À beira do rebaixamento

Último colocado da tabela da Scottish Premiership, o Hearts, tradicional clube do futebol escocês, está prestes a sofrer o seu segundo rebaixamento na atual década.

Heart of Midlothian Football Club, clube fundado no ano de 1874 (há 146 anos), em Edimburgo, capital da Escócia. O Hearts (tradução de corações), como é popularmente chamado, viveu a sua hegemonia entre os anos de 1954 a 1962, gloriosa época em que a equipe ergueu dois canecos da liga escocesa, um da Copa da Escócia e quatro da Copa da Liga Escocesa. Vale ressaltar, que a última liga nacional conquistada pelos Jambos deu-se na temporada 1959/60, quando eles faturaram a liga e a Copa da Liga, sendo o único time fora da cidade de Glasgow a fazer a “dobradinha” no país até hoje.

Contudo, apesar desta rica história no futebol escocês, o Hearts vive uma triste realidade no momento, tanto é, que o time corre um sério risco de cair à Segunda Divisão. Para que isso aconteça, basta os organizadores da Scottish Premiership declararem o encerramento da temporada 2019/20, que já encontra-se paralisada desde março em decorrência da pandemia do novo coronavírus, lembrando que restam somente três rodadas para o término da competição. Todavia, o rebaixamento não seria algo inédito pelos lados do Tynecastle Park, visto que o Hearts acumula quatro descensos no currículo.

O último título conquistado pelo Hearts deu-se em 2012, ano em que o time de Edimburgo venceu a Copa da Escócia.
A conquista mais recente do Hearts foi em 2012, ano em que o time de Edimburgo venceu a Copa da Escócia.

Ocupando o último posto na classificação da Scottish Premiership com 23 pontos ganhos, o Hearts coleciona o total de 4 vitórias, 11 empates e 14 derrotas em 30 jogos disputados, obtendo 25,5% de aproveitamento através desta pífia campanha. Entretanto, como a diferença dos pupilos de Daniel Stendel em relação ao Hamilton Academical, penúltimo colocado na tabela, é de apenas quatro pontos, ainda existem chances do conjunto de Tynecastle escapar da degola – na liga escocesa o penúltimo colocado disputa os playoffs do rebaixamento contra o vice-líder da Segunda Divisão.

Mas embora exista a possibilidade do Hearts manter-se na elite do futebol escocês caso a temporada seja finalizada, é muito difícil imaginá-los alcançando este feito, haja vista a péssima performance da equipe na Scottish Premiership. Para se ter uma ideia, o lanterninha do campeonato é o participante que menos venceu partidas na competição (4 triunfos). Além disso, os Jambos são donos da segunda defesa mais vazada da competição com 52 gols sofridos, ao passo que o ataque é somente o sexto melhor do torneio com míseros 31 tentos marcados em 30 jogos (1,03 gols de média).

Como forma de protesto, os torcedores do Hearts estão cuspindo no escudo do clube toda vez que passam em frente ao Tynecastle Park.
Como forma de protesto, os torcedores do Hearts estão cuspindo no escudo do clube toda vez que passam em frente ao Tynecastle Park.

De qualquer forma, nem mesmo o torcedor mais pessimista do Hearts seria capaz de imaginar o seu time voltando à Segunda Divisão após cinco temporadas, sobretudo porque os Jambos têm o terceiro plantel mais valioso da Scottish Premiership, permanecendo somente atrás de Celtic e Rangers, ou seja, as duas principais forças do futebol escocês. Deste modo, fica evidente o quão ruim é o trabalho realizado pelo treinador Daniel Stendel, que inclusive, já é comparado a Gary Locke – técnico que esteve à frente do Hearts no último rebaixamento da equipe em 2014.

Depois de desembarcar em solo escocês no final do ano passado para substituir Craig Levein, Daniel Stendel assumiu o Hearts na 10ª posição da Scottish Premiership. Sob a batuda do ex-treinador do Barnsley, os Jambos caíram para a última colocação na tabela do campeonato. Em contrapartida, o comandante alemão conseguiu a façanha de conduzir a equipe de Edimburgo às semifinais da Copa da Escócia, tudo graças ao triunfo por 1 a 0 frente o Rangers no Tynecastle Park, pelas quartas de final do torneio. Ademais, os dois triunfos sobre o eterno rival, Hibernian, também podem entrar na lista de melhores momentos do Hearts na temporada.

Enquanto o futuro da Scottish Premiership segue indefinido, a diretoria do Hearts continua na torcida para que a liga seja encerrada sem que haja rebaixamento. A proposta apresentada pela presidente do clube Ann Budge, é a favor do acesso tanto do Dundee United quanto do Inverness , isto é, primeiro e segundo colocados da Scottish Championship (Segunda Divisão). Assim, a divisão de elite do futebol escocês passaria a ter 14 participantes – e não mais doze – na sua próxima edição. No entanto, essa mudança mexeria com toda a estrutura do campeonato, algo que vai na contramão do que pensam os organizadores. Logo, a queda do Hearts é praticamente inevitável nesta temporada. A ver!

Deixar um comentário

Menu