Sem margens para erros!

Somando apenas um ponto nas duas primeiras rodadas da Champions League, o Real Madrid corre um sério risco de não avançar à fase mata-mata do torneio, o que seria uma tragédia para o clube mais vezes campeão europeu ao longo da história.

Ocupando a lanterna do grupo B da Champions League com 1 mísero ponto em dois jogos.. eis a situação do Real Madrid no torneio continental. A derrota frente o Shakhtar Donetsk por 3 a 2 em Valdebebas, além do empate diante do Borussia Monchengladbach por 2 a 2 – graças ao gol de Casemiro aos 48 minutos da segunda etapa -, deixaram a equipe em maus lençóis na competição, sobretudo porque os próximo compromissos dos merengues serão contra a Inter de Milão, isto é, a outra principal favorita à vaga nas oitavas de final da chave.

Pois é, de fato causa enorme espanto vermos o Real Madrid realizando uma campanha tão ruim na Champions League, tendo em vista que estamos nos referindo ao maior campeão do torneio continental com 13 canecos no currículo. Todavia, embora o peso da camisa e a tradição sejam critérios relevantes, o futebol praticado dentro das quatro linhas é o fundamento mais importante para o sucesso de qualquer equipe, e é exatamente este aspecto que vem gerando enorme desconfiança nos torcedores madridistas.

Contudo, a verdade é que desde a ida de Cristiano Ronaldo à Juventus, o Real Madrid deixou de ser um time letal em campo. Isso fica evidente através do empate de ontem (27) contra o Borussia Monglengladbach, visto que os alemães marcaram dois tentos nos dois primeiros arremates de Marcus Thuram à meta de Thibaut Courtois, ao passo que os merengues finalizaram o montante de 16 vezes para fazer o primeiro gol aos 41 minutos do segundo tempo.

E não para por aí, já que o setor defensivo do Real Madrid tem se mostrado totalmente ineficaz. Para se ter uma ideia, os atuais campeões espanhóis sofreram 12 gols nos últimos seis jogos válidos pela Champions League, sendo dois do PSG, um do Club Brugge e quatro do Manchester City na edição anterior do torneio, enquanto nesta temporada, eles foram vazados três vezes pelo Shakhtar Donetsk e outras duas pelo Borussia Monchengladbach.

Diante de todos estes dados, fica claro que Zinedine Zidane vem encontrando dificuldades para ajustar o time. Em contrapartida, não restam dúvidas de que o Real Madrid tem motivos de sobra para recuperar os pontos perdidos e avançar às oitavas de final da Champions League. A começar por Eden Hazard, que após ficar um longo período afastado dos gramados devido a uma lesão, voltou ao batente no Borussia Park, e nos poucos minutos em que esteve em ação já deu sinais de que será a peça desequilibrante dos merengues em campo. Todavia, só lhe falta ritmo de jogo.

Ademais, Marco Asensio é outro atleta do elenco madridista que se destacou no empate frente o Borussia Monchengladbach. O ponta de 24 anos de idade foi bastante incisivo durante a partida, ganhando praticamente todas as jogadas no um-contra-um através de sua habilidade e velocidade. No entanto, o histórico repleto de lesões o impossibilita de engatar uma sequência de jogos, portanto, se Asensio conseguir permanecer mais tempo em campo do que no departamento médico, ele certamente formará um poderoso trio de ataque com Eden Hazard e Karim Benzema.

Para finalizar, deve-se levar em consideração o potencial de Zinedine Zidane, afinal, o comandante francês conquistou ONZE títulos desde que assumiu o comando técnico dos merengues em 2016, dentre eles, TRÊS canecos da Champions League. Não à toa, Zidane já ocupa o seleto hall dos treinadores que mais vezes venceram a competição juntamente com Bob Paisley e Carlo Ancelotti. Logo, o Real Madrid continua firme a sua caminhada rumo à 14ª orelhuda, porém a partir de agora, sem margens para errar. É esperar para ver!

Deixar um comentário

Menu