Vexame histórico no Dragão

A temporada 2019/20 mal começou, e o Porto, atual vice-campeão português, já vive uma tremenda crise, tudo em decorrência da inusitada derrota do conjunto portista frente o Krasnodar, por 3 a 2, em pleno estádio do Dragão, pela terceira fase pré-eliminatória da Champions League.

O Porto iniciou a sua caminhada na atual temporada bastante pressionado, isso porque na edição anterior da Primeira Liga, os Dragões deixaram a grande oportunidade de conquistar o bicampeonato português escapar de suas mãos, uma vez que o campeão, Benfica, passou por momentos bastante conturbados ao longo da competição, tendo inclusive mudado de treinador durante a disputa do torneio. Desta maneira, a pressão sobre o treinador Sérgio Conceição já existia há tempos pelos lados do Dragão, embora a equipe tenha erguido o caneco da Supercopa de Portugal e conquistado o campeonato nacional no ano passado.

E foi justamente pelo fato do Porto ter encerrado a sua participação na vice-posição da Primeira Liga, que a equipe azul e branca não conseguiu garantir a sua vaga direta à fase de grupos da Champions League, portanto, para alcançar este estágio da competição, o time português precisaria superar a fase pré-eliminatória do torneio continental. Assim, os Dragões teriam de passar pelo Krasnodar, terceiro colocado na edição passada da liga russa, ou seja, um adversário bastante indigesto. Aliás, vale ressaltar que a estreia dos comandados de Sérgio Conceição nesta temporada ocorreu exatamente neste embate contra os russos.

A temporada 2019/20 do Porto já começou sendo um desastre, pois além da eliminação da Champions League. os Dragões foram derrotados pela primeira vez nos últimos dezoito anos em uma partida de estreia pela liga nacional.
A temporada 2019/20 do Porto já começou sendo um desastre, pois além da precoce eliminação na Champions League, os Dragões foram derrotados pela primeira vez nos últimos dezoito anos em uma partida de estreia pela liga nacional.

Apesar de ser somente o seu primeiro jogo na temporada, o Porto mostrou-se bem durante os noventa minutos do confronto diante do Krasnodar, tanto é, que a equipe portuguesa bateu os russos pelo placar mínimo, graças ao gol de Sérgio Oliveira, regressando pra casa com um bom resultado na bagagem. Deste modo, bastava ao Porto somente empatar com o time russo no jogo de volta, no estádio do Dragão, para que os Dragões avançassem à última fase pré-eliminatória da Champions League.

No entanto, o castelo de areia do Porto começou a desabar na estreia do time na Primeira Liga, visto que os Dragões foram derrotados pelo modesto Gil Vicente, equipe recém-promovida à elite do futebol português, por 2 a 1, lembrando que os Dragões não perdiam na 1ª rodada da liga há exatos dezoito anos. Embora o jogo tenha sido disputado em Barcelos, isto é, na casa do adversário, todos esperavam uma vitória até certo ponto tranquila do Porto, já que o técnico Sérgio Conceição mandou à campo uma formação praticamente completa, poupando somente três atletas titulares.

A permanência de Sérgio Conceição, há quatro anos no comando técnico do Porto, é bastante improvável após a eliminação do time na fase pré-eliminatória da Champions League.
A permanência de Sérgio Conceição, há quatro anos no comando técnico do Porto, é bastante improvável após o fiasco do time português frente o Krasnodar.

Mesmo com a derrota diante do Gil Vicente, os torcedores portistas acreditavam na qualificação de sua equipe à próxima fase da Champions League, não à toa, eles lotaram as dependências do estádio do Dragão para apoiar o seu time. Mas para a tristeza de toda a nação azul e branca, o Porto realizou mais uma partida pífia, e caiu diante do Krasnodar, por 3 a 2, atuando em seus próprios domínios. Para se ter uma ideia, o primeiro tempo dos portugueses foi tão ruim, que os russos abriram uma vantagem de 3 a 0 no marcador, selando a sua classificação ainda nos 45 minutos iniciais do jogo.

Em virtude desta trágica eliminação, o Porto deixou de arrecadar o montante de 44 milhões de euros (R$ 196,68 milhões), valor pago pela UEFA aos clubes que avançam à fase de grupos da Champions League. Com isso, a diretoria portista, que havia planejado o restante da temporada contando com esse dinheiro, já projeta vender algum jogador ainda nesta janela de transferências, para não gerar um rombo no caixa do clube. Obviamente, as equipes que disputam a Europa League também são remuneradas pela entidade, porém as cifras pagas não são tão altas. Na temporada passada por exemplo, o Porto faturou 78,44 milhões de euros (R$ 370,24 milhões) por ter chegado nas quartas de final da Champions League, uma quantia que os Dragões não receberão nem se forem campeões da Europa League.

Através dos altos investimentos realizados pelo Porto nesta janela de transferências (R$ 283,2 milhões), fica evidente que o objetivo do clube azul e branco era realmente disputar a Champions League. Diante disso tudo, a única boa notícia aos portistas, é que a última vez que os Dragões disputaram a Europa League, eles venceram a competição, feito este, alcançado na temporada 2010/11. Na época, o time português era dirigido pelo técnico André Villas-Boas, e derrotou o conterrâneo Sporting Braga, na decisão (em Dublin), por 1 a 0, gol do atacante Falcão García. Logo, é somente dando a volta olímpica pelo torneio europeu, que o Porto será capaz de apagar a péssima imagem deixada por esta vexatória eliminação diante do Krasnodar. Aguardemos o decorrer da temporada!

Deixar um comentário

Menu