Champions League, a obsessão do PSG

Mais uma temporada será iniciada pelo PSG de maneira oficial na semana que vem, e como não poderia deixar de ser, o conjunto parisiense continua tendo como principal objetivo, conquistar a Champions League, a verdadeira obsessão na vida do time francês.

No início do século XIX, o império francês, sob o comando de Napoleão Bonaparte, passou a dominar a maior parte da Europa, depois de vencer as famosas Guerras Napoleônicas, isto é, sangrentos combates contra grandes potências do continente europeu. Entretanto, a hegemonia de Napoleão chegou ao fim após a derrota de suas tropas na Batalha de Waterloo, em 1815. Curiosamente, conquistar o Velho Continente parece mesmo estar no DNA dos franceses, pois passados mais de duzentos anos destes históricos conflitos, o PSG, tradicional clube de Paris, segue a sua incessante luta para erguer o caneco da Champions League.

O desejo dos parisienses pela Champions League é tão estrondoso, que o clube vem investindo mundos e fundos em contratações de reforços nos últimos anos. Todavia toda a dinheirama gasta pela equipe da capital francesa para trazer diversos craques do futebol mundial como Zlatan Ibrahimovic, Neymar, Kylian Mbappé, Edinson Cavani, Ángel Di María, Thiago Silva, David Luís, Lucas Moura, Julian Draxler, entre outros, não surtiu o efeito esperado até aqui, tanto é, que o máximo que o PSG conseguiu foi chegar nas semifinais da edição 1994/95 do torneio continental.

Neymar continua sendo o jogador mais caro da história. Para contratá-lo junto ao Barcelona em 2017, o PSG precisou desembolsar 222 milhões de euros (R$ 812 milhões).
Neymar continua sendo o jogador mais caro da história do futebol. Para contratá-lo junto ao Barcelona em 2017, o PSG precisou desembolsar 222 milhões de euros (R$ 812 milhões).

Como o sonho de ganhar a Champions League não se concretiza, a pressão sobre os parisienses só aumenta, fazendo com que o eles invistam cada vez mais pesado na contratação de reforços. Este filme já vem se repetindo há anos, basta analisarmos o histórico de valores gastos pelo clube francês neste período recente. Confira abaixo, o montante de dinheiro despejado pelo PSG nas últimas sete janelas de transferências.

  • 2012 – 151 milhões de euros
  • 2013 – 135,9 milhões de euros
  • 2014 – 49,5 milhões de euros
  • 2015 – 116,10 milhões de euros
  • 2016 – 134,5 milhões de euros
  • 2017 – 238 milhões de euros
  • 2018 – 217 milhões de euros
Contratar grandes astros do mundo da bola rendeu um astronômico crescimento do PSG como marca. Isso explica por que Nike pagará 80 milhões de euros (R$ 349 milhões) para patrocinar o time francês até 2032.
Contratar astros do mundo da bola rendeu um astronômico crescimento do PSG como marca. Isso explica por que a Nike pagará 80 milhões de euros (R$ 349 milhões) para patrocinar o time francês até 2032.

Devido a todos estes altos investimentos, vencer campeonatos nacionais passou a ser uma obrigação ao PSG, sobretudo porque os seus conterrâneos não têm o mesmo poderio financeiro. Por esta razão, a temporada 2018/19 dos parisienses acabou sendo um desastre, afinal, eles ganharam “apenas” a Ligue 1. Nas competições domésticas, os comandados de Thomas Tuchel decepcionaram ao perderem do Rennes, na decisão da Copa da França, e do Guingamp, nas quartas de final da Copa da Liga Francesa. Já pela Champions League, o time francês caiu diante do Manchester United, nas oitavas de final do torneio.

Por conta do péssimo desempenho dos parisienses na temporada passada, muitos imaginavam que os atuais bicampeões franceses seriam bastante agressivos nesta janela de transferências, algo que não se concretizou, já que o PSG gastou somente 50 milhões de euros até este exato instante. Os únicos reforços apresentados pela equipe da capital foram o zagueiro Abdou Diallo, que veio do Borussia Dortmund por 32 milhões de euros, e o meia-atacante Pablo Sarabia, contratado junto ao Sevilla por 40 milhões de euros. Além deles, chegaram também os jogadores Ander Herrera, ex-Manchester United, Marcin Bulkka, ex-Chelsea, e Mitchel Bakker, ex-Ajax, porém estes três últimos foram trazidos à custo zero (fim de contrato).

No entanto, esta postura conservadora do PSG na atual janela de transferência é somente momentânea, visto que os franceses ainda não pisaram fundo no acelerador em virtude da situação de Neymar, que segue negociando seu retorno ao Barcelona. Contudo, os principais alvos dos parisienses no momento são o volante Idrissa Gueye, do Everton, o lateral-esquerdo Danny Rose, do Tottenham, e o ponta-esquerda Gareth Bale, do Real Madrid, transações que podem vir a se concretizar nos próximas dias. A estreia oficial do Paris Saint-Germain na temporada será já no início de agosto (03), frente o Rennes, pela decisão da Supercopa da França, em Shenzen (China). Diante de todo este cenário a pergunta que fica é a seguinte: conseguirá o PSG seguir os passos de Napoleão Bonaparte, e também conquistar a Europa? A resposta para essa questão, só o tempo dirá. Aguardemos!

 

 

Deixar um comentário

Menu