Hegemonia colocada em xeque

O início da temporada 2019/20 não poderia ter sido pior para o Bayern Munique, isso porque a derrota dos bávaros frente o Borussia Dortmund, por 2 a 0, pela decisão da Supercopa da Alemanha, já foi suficiente para gerar uma enorme pressão sobre os atuais heptacampeões alemães.

Pressionado, assim o Bayern Munique estreará na Copa da Alemanha na próxima segunda-feira (12), contra o Energie Cottbus. Embora o Gigante da Baviera tenha erguido o troféu da Bundesliga sete vezes nos últimos sete anos, a equipe iniciará a temporada 2019/20 com a corda no pescoço, especialmente o técnico Niko Kovac, que não conseguiu cair nas graças da torcida desde que chegou ao clube bávaro no ano passado. E se pararmos para avaliar o desempenho do técnico croata à frente do Bayern, notaremos que ele faz um ótimo trabalho, pois nos 50 jogos em que esteve no comando do time até aqui, o jovem treinador de 47 anos de idade acumula 35 vitórias, 9 empates e seis derrotas, obtendo 76% de aproveitamento através deste bom histórico.

Vale ressaltar ainda, que Niko Kovac sagrou-se campeão tanto da Bundesliga quanto da Copa da Alemanha, logo em seu primeiro ano comandando o Bayern. No entanto, o motivo que levou os torcedores bávaros a questionarem o trabalho do treinador croata, foi a abrupta queda de rendimento da equipe dentro de campo. Não à toa, os pupilos de Niko Kovac só conseguiram garantir o título alemão na última rodada do campeonato. Além disso, o revés do Bayern diante do Liverpool, por 3 a 1, em plena Allianz Arena, pelas oitavas de final da Champions League, que culminou com a eliminação dos alemães no torneio continental, também acabou gerando um elevado grau de desconfiança na maior parte da torcida.

De todas as campanhas do heptacampeonato do Bayern, os bávaros tiveram pior desempenho na última conquista, sob o comando de Niko Kovac.
De todas as campanhas do heptacampeonato alemão do Bayern, os bávaros tiveram pior desempenho na última conquista, sob o comando de Niko Kovac.

A verdade é que Niko Kovac já sentiu a pressão que é comandar Bayern Munique desde a sua estreia pelo clube, uma vez que o seu antecessor Jupp Heynckes, é um dos maiores símbolos do time bávaro, sobretudo porque foi sob o comando do lendário treinador que a equipe conquistou a tríplice coroa alemã na temporada 2012/13. E para piorar ainda mais a situação, o sucessor de Heynckes no Bayern foi nada mais nada menos do que Pep Guardiola, que trabalhou durante três anos no Gigante da Baviera. Desta maneira, Niko Kovac chegou ao Bayern com a difícil tarefa de substituir estes dois grandes técnicos, uma pressão que nem o experiente Carlo Ancelotti suportou. Confira abaixo, o desempenho do Bayern desde o início do heptacampeonato:

  • 2012/13 – 91 pontos – técnico: Jupp Heynckes
  • 2013/14 – 90 pontos – técnico: Pep Guardiola
  • 2014/15 – 79 pontos – técnico: Pep Guardiola
  • 2015/16 – 88 pontos – técnico: Pep Guardiola
  • 2016/17 – 82 pontos – técnico: Carlo Ancelotti
  • 2017/18 – 85 pontos – técnico: Jupp Heynckes
  • 2018/19 – 78 pontos – técnico: Niko Kovac
A novela envolvendo o alemão Leroy Sané está prestes a ter um fim, já que o Manchester City aceitou a proposta de 110 milhões de euros (R$ 470 milhões) pelo atleta de 22 anos.
A novela envolvendo o alemão Leroy Sané está prestes a ter um fim, já que o Manchester City aceitou a proposta de 110 milhões de euros (R$ 470 milhões) pelo atleta de 22 anos, que por sua vez, receberá cerca de 75 milhões de reais por temporada.

Diante de todo este cenário, já erá evidente que os heptacampeões alemães iniciariam a temporada pressionados, e essa pressão aumentou ainda mais depois que eles perderam do Borussia Dortmund, por 2 a 0, no sábado passado, resultado que deixou os bávaros com o vice-título da Supercopa da Alemanha. Apesar do Bayern ter dominado o jogo na maior parte do tempo, registrando 66% de posse de bola contra 34% dos auri-negros, além de ter finalizado mais vezes ao gol adversário durante os noventa minutos (15 a 5), a equipe de Munique saiu de campo derrotada frente o seu grande rival, lembrando que esta foi a segunda derrota de Niko Kovac no Klassiker (perdeu na temporada anterior por 3 a 2).

No entanto, essa derrota para o Borussia Dortmund já era mesmo esperada, visto que os auri-negros tiveram a oportunidade de jogar em casa, diante da pulsante Muralha Amarela. Ademais, o Bayern deu início a seu pequeno processo de reformulação, depois que os veteranos Rafinha, Arjen Robben e Franck Ribéry, três grandes ídolos da torcida bávara, deram adeus ao clube assim que a temporada 2018/19 chegou ao fim. Para os seus lugares, foram contratados os jogadores Lucas Hernández, por 80 milhões de euros, Benjamin Pavard, por 35 milhões de euros, além do novato atacante Jann-Fiete Arp, considerado uma das maiores promessas do futebol alemão, que veio por 3 milhões de euros.

Desde modo, somente com a chegada destes três novos reforços, os bávaros já desembolsaram o montante de 118 milhões de euros (495,6 milhões de reais), um valor realmente altíssimo para os padrões do Bayern, tanto é, que esta já é a janela mais cara da história do clube alemão. E por incrível que pareça estes números superarão a casa dos 200 milhões de euros, pois o Bayern está prestes a anunciar a contratação de Leroy Sané, atacante do Manchester City, pela bagatela de 110 milhões de euros (R$ 470 milhões). Para se ter uma ideia, caso esta negociação seja mesmo confirmada, ela será a maior da história do futebol alemão. Portanto, é assim, reformulado e pressionado, que o Gigante da Baviera dará início a sua longa caminhada rumo ao octa da Bundesliga!

 

 

Deixar um comentário

Menu