Série B é coisa do passado!

Foram exatos 21 longos anos de espera para que enfim o Bragantino retornasse à elite do futebol brasileiro. E a franquia tupiniquim da empresa fornecedora de bebidas energéticas, Red Bull, promete vir forte para a disputa do Brasileirão em 2020.

Como já era esperado, o projeto da Red Bull de chegar ao patamar mais alto do futebol brasileiro se concretizou na noite de ontem, quando o Bragantino bateu o Guarani por 3 a 1 no estádio Nabi Abi Chedid, em partida válida pela 33ª rodada da Série B do Brasileirão 2019. Este resultado, garantiu o acesso da equipe de Bragança Paulista com cinco rodadas de antecedência. A propósito, a campanha dos pupilos de Antônio Carlos Zago foi realmente incrível na competição, visto que eles colecionaram o total de 19 vitórias, 8 empates e apenas seis derrotas em 33 jogos, obtendo assim, 65,7% de aproveitamento no campeonato.

Diante de todo este cenário, fica evidente que o trabalho desenvolvido pelo treinador Antônio Carlos Zago é digno de aplausos. A última vez que o Bragantino disputou a primeira divisão foi no ano de 1998, sendo que naquela oportunidade, o time acabou sendo rebaixado depois de encerrar o torneio na 23ª posição da tabela. Antes disso, em 1991, o conjunto do interior paulista havia marcado história no Campeonato Brasileiro, já que a equipe na época comandada por Vanderlei Luxemburgo, ficou com o vice-título da competição após perder a decisão para o São Paulo, enquanto na edição seguinte (1992), o Braga terminou na terceira posição.

No início do ano, a Red Bull investiu 50 milhões no Bragantino, visando o retorno da equipe ao primeiro escalçao do futebol brasileiro. Em 2020, o time passará a se chamar Red Bull Bragantino.
Antes do início da Série B, a Red Bull investiu 50 milhões no Bragantino, visando o retorno da equipe ao primeiro escalão do futebol brasileiro. A partir de 2020, o time passará a se chamar Red Bull Bragantino.

Em contrapartida, depois de seu último rebaixamento no Brasileirão em 1998, o Bragantino amargurou longos anos lutando bravamente para sobreviver na Série B, e por vezes, chegou a cair para a Série C. A explicação para essa queda de rendimento é a falta de dinheiro, uma situação bastante conhecida pelas equipes do interior. Mas as coisas começaram a mudar de rumo este ano pelos lados de Bragança Paulista, tudo por conta do interesse da Red Bull em fazer uma parceria com o Braga, parceria esta, que viria a ser benéfica para ambas as partes.

E os frutos dessa união começaram a ser colhidos de maneira rápida, afinal, o Bragantino literalmente não tomou conhecimento de seus adversários na Série B. Vale ressaltar, embora essa parceria ainda não estivesse firmada no Campeonato Paulista, o extinto, Red Bull Brasil, realizou a melhor campanha na primeira fase do Paulistão, superando inclusive os quatro grandes clubes de São Paulo. Entretanto, o time dirigido pelo próprio Antônio Carlos Zago acabou sucumbindo diante do Santos nas quartas de final. Já o Bragantino, ficou na lanterna do grupo C do torneio, atrás de Corinthians, Ferroviária e Mirassol, respectivamente.

Os números do Red Bull Bragantino mostram que o time sobrou em relação aos seus adversários na Série B. Por essas e outras, a equipe de Antônio Carlos Zago é considerada o Flamengo da Segunda Divisão.
Os números do Bragantino mostram que o time sobrou em relação aos seus adversários na Série B. Por essas e outras, o Braga é considerado o Flamengo da segunda divisão.

O intuito da companhia austríaca em firmar essa aliança com o Bragantino era subir o mais rápido possível à Série A, sem a necessidade de disputar divisões inferiores, lembrando que o Braga já estava na Série B. Obviamente, parcerias não são sinônimo de sucesso, muito pelo contrário, basta recordarmos das uniões envolvendo o Flamengo e a ISL, ou a do Corinthians com a Hicks Muse. Todavia, esta junção entre Red Bull e Bragantino tinha tudo para dar certo, sobretudo porque a fornecedora de bebidas energéticas tem experiência de sobra em gerir equipes de futebol, como são os casos do Leipzig, Salzburg e do New York, ou seja, todas franquias gerenciadas pela Red Bull.

O futebol jogado pelo Bragantino dentro de campo somente comprova que este “casamento” entre a multinacional europeia e o clube do interior paulista já deu certo. Dono tanto do melhor ataque (56 gols marcados) como da melhor defesa (23 gols sofridos) da Série B, o Braga é a agremiação que registra o maior índice de posse de bola dentre todos os participantes do torneio, obtendo uma média de 60,9% de posse por partida, além de ser o time que mais troca passes no torneio. O Massa Bruta também é líder no quesito finalizações, assinalando 13,6 arremates por jogo. Em termos defensivos, a equipe não foi vazada em 16 dos 33 compromissos realizados pela competição, sendo o participante que passou mais rodadas sem sofrer gols no campeonato.

Em 2020, a Red Bull injetará a bagatela de 200 milhões de reais em sua franquia brasileira, e não apenas visando a contratação de reforços de peso, mas sim, tendo como prioridade realizar melhorias nas categorias de base do clube, além de dar continuidade ao processo de modernização do estádio Nabi Abi Chedid. Por ora, o objetivo principal do Braga é erguer o caneco da Série B. No entanto, não restam dúvidas de que a partir de agora veremos o Red Bull Bragantino alçando vôos cada vez mais altos, afinal, através de um trabalho sério, com planejamento, competência, organização e uma gestão eficaz, é possível tonar qualquer equipe mediana em uma potência futebolística!

 

 

 

 

Deixar um comentário

Menu