80 anos do Rei Pelé!

O dia 23 de outubro é mais do que especial para todos os apaixonados por futebol, afinal, é a data comemorativa do aniversário de Pelé, que hoje, terá oitenta velinhas para assoprar. Ainda assim pouco por tudo o que o Rei representa no mundo da bola.

No dia 23 de outubro de 1940, nascia na pequena cidade mineira de Três Corações, a maior lenda do futebol, Pelé. Conhecido mundialmente como Rei, Edson Arantes do Nascimento, o filho de “seu Dondinho” e “dona Celeste”, jogou quase toda a carreira no Santos, clube pelo qual conquistou uma série de títulos, dentre os principais, duas Copas Libertadores (1962 e 1963), dois Torneios Mundiais de Clubes (1962 e 1963), além de seis edições do Campeonato Brasileiro (1961, 1962, 1963, 1964, 1965 e 1968) e dez do Campeonato Paulista (1958, 1961, 1962, 1963, 1964, 1965, 1967, 1968, 1969 e 1973).

Além do Santos, Pelé também defendeu as cores do New York Cosmos, clube norte-americano que o Rei atuou entre os anos de 1975 e 1977 – até encerrar a carreira -, com o intuito de promover o futebol na terra do Tio Sam. No entanto, é importante destacar a incrível trajetória do camisa 10 na Seleção Brasileira, haja vista as façanhas e os títulos conquistados por ele com a amarelinha. Para se ter uma ideia, Pelé venceu TRÊS Copas do Mundo pelo Brasil (1958, 1962 e 1970), e continua sendo o maior artilheiro do selecionado tupiniquim com 77 tentos marcados.

Ao longo dos seus 21 anos como atleta profissional, Pelé balançou as redes adversárias o montante de 1281 vezes em 1363 jogos, um feito jamais alcançado por nenhum outro atleta até hoje. Dono de dezenas de recordes, o Rei se transformou em uma grande celebridade mundial graças ao sucesso futebolístico. Consequentemente, ele passou a ser tão conhecido quanto ilustres figuras como o Papa, a Rainha Elizabeth, os Beatles ou o cantor Michael Jackson.

A propósito, a popularidade de Pelé é tão grande, que ele já chegou a participar de filmes ao lado de artistas renomados como é o caso de Sylvester Stallone, no longa “Fuga para a Vitória”, gravado em 1981. No cinema nacional, o eterno camisa 10 integrou o elenco de “Os Trombadinhas” e “Os Trapalhões e o Rei do Futebol”, em 1979 e 1986, respectivamente. Na música, Pelé também já fez parceria com Elis Regina nos duetos “Vexamão” e “Perdão Não Tem Vez”.

E se pararmos para pensar que a carreira inteira do Rei se passou em uma época aonde as poucas pessoas que tinham condições de ter uma televisão, assistiam os jogos em preto em branco, notaremos que Pelé é realmente um fenômeno, sobretudo porque até hoje o reverenciamos mesmo diante de um acervo bastante limitado de vídeos e imagens. Não à toa, Pelé virou referência quando mencionamos alguma pessoa como a melhor, por exemplo: Michael Jordan, o Pelé do Basquete; Muhammad Ali, o Pelé do Boxe; Roberto Carlos, o Pelé da Música.

Inúmeras são as comparações feitas entre Pelé e outros craques do futebol mundial como Lionel Messi e Cristiano Ronaldo. Isso também ocorreu na década de 80 com Diego Maradona, e continuará acontecendo porque o mundo não para de girar. No entanto, nenhum deles foi capaz de superar o brasileiro, afinal, qual deles foi capaz de marcar seis gols a partir das quartas-de-final de uma Copa com apenas 17 anos? Aliás, se Pelé jogasse nos tempos atuais com essa idade, certamente já estaria brilhando com a camisa de um gigante europeu, com um contrato pra lá de milionário em mãos.

Para finalizar, a melhor definição que já vi sobre Pelé foi a dada pelo ex-zagueiro do Manchester United e da seleção Inglesa na Copa do Mundo de 1970, Pat Crerand, que ao ser perguntado sobre como se soletrava Pelé, ele simplesmente respondeu: G-O-D! Pois é, Edson Arantes do Nascimento não apenas levou, mas honrou o nome do Brasil em todos os cantos do mundo, e de forma natural se tornou o personagem mais representativo do País, em 520 anos de história. Por essas e outras, parabéns Pelé, o eterno Rei do Futebol!

Deixar um comentário

Menu