A Internazionale, de Inzaghi, continua com o DNA de Antonio Conte

Mesmo sob a batuta de Simone Inzaghi, a Inter de Milão segue dando sequência ao ótimo trabalho desenvolvido por Antonio Conte.

O desânimo tomou conta dos torcedores interistas quando a diretoria da Inter de Milão anunciou que Antonio Conte não seria mais o treinador da equipe a partir desta temporada, o que era de se esperar, afinal, o ex-treinador do Chelsea realizou um excelente trabalho à frente do time, haja vista a conquista do scudetto do Calcio após longos 11 anos de jejum. Todavia, não era apenas o desligamento de Conte que preocupava a torcida, como também o motivo que determinou a sua saída, isto é, a grave crise financeira vivida pela multinacional chinesa que administra o clube italiano.

Na ocasião, o diretor-executivo da Inter de Milão, Giuseppe Marotta, deixou claro que o clube precisaria reduzir 15% de sua folha salarial na temporada 2021/22, e por isso seria necessário se desfazer de pelo menos três jogadores que integravam o plantel campeão italiano, quer dizer, uma situação que não agradou em nada o treinador Antonio Conte, que rapidamente assinou a sua demissão. Pois é, e no final os nerazzurris faturaram € 197 milhões neste verão europeu, sendo este, o maior valor acumulado pela Inter em uma única janela transferências ao longo da história.

Sem Antonio Conte à beira de campo, além de Achraf Hakimi e Romelu Lukaku não mais dentro das quatro linhas, a Inter de Milão iniciou a sua caminhada rumo ao bicampeonato italiano com Simone Inzeghi no comando técnico do time. Aliás, vale ressaltar que muitos clubes da Serie A trocaram de treinadores nesta temporada, a julgar pelas chegadas de Massimiliano Allegri, José Mourinho e Maurizio Sarri, aos conjuntos de Juventus, Roma e Lazio, respectivamente.

Ainda assim, a vinda de Simone Inzaghi não animou os torcedores interistas, já que eles esperavam que um treinador renomado internacionalmente assumisse a equipe, como era o caso por exemplo de José Mourinho. Além do mais, a torcida sonhava com o retorno do técnico português em função de sua passagem pra lá de marcante pelo clube, lembrando que a Inter de Milão conquistou nada menos do que a tríplice coroa sob o comando do Special One na temporada 2009/10.

No entanto, o bom início de temporada da Internazionale foi crucial para que Simone Inzaghi logo caísse nas graças da torcida. Apesar do tropeço diante do Real Madrid na Champions League, os nerazzurris permanecem invictos após a disputa das quatro primeiras rodadas da nova edição da Serie A, somando três vitórias e um empate neste período, o que os mantém na vice-posição do campeonato com dez pontos ganhos. Ademais, é importante salientar que os atuais campeões italianos são donos do melhor ataque do campeonato com o montante de 15 gols marcados.

Contudo, alguns aspectos favoreceram a rápida adaptação de Simone Inzaghi na Inter de Milão, como o fato do jovem treinador de 45 anos de idade já ter trabalhado com Samir Handanovic, Stefan de Vrij, Aleksandar Kolarov e Joaquín Correa, em seu ex-clube. Além disso, Inzaghi não desfez a forma da equipe campeã italiana jogar, mantendo inclusive o mesmo esquema utilizado na temporada passada, o 3-5-2. Ou seja, uma postura contrária a de Rafa Benítez, que realizou uma verdadeira transformação no estilo de jogo dos nerazzurris assim que ele assumiu o posto de José Mourinho.

Por fim, a Inter de Milão manteve praticamente toda a base campeã italiana, com a exceção tanto do lateral Achraf Hakimi quanto do atacante Romelu Lukaku, o que significa que a melhor defesa da Serie A na última temporada, formada pelo trio Milan Skriniar, Stefan de Vrij e Alessandro Bastoni, continua em ação. Já para as vagas de Hakimi e Lukaku, chegaram Denzel Dumfries e Edin Dzeko, enquanto Hakan Çalhanoglu e Joaquín Corrêa também foram contratados para fortalecer ainda mais o time de Simone Inzaghi, cuja a face permanece similar a de Antonio Conte.

Deixar um comentário

Menu