A grande sina do PSG

Os primeiros noventa minutos do embate entre Borussia Dortmund x PSG, válido pelas oitavas de final da Champions League, terminou com o triunfo dos alemães por 2 a 1, um resultado que gerou uma enorme crise pelos lados do Parque dos Príncipes.

Ver o PSG naufragar na Champions League virou rotina no mundo do futebol. Apesar dos astronômicos investimentos realizados a cada ano pelo clube parisiense em contratações de reforços, o time não consegue erguer a orelhuda. Obviamente, a enorme obsessão do Paris Saint-Germain em conquistar este inédito título, aumenta a pressão sobre os bicampeões franceses, atrapalhando-os dentro de campo. Entretanto, o fato do PSG disputar competições de âmbito nacional na maior parte da temporada, aonde ele se depara com adversários mais fracos tecnicamente, colabora bastante para o insucesso da equipe no torneio europeu.

Acontece, que a pressão pela não conquista da Champions League cresce a cada fracasso do time na competição. A eliminação diante do Barcelona na edição 2016/17 do torneio, acabou sendo aquela que criou o paradigma de que a Champions League não foi feita para o PSG, isso porque os parisienses conseguiram a façanha de perder dos catalães por 6 a 1 no Camp Nou, após terem vencido o jogo de ida, no Parque dos Príncipes, por 4 a 0. Por esta razão, as seguintes quedas frente Real Madrid e Manchester United, ambas ocorridas na “era Neymar”, foram vistas como normais pelo resto do mundo, haja vista a desgastada imagem do clube francês no cenário internacional.

A melhor campanha do PSG na Champions League, deu-se na temporada 1994/95, quando a equipe que na época contava com o craque Raí, chegou nas semifinais (caiu diante do Milan).
A melhor campanha do PSG na Champions League, deu-se na temporada 1994/95, quando a equipe que na época contava com o craque Raí, chegou nas semifinais do torneio.

Vale ressaltar, que as frustrações do PSG ficam restritas única e exclusivamente aos torneios continentais, visto que o time literalmente sobra nas competições nacionais, tanto é, que os parisienses venceram seis das últimas sete edições da Ligue 1. No momento, os bicampeões franceses estão invictos há exatos 15 jogos no campeonato, permanecendo isolados na ponta da tabela com 62 pontos, isto é, dez à frente do vice-colocado, Olympique Marseille.

Contudo, as excelentes campanhas no futebol francês não empolgam mais os torcedores parisienses, que estão sedentos para ver a sua equipe vencer a Champions League. Todavia, este sonho ficou um pouco mais distante da realidade nesta temporada, já que o PSG caiu diante do Borussia Dortmund, no jogo de ida das oitavas de final do torneio, realizado no estádio Signal Iduna Park. Com dois gols da jovem revelação, Erling Haaland, os alemães venceram a partida por 2 a 1, e agora jogarão pelo empate no jogo de volta, em Paris.

Para os franceses, Thomas Tuchel foi o grande responsável pela derrota do PSG no Signal Iduna Park. Armar a equipe com três zagueiros e atuar sem um centro-avante, foram os maiores equívocos cometidos pelo treinador alemão.
Para os franceses, Thomas Tuchel foi o grande responsável pela derrota do PSG no Signal Iduna Park. Mandar o time à campo com três zagueiros e atuar sem um centro-avante, foram escolhas condenáveis do treinador alemão.

Como não poderia deixar de ser, a derrota do PSG na Alemanha causou enormes estragos pelos lados dos parisienses, a começar pelas surpreendentes declarações dadas pelo atacante Neymar após o jogo. Aos microfones do mundo todo, o camisa 10 criticou publicamente o clube por tê-lo deixado de fora em três partidas da Ligue 1 (Lyon, Dijon e Amiens) devido a uma fissura na costela, mesmo ele estando 100% recuperado desta lesão. Nas entrelinhas, entende-se que o motivo real deste afastamento teria sido a celebração da festa de aniversário do craque brasileiro, comemorada na antevéspera do embate contra o Nantes. Confira abaixo a polêmica entrevista concedida por Neymar:

"Eu tive uma fissura, mas não era nada que me impedia de jogar. Já dava para atuar contra o Lyon, 
mas adiaram e adiaram novamente. Entendo o medo que o clube sofre, mas não pode ser assim. 
Quem acaba sofrendo é o jogador. Para mim foi complicado jogar uma partida como essa (contra o 
Borussia Dortmund) sem intensidade, sofrendo em campo. Se tivesse boas condições físicas tenho
certeza que seria melhor", disse Neymar.

E para piorar ainda mais a situação, o irmão do zagueiro Presnel Kimpembe, gravou um vídeo no Instagram ofendendo o treinador Thomas Tuchel. Além disso, o técnico alemão também foi duramente criticado pela imprensa francesa por conta da não utilização do atacante Mauro Icardi, autor de cinco gols na fase de grupos da Champions League, em nenhum momento da partida contra o Borussia Dortmund. Desta maneira, fica evidente que a única possibilidade do sucessor de Unai Emery ganhar uma sobrevida à frente do PSG, é revertendo o placar no próximo dia 11, algo bastante improvável para um time que perdeu cinco dos últimos seis duelos eliminatórios na competição. Aguardemos!

 

 

Deixar um comentário

Menu