A despedida do último imperador

A temporada 2018/19 ficará marcada eternamente na memória dos torcedores giallorossis, não por conta da conquista de títulos como o tão sonhado scudetto do Calcio, mas sim, devido a ela marcar o fim da passagem de Daniele De Rossi, um dos maiores símbolos da Roma, pela equipe da capital italiana.

Há 728 dias, toda a nação romanista chorava ao se despedir de Francesco Totti, considerado o maior ídolo da Roma até hoje. E não é que quase dois anos depois, os giallorossis darão adeus ao seu último grande “imperador”, Daniele De Rossi. Depois de dezoito temporadas defendendo as cores da Roma, o eterno camisa 16 encerrará também, o fim de uma era no time romano, era cujo o lema dizia: “Na Roma não aceitamos traidores”. Aliás, isso explica porque Daniele De Rossi atuou durante toda a sua carreira pela equipe três vezes campeã italiana ao longo da história, recusando por diversas ocasiões, propostas mais vantajosas financeiramente de outros clubes europeus.

No geral, desde a sua estreia em um duelo contra o Anderlecht pela Champions League no dia 10 de outubro de 2001, foram exatos 615 jogos de Daniele De Rossi vestindo a camisa da Roma, pelos quais ele marcou 63 gols e deu 54 assistências. Para se ter uma ideia, somente Totti jogou mais partidas pelo conjunto romanista, somando 785 aparições. Além disso, o volante de 35 anos ergueu duas vezes a taça da Copa da Itália (2006/07 e 2007/08) e faturou uma Supercopa da Itália (2007) em sua carreira clubística, enquanto pela seleção italiana, De Rossi atuou 117 vezes, balançou as redes adversárias em 21 oportunidades, e conquistou a Copa do Mundo em 2006.

Amigos inseparáveis: Daniele De Rossi e Francesco Totti, duas verdadeiras lendas da Roma, como sempre juntos.
Amigos inseparáveis: Daniele De Rossi e Francesco Totti, duas verdadeiras lendas da Roma, como sempre um ao lado do outro.

O objetivo primordial de Daniele De Rossi nesta reta final de temporada, é classificar os gialorrossis à Champions League. Deste modo, a Roma precisará além de conquistar todos os seis pontos que estarão em disputa nas duas rodadas restantes do Calcio, torcer para os revezes de Atalanta e Milan, quarto e quinto colocados, respectivamente, para que assim, a tão sonhada vaga no torneio continental seja confirmada. Logo, fica evidente que trata-se de uma tarefa bastante indigesta, visto que a equipe romana não depende apenas de si para alcançar este feito.

Ocupando a sexta posição na tabela do Calcio com 62 pontos ganhos, a Roma realizou uma campanha bastante abaixo das expectativas nesta temporada, até porque os giallorossis foram semifinalistas na edição passada da Champions League. Depois de sucumbirem diante do Porto nas oitavas de final do torneio europeu, a diretoria romanista decidiu demitir o então treinador, Eusebio Di Francesco, que foi substituído por Claudio Ranieri, aquele mesmo, campeão inglês com o Leicester em 2016, e que teve uma boa passagem pela Roma entre os anos de 2009 a 2011.

Daniele De Rossi herdou a braçadeira de capitão da Roma em 2017, após a aposentadoria de Francesco Totti.
Daniele De Rossi herdou a braçadeira de capitão da Roma em 2017, após a aposentadoria de Francesco Totti.

Ao contrário de Francesco Totti, Daniele De Rossi não irá pendurar as chuteiras depois de despedir-se da Roma, a ideia do volante campeão mundial em 2006 é jogar por pelo menos mais um ano ou dois anos em algum clube que não venha a competir contra o time da capital italiana, ou seja, provavelmente ele escolherá o mercado asiático ou norte-americano para atuar. A propósito, a intenção de De Rossi era permanecer na Roma, mas como a escolha pela não renovação de seu contrato partiu do próprio clube, coube ao atleta somente aceitar esta decisão. Através de seu twitter oficial, a Roma postou a seguinte mensagem:

"Há quase 18 anos, um jovem Daniele De Rossi estreava na Roma contra o Anderlecht. Contra o 
Parma, no Olímpico, jogará sua última partida com nosso manto. Será o fim de uma era", divulgou
a Roma no Twitter.

Como a Roma encerrará a sua participação no Calcio enfrentando o Parma no estádio Olímpico, essa partida acabará sendo a última de Daniele De Rossi com a camisa romanista, lembrando que antes disso, os giallorossis enfrentarão o Sassuolo, fora de seus domínios. Para finalizar, a confirmação da saída de Daniele De Rossi é outro indício de que a equipe romana continua seguindo à risca o seu projeto de reformulação, haja vista a troca no comando técnico do time, além da dispensa de Ramón Rodríguez Verdejo, o Monchi, apontado como um dos melhores diretores de futebol da atualidade, que foram realizadas pelo clube italiano mesmo com a temporada estando a pleno vapor.

Deixar um comentário

Menu