Arsenal e Mourinho, será possível essa aliança?

A queda do Arsenal frente o Liverpool nas oitavas de final da Copa da Liga Inglesa, aumentou ainda mais a pressão sobre a diretoria do clube londrino, sobretudo porque José Mourinho continua livre no mercado.

Torcer para o Arsenal não está sendo uma tarefa fácil aos Gunners nos últimos anos, haja vista a sucessão de fracassos acumulados pelo time da capital inglesa na atual década. Aliás, foi exatamente por este motivo (fracassos) que a diretoria do clube demitiu Arsène Wenger na temporada retrasada, entendendo que a desgastada imagem do treinador francês junto à torcida só estava fazendo o Arsenal caminhar na contramão. Entretanto, a chegada de Unai Emery ao comando técnico da equipe não mudou em nada a realidade dos Gunners, já que o filme continua se repetindo no Emirates Stadium, ou seja, as constantes derrotas em clássicos, eliminações em momentos decisivos e a escassez de títulos, seguem assombrando o conjunto londrino.

A temporada passada, foi a primeira de Unai Emery à frente do Arsenal e a primeira do Arsenal sem Arsène Wenger após 22 anos. E no final das contas, o desempenho da equipe deixou bastante à desejar, visto que os Gunners encerraram a sua participação na Premier League ocupando a quinta posição na tabela somando 70 pontos em 38 jogos disputados (61,4% de aproveitamento), campanha que deixou o time de fora da Champions League pela terceira vez consecutiva. Mas o pior momento vivido pelos Gunners naquela oportunidade, deu-se na decisão da Europa League, realizada em Baku (Azerbaijão), quando eles foram goleados pelo Chelsea, por 4 a 1. Na ocasião, o golpe sofrido por este duro revés foi tão grande que a permanência de Unai Emery no Emirates Stadium chegou a ser colocada em xeque pela própria diretoria.

O único ponto positivo do Arsenal nesta temporada, é o atacante Gabriel Martinelli, que em sete jogos pelos Gunners marcou sete gols e deu duas assistências.
O único ponto positivo do Arsenal na atual temporada é o atacante Gabriel Martinelli, que marcou sete gols e deu duas assistências em sete jogos defendendo as cores dos Gunners.

Acontece, que o Arsenal vem passando pelo mesmo drama nesta temporada, drama este, que só aumentou depois da eliminação dos pupilos de Unai Emery diante do Liverpool na tarde de ontem em Anfield, pelas oitavas de final da Copa da Liga Inglesa. Embora os Gunners tenham enfrentado os atuais campeões europeus, fora de casa, o treinador adversário, Jurgen Klopp, mandou à campo uma equipe alternativa e repleta de jovens, como eram os casos de Caoimhin Kelleher, Neco Williams, Sepp van den Berg, Harvey Elliott e Rhian Brewster. Por conta destes aspectos, todos esperavam um triunfo do Arsenal, que embora tenha escalado o time reserva, tinha a seu favor a experiência dos calejados Héctor Bellerín, Rob Holding, Shkodran Mustafi, Sead Kolasinac e Mesut Ozil.

Mas por incrível que pareça, mesmo depois do Arsenal abrir por duas vezes, boas vantagens em relação aos anfitriões no placar (3 a 1, e 4 a 2), ele cedeu o empate ao Liverpool nos acréscimos do jogo, que terminou empatado em 5 a 5. Nas penalidades, os Gunners acabaram perdendo por 5 a 4, em decorrência da cobrança desperdiçada por Dani Ceballos. Obviamente, nem os torcedores mais fanáticos de Arsenal e Liverpool imaginavam que veriam um duelo tão eletrizante como este, porém é fato que se ambos tivessem jogado com suas formações titulares, a história seria outra, uma vez que o nível técnico da partida foi bastante abaixo das expectativas, lembrando até confrontos de equipes sub-20 em razão dos diversos erros cometidos pelos dois times durante os noventa minutos da peleja.

Livre no mercado, José Mourinho é o maior sonho de consumo do Arsenal na atualidade.
Livre na praça, José Mourinho é o maior sonho de consumo do Arsenal na atualidade.

Com mais este fiasco de Unai Emery no comando dos Gunners, os rumores de que José Mourinho acertará com o clube da capital inglesa voltou a repercutir nos tabloides ingleses na manhã desta quinta-feira. Desempregado desde que saiu do Manchester United às vésperas do último Natal, o Special One veria com bons olhos a possibilidade de uma possível ida ao Emirates Stadium. Entretanto, para que isso realmente se concretize, o Arsenal precisará convencer o treinador português através de um projeto extremamente sólido e ambicioso, que o clube tem pretensões de conquistar títulos e que não poupará esforços para formar um time capaz de cumprir todos estes objetivos.

Vale ressaltar, que José Mourinho já rejeitou propostas de diversos clubes do Velho Continente, dentre eles o Newcastle, o Valência e o Lyon. Por sinal, o presidente do time francês, Jean-Michel Aulas, afirmou publicamente que o português ainda mantém vivo o desejo de trabalhar na Inglaterra, pois tem o intuito de fazer história em três diferentes clubes ingleses. O grande interesse do Tottenham no ex-treinador de Chelsea e Manchester United, nos levava a crer que o White Hart Lane seria o destino do Special One, ainda mais após o péssimo início de temporada dos Spurs. No entanto, nada disso se concretizou, e enquanto Mauricio Pochettino segue firme no comando da equipe do norte de Londres, Mourinho continua disponível no mercado.

Evidentemente, se compararmos o currículo dos técnicos Unai Emery e José Mourinho, notaremos que o português levará uma ampla vantagem sobre o espanhol em quase todos os quesitos. E para piorar ainda mais a situação de Emery, a diretoria do Arsenal entende que o clube necessita de um treinador cascudo, capacitado para lidar com a enorme pressão que assola o Emirates Stadium há anos. Deste modo, os 305 jogos de Mourinho pela Premier League já demostram que ele tem bagagem de sobra para dirigir o time londrino. Diante de todo este cenário, é nítido que a união envolvendo Arsenal e José Mourinho seria benéfica para ambas as partes, afinal, estamos nos referindo a duas grandiosas figuras, o clube e o treinador, que encontram-se apagadas no mundo da bola. A ver!

 

 

Deixar um comentário

Menu