Debandada colchonera

Mesmo antes do término da temporada, diversos atletas do Atlético Madrid já confirmaram que não permanecerão na equipe da capital espanhola, alguns deles por decisão do próprio clube, e outros por livre e espontânea vontade. Logo, já é possível afirmar que os colchoneros estão diante de uma verdadeira debandada.

Embora o vice-campeonato espanhol já esteja garantido ao Atlético Madrid, a campanha dos rojiblancos na temporada 2018/19 foi bastante abaixo das expectativas, sobretudo porque os comandados de Diego Simeone foram precocemente eliminados nas oitavas de final da Champions League, ao perderem da Juventus por 3 a 0 em Turim, depois de vencerem o jogo de ida, em Madrid, por 2 a 0. E não para por aí, visto que pela Copa do Rei, os colchoneros caíram frente o modesto, Girona, também na fase de oitavas de final, ou seja, um desempenho decepcionante, haja vista o enorme investimento realizado pela diretoria para contratar atletas como Thomas Lemar, Gelson Martins, Santiago Arias, Rodri, Nikola Kalinic e Álvaro Morata.

Obviamente, este pífio rendimento foi preponderante para que o treinador Diego Simeone tomasse a decisão de realizar uma série de mudanças no elenco rojiblanco, visando dar a volta por cima na próxima temporada. A primeira iniciativa de Cholo, foi não renovar os contratos de Juanfrán, Filipe Luís e Diego Godín. Aliás, nem mesmo o fato do zagueiro uruguaio ser um dos maiores ídolos na história do Atleti, fez com que ele permanecesse na equipe. A explicação da diretoria pela não permanência destes jogadores, é a idade avançada do trio, que já superaram a faixa dos 32 anos idade.

Ídolo dos colchoneros, o zagueiro Diego Godín vestiu a camisa do Atlético Madrid pela última vez no estádio Metropolitano, no jogo diante do Sevilla, disputado no domingo passado.
Após nove temporadas vestindo a camisa do Atlético Madrid, o zagueiro Diego Godín trocará o clube espanhol pela Inter de Milão.

Como citei anteriormente, as saídas de Juanfrán, Diego Godín e Filipe Luís, três símbolos do clube na era Diego Simeone, foram provenientes de decisões tomadas pelo treinador. Já a situação dos jogadores Santiago Arias, Nikola Kalinic, além dos atacantes Gelson Martins e Luciano Vietto, que encontram-se emprestados ao Monaco e ao Sporting, respectivamente, é diferente, dado que a irregularidade dos atletas levarão o Atlético Madrid à colocá-los na lista de negociáveis na próxima janela de transferências.

Por último, veio à tona o cenário mais inusitado para os colchoneros, isto é, as vendas de Lucas Hernández para o Bayern Munique por 80 milhões de euros (R$ 358 milhões), e a de Antoine Griezmann ao Barcelona por 120 milhões de euros (R$ 538 milhões), uma vez que os franceses são peças fundamentais no time de Diego Simeone. No final das contas, já é certo que nove atletas deixarão o Atlético Madrid após o encerramento da temporada, lembrando que outras propostas podem surgir a partir do instante em que a janela abrir no dia 01 de julho, especialmente porque Diego Costa e Saúl Ñíguez estão na mira de alguns clubes do Velho Continente.

O acerto de Antoine Griezmann com o Barcelona não surpreendeu os torcedores colchoneros, pois o atacante francês sempre manifestou o desejo de defender o time catalão. Por isso, Griezmann deixa o Atleti pela porta dos fundos.
A ida de Antoine Griezmann ao Barcelona não surpreendeu os colchoneros pois o francês sempre manifestou o desejo de defender o Barça. Por isso, Griezmann deixará o Atleti pela porta dos fundos.

Perder jogadores importantes não causa nenhum tipo de espanto ou revolta ao técnico Diego Simeone, que viu Sergio Aguero deixar o Atlético Madrid em 2011 para defender as cores do Manchester City. Posteriormente, foram as vezes de Radamel Falcão García, Diego Costa. Filipe Luís e Arda Turan saírem do clube para alçarem novos vôos em suas carreiras. Agora, a bola da vez é Antoine Griezmann que será a venda mais cara da história do Atleti ao longo da história.

Com essa debandada de atletas, o setor defensivo da equipe será o mais afetado, pois Santiago Arias, Juanfrán, Diego Godín, Lucas Hernández e Filipe Luís compõe uma das defesas mais sólidas do futebol europeu nos últimos anos. Não à toa, o Atlético Madrid é dono da melhor defesa da atual edição da La Liga com somente 27 gols sofridos em 37 jogos disputados, registrando uma média de 0,73 gols por partida. Como apenas Stefan Savic e José Giménez seguirão no Atleti, este setor certamente será o mais reforçado por Diego Simeone.

Enquanto isso, o meio-campo será a área menos afetada, porém tudo vai depender da continuidade ou não de Saúl Ñíguez no time colchonero. Já o setor ofensivo, é outro que passará por mudanças, em decorrência das saídas de Antoine Griezmann, Nikola Kalinic e com a possível venda de Diego Costa. Desta maneira, o Atlético Madrid investirá pesado para reforçar o ataque, até porque dinheiro em caixa é o que não falta. Assim, Edinson Cavani, Paulo Dybala ou Mauro Icardi, podem pintar na equipe espanhola na próxima temporada. No momento, só nos resta mesmo aguardar, afinal, se uma debandada de atletas partiu, outra está prestes à chegar ao Atleti!

 

 

 

Deixar um comentário

Menu