Sãopaoli da Vila Belmiro

A vitória do Santos diante do São Paulo por 2 a 0 no estádio do Pacaembú, deixou evidente que ter um bom treinador no comando de uma equipe, faz total diferença para o sucesso da mesma, por mais que ela não tenha jogadores de peso à disposição no plantel.

Quebrando paradigmas

O ano de 2019 começou de maneira extremamente preocupante aos torcedores santistas, afinal, dos quatro grandes clubes do estado de São Paulo, o Santos foi o que menos se reforçou. Enquanto Palmeiras, São Paulo e Corinthians investiram pesado no mercado, o clube da Baixada Santista perdeu Gabriel Barbosa, Bruno Henrique e Dodô, ou seja, as suas principais peças do elenco. Por esta razão, o técnico Jorge Sampaoli foi considerado o maior reforço do Peixe para a disputa da temporada. Vale ressaltar, que chegaram na Vila Belmiro o goleiro Everson, o zagueiro Felipe Aguilar e o atacante Yeferson Soteldo, as três contratações do time até aqui.

Sem dinheiro no caixa para trazer novos jogadores e com um elenco limitado de atletas em mãos, muitos imaginavam que os dias de Jorge Sampaoli na Vila Belmiro estavam realmente contados, ainda mais porque o trabalho mais recente do treinador, que foi à frente da seleção da Argentina na Copa do Mundo de 2018, não agradou, lembrando que no futebol as coisas funcionam deste modo, isto é, a última imagem é a que fica. A impressão de que o técnico argentino não duraria no comando técnico do Santos, aumentou depois que ele concedeu uma entrevista coletiva afirmando desconhecer o fato do clube atravessar dificuldades financeiras. Além disso, o novo comandante santista disse que o presidente José Carlos Peres prometeu reforçar o time, antes dele assinar o contrato junto ao Alvinegro Praiano.

Após excelentes passagens por Universidad do Chile, seleção chilena de futebol e Sevilla, e de um trabalho decepcionante à frente da Argentina, Jorge Sampaoli aceitou o desafio de comandar o Santos.
Após uma passagem decepcionante pela seleção da Argentina, Jorge Sampaoli aceitou o desafio de comandar o Santos, seu primeiro clube no futebol brasileiro.

O DNA de Jorge Sampaoli

Mas ao contrário do todos imaginavam, o Santos iniciou o Campeonato Paulista da melhor maneira possível, somando três vitórias nos três jogos disputados pela equipe na competição. Me refiro aos triunfos contra Ferroviária (1 a 0), São Bento (4 a 0), e mais recentemente, sobre o São Paulo (2 a 0), no Pacaembú. Aliás, o San-São foi o primeiro grande teste do Santos de Jorge Sampaoli na temporada, isso porque o Tricolor Paulista é um dos concorrentes diretos do conjunto santista na luta pelo título estadual, ao lado de Palmeiras e Corinthians. Com isso, o Santos já ocupa a liderança isolada do grupo A do torneio com 9 pontos ganhos, permanecendo assim, com uma excelente campanha de 100% de aproveitamento.

Sabemos que ainda é muito cedo para afirmar que a temporada do Santos será um sucesso, porém já é evidente que o time da Baixada Santista está jogando um futebol bastante ofensivo, bem do estilo de Jorge Sampaoli. Para quem não se lembra, a Universidad do Chile tricampeã chilena e campeã da Copa Sul-Americana em 2011 sob o comando do treinador argentino, se destacou justamente pela filosofia de jogo demasiadamente agressiva, com uma forte marcação pressionando no campo do adversário e muita intensidade.  Nos três primeiros jogos oficiais do Peixe em 2019, constatamos exatamente isso, tanto é, que o técnico são-paulino, André Jardine, reverenciou a forma do Santos atuar por conta destes aspectos, confira:

"Estudei bastante o Santos, fiquei bastante impressionado com a qualidade e a velocidade que o
Sampaoli já conseguiu dar ao time do Santos. É um mérito dele."
A última vez que o Santos estreou no campeonato Paulista vencendo três jogos consecutivos, foi em 2011, temporada em que o Peixe ergueu as taças do estadual e da Copa Libertadores.
A última vez que o Santos estreou no Campeonato Paulista vencendo três jogos consecutivos foi em 2011, temporada em que o Peixe ergueu as taças do estadual e da Copa Libertadores.

O futebol apresentado pelo Santos neste início de temporada não chama a atenção apenas por ser ofensivo, e sim por ser eficiente, basta recordarmos que o time da Vila Belmiro marcou sete gols e não sofreu nenhum tento nas três partidas pelo Campeonato Paulista. A posse de bola continua sendo o grande trunfo de Sampaoli, já que em o Peixe permaneceu mais tempo com a redonda frente todos os seus adversários. No entanto, a maior mudança sentida pela equipe dentro das quatro linhas, foi a constante participação de Vanderlei nas saídas de bola durante os jogos. Isso explica porque o técnico argentino vem cobrando tanto o goleiro santista para jogar com os pés nos treinamentos.

Futuro Próspero

Assim, em pouco menos de um mês de trabalho (24 treinos), Jorge Sampaoli já caiu nas graças da torcida santista, transformando o time de quarta força à favorito ao título do Campeonato Paulista. Todavia, o treinador de 58 anos de idade segue esperando por reforços. Os nomes sondados pelo Santos são o lateral-esquerdo Adriano, atualmente no Besiktas-TUR, o do atacante Nicolás Blandi, atleta do San Lorenzo-ARG, e o do meia Cristian Cueva, ex-São Paulo. Na lista enviada ao presidente José Carlos Peres, Sampaoli pediu a contratação de um lateral-esquerdo, um volante, um ponta e um atacante. 

Como citei anteriormente, o Santos passa por uma grave crise financeira, mas a venda de Bruno Henrique ao Flamengo por 23 milhões de reais, aliviará pelo menos momentaneamente o caixa santista, logo é esperado que o Alvinegro Praiano atenda aos pedidos de Jorge Sampaoli. Diante deste cenário, a diretoria vem tentando viabilizar a negociação do lateral-esquerdo Adriano sem precisar mexer no bolso, uma vez que o contrato do lateral-esquerdo com o Besiktas termina em junho, por isso o ex-jogador do Barcelona tenta uma rescisão amigável com os turcos, seis meses antes do encerramento do seu vínculo contratual.

O Santos terá além do Campeonato Paulista, a Copa do Brasil, o Campeonato Brasileiro e a Copa Sul-Americana pela frente ao longo da temporada, portanto Jorge Sampaoli necessitará de um elenco numeroso para disputar as quatro competições. O próximo compromisso do Peixe será já na quinta-feira contra o Bragantino, em Bragança Paulista, e o alto desgaste causado pelo intenso estilo de jogo proposto pelo técnico argentino, o obrigará a poupar algumas peças. Contudo, isso pouco importa, pois o novo salvador da pátria da Vila Belmiro estará à beira do campo regendo a equipe, e como todos nós sabemos, Sampaoli é sinônimo de espetáculo.

Deixar um comentário

Menu