A decepcionante seleção de Tite

O empate sem gols do Brasil diante da Venezuela na Arena Fonte Nova, pela 2ª rodada da fase de grupos da Copa América, reflete da melhor maneira possível, o quão chatos são os jogos da seleção comandada por Tite.

Quando o Campeonato Brasileiro foi paralisado em virtude da disputa da Copa América, o grande público brasileiro ficou realmente indignado. Isso pôde ser visto através das redes sociais, aonde torcedores dos mais diversos clubes reclamavam com extrema contundência pelo fato desta pausa, e obviamente, por terem que assistir a chatíssima equipe de Tite em ação. Todas essas constatações vieram à tona, ao notarmos a abrupta queda na audiência das transmissões das partidas da Seleção Brasileira. Além disso, a baixa média de público registrada nos jogos do Brasil, aliada as constantes vaias destinadas tanto ao técnico quanto aos jogadores tupiniquins, demonstram que a torcida realmente não suporta mais o selecionado verde e amarelo.

Seria uma tremenda injustiça, jogar toda a culpa do desprezo do público brasileiro para com a seleção, encima única e exclusivamente do técnico Tite. Este fenômeno já vem ocorrendo há anos, acredito que a última Seleção Brasileira que ainda despertou carinho no povo, foi a equipe campeã mundial na Copa de 2002, época em que o treinador Luiz Felipe Scolari a apelidou de “Família Scolari”. A união da “família”, juntamente com o talento de Ronaldo “Fenômeno”, Rivaldo, Ronaldinho Gaúcho, Cafú, Roberto Carlos e Denílson, foram aspectos preponderantes para que essa admiração ainda existisse por parte dos torcedores.

Somente 39.622 pagantes acompanharam a modorrenta partida entre Brasil x Venzuela. Os poucos torcedores que foram quase dormiram na Fonte Nova.
Somente 39.622 pagantes acompanharam a modorrenta partida entre Brasil x Venezuela. Os poucos torcedores que estiveram presentes na Fonte Nova, quase dormiram.

Depois da conquista do pentacampeonato, o amor do torcedor pela Seleção foi diminuindo cada vez mais, e diversos motivos colaboraram para que isso ocorresse. O primeiro deles foi a internacionalização dos jogadores, ou seja, a maior parte dos atletas brasileiros atuam no exterior, portanto os torcedores os acompanham muito pouco, gerando uma perda de identificação, ao contrário da gloriosa época de Pelé, aonde todos atuavam no País. Deste modo, não me restam dúvidas de que os Canarinhos teriam mais apoio caso o treinador gaúcho convocasse somente figuras que atuam no futebol nacional para disputar a Copa América.

O pífio futebol apresentado pelo Brasil dentro de campo, o altíssimo preço dos ingressos, além do estrelismo do técnico Tite, são elementos que também contribuem para que a Seleção Brasileira seja desprezada pelo próprio povo. Aliás, no dia 27 de março, escrevi um artigo sobre o complexo dialeto utilizado por Tite em suas entrevistas, outro detalhe que exemplifica porque os torcedores não suportam mais o treinador gaúcho. Segue o link: https://www.soccerblog.com.br/2019/03/27/o-complexo-dialeto-tites

Mais chato do que assistir aos jogos da Seleção Brasileira, é ter de aguentar as entrevistas do chato, Tite.
Mais chato do que assistir aos jogos da Seleção Brasileira, é ter de aguentar as coletivas do técnico Tite.

O melhor remédio para que a Seleção Brasileira ganhasse novamente o público brasileiro, seria jogando um futebol vistoso, ofensivo, intenso, isto é, da maneira que o povo gosta. A propósito, Tite poderia facilmente ter utilizado esta estratégia, afinal, a Copa América está sendo disputada no Brasil, e por incrível que pareça, os pentacampeões mundiais deram a sorte de cair no grupo mais fácil da competição, ao lado de Bolívia, Venezuela e Peru. Portanto, os comandados de Tite tinham em mãos a grande oportunidade de terminar a primeira fase goleando os seus adversários.

No entanto, Tite conseguiu a façanha de não obter nem ao menos 100% de aproveitamento na primeira fase da Copa América. Na 1ª rodada do torneio, o Brasil bateu a Bolívia por 3 a 0 no Morumbi, mesmo assim, a Seleção Brasileira saiu de campo vaiada no intervalo, tudo em decorrência do péssimo futebol apresentado. Não à toa, a cada gol marcado pela Seleção na segunda etapa, Tite comemorava à beira do gramado como se fosse um título ganho, uma cena ridícula de ver. Posteriormente, na 2ª rodada, o Brasil conseguiu a proeza de empatar por 0 a 0 com a Venezuela na Fonte Nova, e como não poderia deixar de ser, foi vaiada pelos pouco mais de 39 mil pagantes presentes na arena.

O próximo compromisso do Brasil será no sábado (22), contra o Peru, na arena Corinthians, neste embate que vale a liderança do grupo. Diante deste trágico cenário, tenho plena convicção de que Tite só ficará na Seleção Brasileira caso erga o caneco do torneio sul-americano, algo difícil de imaginar para um selecionado que sofre demasiadamente para furar a retranca de equipes compactas em suas defesas, que não apresenta nenhuma variação tática durante os jogos, e que zela pela mesmice, atuando sempre com dois pontas, dois volantes, um meia abastecendo o ataque, e um centro-avante fixo. Assim, as chances da seleção de Tite conquistar a Copa América após longos 12 anos de jejum, são praticamente nulas.

 

2 Comentários

  1. Carlos alberto Responder

    O que mais desmotiva o torcedor e vc assistir um campeonato brasileiro sendo interrompido durante 4 anos por amistosos da seleção.o cliente do futebol e o torcedor.gol contra o torcedor:amistosos, vários campeonatos ao mesmo tempo,paralisações a toda hora. O torcedor assiste seu clube montar várias escalações durante o campeonato por estas razões.

    • JoaoRicardo Responder

      Concordo amigo, jogos da Seleção Brasileira só atraem o interesse dos torcedores durante a Copa do Mundo, e olhe lá. Já passou da hora da CBF parar de marcar amistosos caça-niqueis visando única e exclusivamente o seu próprio enriquecimento, e ainda por cima, acaba prejudicando os clubes. Obrigado pelo comentário, é uma satisfação tê-lo aqui, e volte sempre!

Deixar um comentário

Menu