Da Grécia antiga aos dias atuais, a garra está no sangue da Atalanta!

Pela primeira vez ao longo da história, a Atalanta, modesto clube italiano da cidade de Bérgamo, conseguiu a façanha de classificar-se às oitavas de final da Champions League, um feito que ficará marcado eternamente na memória dos torcedores da Dea.

Segundo a mitologia grega, Atalanta é uma deusa importantíssima, que foi abandonada pelo seu pai logo após o seu nascimento, por ele só aceitar ter filhos homens. Abandonada no monte Partênio, a recém-nascida acabou sendo amamentada por uma ursa, até ser adotada por caçadores da região. Assim, ela cresceu matando javalis, centauros, e consequentemente, tornou-se uma caçadora forte, rápida, ágil e feroz. Devido a essa história de extrema superação, Atalanta passou a representar a força das mulheres, e ao lado das deusas Hera, Atena e Nike, se transformou em uma espécie de símbolo do feminismo em todas as partes do mundo todo.

Passados séculos e séculos desde a morte da deusa Atalanta, um clube foi fundado em sua homenagem na cidade de Bérgamo, no ano de 1907 para ser mais específico. Trata-se da Atalanta Bergamasca Calcio, uma equipe mediana do futebol italiano que conquistou apenas o título da Copa da Itália (1962/63) até hoje na história. Acostumada a brigar frequentemente na parte debaixo da tabela do Campeonato Italiano, as coisas começaram a mudar pelo lados do Atleti Azzurri d’Itália depois que o treinador Gian Piero Gasperini desembarcou na Lombardia para assumir o comando técnico da Dea, em 2016. Basta analisarmos a campanha da Atalanta nas três temporadas em que o novo comandante esteve à frente da equipe, confira abaixo:

  • Serie A 2016/17 – 4ª posição – 72 pontos
  • Serie A 2017/18 – 7ª posição – 60 pontos
  • Serie A 2018/19 – 3ª posição – 69 pontos

Perceba que logo em sua primeira temporada comandando a Atalanta, o técnico Gian Piero Gasperini já deixou a equipe de Bérgamo na 4ª posição da tabela da Serie A, a melhor colocação alcançada pelo time até então na competição. Já no ano seguinte, o conjunto azul e preto encerrou a sua participação ocupando o 7º posto na classificação do Calcio. Mas foi mesmo na edição anterior do campeonato que a Atalanta alcançou o maior feito de sua história, ao carimbar pela primeira vez uma vaga na Champions League, superando adversários mais poderosos como eram os casos de Roma, Inter de Milão, Lazio e Milan, tudo graças ao terceiro lugar conquistado no torneio.

Desde 2016 no comando técnico da Atalanta, o treinador Gian Piero Gasperini acumula 81 vitórias, 41 empates e 40 derrotas à frente da Dea, registrando 58,44% de aproveitamento nesses 162 jogos.
Desde 2016 no comando técnico da Atalanta, o treinador Gian Piero Gasperini acumula 81 vitórias, 41 empates e 40 derrotas à frente da Dea, registrando 58,44% de aproveitamento nesses 162 jogos.

Como não poderia deixar de ser, a classificação à Champions League foi comemorada como um verdadeiro título pelos torcedores da Dea, que tomaram as ruas de Bérgamo para festejar a inédita ida da Atalanta ao torneio continental. Entretanto, a caminhada da equipe italiana não começou nada bem na competição, tanto é, que ela saiu de campo derrotada em seus três primeiros compromissos frente Dínamo Zagreb (4 x 0), Shakhtar Donetsk (2 x 1) e Manchester City (5 x 1), respectivamente, resultados que definitivamente não estavam nos planos tanto do time quanto do treinador Gian Piero Gasperini.

Para piorar ainda mais a situação, a Atalanta empatou o jogo de volta contra o Manchester City por 1 a 1 no San Siro, somando apenas 1 ponto nas quatro primeiras rodadas realizadas pela Champions League. Naquela oportunidade, as chances da Dea avançar de fase do torneio eram praticamente nulas, porém o triunfo diante do Dínamo Zagreb (2 x 0), novamente atuando em casa, e a grandiosa vitória sobre o Shakhtar Donetsk, por 3 a 0, jogando fora de seus domínios, garantiu ao time italiano a surpreendente vaga nas oitavas de final da competição como vice-colocado do grupo C.

O San Siro está sendo a casa da Atalanta na Champions League, isso porque o estádio Atleti Azzurri d'Italia, casa da equipe, não está apto a receber os jogos da competição.
O San Siro está sendo a casa da Atalanta na Champions League, isso porque o estádio Atleti Azzurri d’Italia, não está apto a receber jogos da competição.

Obviamente, o objetivo da Atalanta antes do início da Champions League era avançar de fase na competição, mas os favoritos do grupo pela vaga nas oitavas de final eram Manchester City e Shakhtar Donetsk, justamente pelo fato de ambos possuírem maior poder de investimento, e por este motivo terem elencos mais qualificados tecnicamente, além da experiência dessas equipes em disputar o torneio europeu. Deste modo, a briga da Dea seria direta contra o Dínamo Zagreb, pelo terceiro lugar, que garantiria aos italianos pelo menos a ida à Europa League. Mas no final das contas, os comandados de Gian Piero Gasperini foram muito mais longe do que deles se esperava.

Aliás, derrotar oponentes mais fortes, pelo menos no quesito financeiro, virou a marca registrada de Gian Piero Gasperini na Atalanta. Não à toa, podemos recordar que na temporada passada, o time bergamasco eliminou a Juventus nas quartas de final da Copa da Itália, após vencer os atuais octacampeões italianos por 3 a 0. Vale ressaltar ainda, que embora a diretoria da Dea tenha investido o montante de 31,7 milhões de euros (R$ 145 milhões) na última janela de transferências, a Atalanta é dona somente da 7ª equipe mais cara do Calcio, além de ser a que conta com o menor número de atletas integrando o plantel profissional, contabilizando 22 no total.

O sorteio realizado pela UEFA na manhã desta segunda-feira (16), definiu que o próximo adversário da Atalanta na Champions League será o Valência, isto é, outro indigesto adversário. No entanto, assim como o Mônaco, de Leonardo Jardim, brilhou na edição de 2016/17 do torneio ao chegar nas semifinais, e mais recentemente, o Ajax, de Erik ten Hag, também ter sido semifinalista, quem sabe nesta temporada não seja a vez da equipe de Bérgamo se destacar também no cenário internacional. Contudo, uma coisa é certa: garra, luta, empenho e disposição não faltarão ao time dentro de campo, afinal, essas qualidades estão no sangue do clube que carrega consigo o nome de uma das maiores deusas da mitologia grega. A ver!

Deixar um comentário

Menu