SPFC

6 Posts Back Home

O pior presidente da história tricolor

A eliminação do São Paulo diante do modesto Mirassol (3 a 2) em pleno estádio do Morumbi, pelas quartas de final do Campeonato Paulista, serve perfeitamente como parâmetro para exemplificar o quão desastrosa é a gestão do presidente Leco no Tricolor. A noite de 29 de julho de 2020 ficará marcada como mais uma página obscura na história do São Paulo, afinal, a equipe comandada por Fernando Diniz despediu-se do Campeonato Paulista depois do revés sofrido frente o Mirassol no Morumbi. Obviamente, nenhuma eliminação é encarada com naturalidade pelos torcedores, mas a de ontem irritou demais os são-paulinos pelo fato do time do interior ter entrado em campo com uma formação alternativa, uma vez que 18 atletas, sendo oito deles titulares, deixaram o clube em função do término de seus vínculos contratuais antes da paralisação do Estadual por conta da pandemia do novo coronavírus. Pois é, mesmo diante deste cenário…

A nova geração de Cotia

Embora o São Paulo esteja vivendo um longo período sem conquistar títulos, a equipe da capital paulista continua revelando ao mundo da bola, jovens com enorme potencial. Isso explica porque o Tricolor do Morumbi é rotulado como “A maior vitrine do futebol brasileiro”. Diante deste cenário, dificilmente a diretoria conseguirá manter todas as novas jóias no clube até o final do ano. A tradição do São Paulo em revelar jogadores e negociá-los com clubes do exterior é indiscutível. Não à toa, nomes como Denílson, Edmílson, Fábio Aurélio, Kaká, Júlio Baptista, Casemiro, Hernanes, Lucas Moura, Éder Militão, David Neres, entre outros, brotaram no Morumbi, e posteriormente, foram brilhar nos gramados do Velho Continente. Aliás, um dos maiores legados deixados pelo ex-presidente são-paulino, Marcelo Portugal Gouvêa, ao Tricolor Paulista, foi o CT de Cotia, um dos mais modernos centros de treinamentos de categorias de base do planeta. Para se ter uma ideia, o CT possui 230.000 m² de…

O retorno de Cuca ao Morumbi

Quinze anos após a sua última passagem pelo São Paulo, o treinador Cuca está de volta ao Morumbi, trazendo consigo uma esperança que há tempos não era vista no Tricolor Paulista, tudo proveniente do ótimo trabalho realizado pelo técnico no clube em 2004. Começar o ano apostando que o inexperiente André Jardine tivesse capacidade suficiente para levar o São Paulo à fase de grupos da Copa Libertadores, foi o maior erro da diretoria do clube. Depois da anunciada queda na fase pré-eliminatória do torneio continental, os dirigentes tricolores enfim deram início ao planejamento da temporada, algo que deveria ter sido feito após o término do Brasileirão 2018, visto que naquele momento, a equipe paulista já sabia que teria partidas decisivas logo em janeiro de 2019. Na tentativa de corrigir os erros e recuperar o tempo perdido, o diretor de futebol, Raí, juntamente com o presidente Leco, anunciaram Cuca, como o novo treinador do São Paulo. O anúncio…

Paciência tem limite

A paciência do torcedor são-paulino com o seu time está chegando ao fim, afinal, a cada ano que se passa, o São Paulo continua colecionando vexames atrás de vexames. Desta vez, o fiasco do Tricolor Paulista foi em Córdoba, frente o Talleres (2 a 0), pelo jogo de ida da fase pré-eliminatória da Copa Libertadores. Agora, só resta aos comandados de André Jardine vencerem os argentinos no Morumbi por três gols de diferença, sem sofrer nenhum tento, para seguirem vivos no torneio continental. Como já era esperado, o São Paulo sucumbiu diante do Talleres em Córdoba. Com gols de Juan Edgardo Ramírez e Tomás Pochettino, ambos marcados na segunda etapa da partida, a equipe argentina praticamente sacramentou a sua classificação à próxima fase da Copa Libertadores, pois acredito que a probabilidade do Tricolor do Morumbi reverter o placar no jogo de volta é remota, creio que beirando os 10% de chance. Na minha opinião, os únicos aspectos favoráveis ao tricampeão…

O aguerrido São Paulo de Aguirre

A péssima gestão do ex-presidente do São Paulo Carlos Miguel Aidar, e do atual mandatário Tricolor, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, levaram os torcedores são-paulinos a viverem dias extremamente tensos nos últimos anos. Não à toa, o time lutou contra o rebaixamento na edição anterior do Campeonato Brasileiro, e quando a equipe terminou a competição na 13ª posição da tabela, a torcida comemorou essa façanha como se fosse um título. Na tentativa de mudar todo este cenário e recolocar o São Paulo novamente em seu devido lugar, Leco enfim acertou, pois contratou o eterno ídolo Raí, para ser o novo diretor de futebol do clube, e a partir daí, as coisas definitivamente fluíram no Morumbi. Novos rumos A primeira iniciativa de Raí como diretor de futebol, foi trazer ao seu lado pessoas competentes que pudessem ajudar os jogadores são-paulinos a recuperarem o prazer de vestir a camisa vermelha, branca e…

Raí, a esperança no Morumbi

A temporada passada foi desastrosa para torcedores de diversos clubes brasileiros, principalmente aos são-paulinos, que viveram momentos infernais acompanhando seu time lutando rodada a rodada contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro, além de terem sofrido com três duras eliminações nas demais competições. Não à toa, 2017 pode ser considerado o pior ano da história do São Paulo Futebol Clube. Agora, a pergunta que faço é a seguinte: será que a diretoria aprendeu a lição com a série de erros cometidos durante o último ano, ou em 2018 o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, seguirá a mesma filosofia no comando do Tricolor Paulista? Temporada 2017: O São Paulo iniciou a temporada 2017 cheio de expectativas, mas não por conta de grandes contratações, muito pelo contrário, isso porque o eterno ídolo da torcida, Rogério Ceni, estava de volta ao clube, porém desta vez, como treinador da equipe. Sabendo da péssima condição financeira que afligia a instituição, o Mito foi obrigado a trazer somente atletas…

Menu