 anos), Dani Ceballos (20 anos) e Jesús Vallejo (20 anos) desembarcaram na capital espanhola para defender os tricampeões mundiais.
Desta maneira, o elenco madridista que conta com alguns jogadores na faixa dos 30 anos, como é o caso de Sergio Ramos (32 anos), Marcelo (30 anos), Luka Modric (33 anos) e Karim Benzema (31 anos), além dos quase trintões, Toni Kroos e Gareth Bale, ambos com 29 anos, não foi renovado do modo correto. Logo, o time continua envelhecendo e esta nova geração não está conseguindo suprir o peso dos medalhões.

Mais um jovem: o Real Madrid anunciou na tarde de ontem a contratação de Brahim Díaz junto ao Manchester City, por 17 milhões de euros.
Mais um jovem: o Real Madrid anunciou na tarde de ontem a contratação de Brahim Díaz junto ao Manchester City, pela bagatela de 17 milhões de euros.

Solução imediata

Ainda dá tempo para o Real Madrid salvar a temporada, dado que o primeiro turno da La Liga terminará apenas na próxima rodada, enquanto a fase de oitavas de final da Champions League terá início somente em fevereiro. Mas para que esta “salvação” aconteça, o presidente Florentino Pérez precisará se mexer o quanto antes. A primeira medida, seria contratar um treinador de renome para assumir a equipe, dentre estes nomes, eu indicaria Mauricio Pochettino, que vem realizando um excelente trabalho à frente do Tottenham.
Depois de trazer um técnico, o Real Madrid terá de abrir os cofres e ir ao mercado, não medindo esforços para negociar com astros como Eden Hazard, por exemplo. Acredito que o belga seria uma ótima opção para preencher a lacuna deixada por Cristiano Ronaldo no time. Além dele, um reserva para brigar com Marcelo na lateral-esquerda, um lateral-direito de qualidade para substituir Daniel Carvajal e um atacante matador para atuar no lugar de Karim Benzema, devem ser contratados urgentemente pela diretoria. Creio que só assim os tricampeões europeus teriam condições reais de erguer a orelhuda pela quarta vez consecutiva.

 

 

 

Deixar um comentário

Menu