A missão de Ceni: Parte II

Depois de viver um 2018 maravilhoso, com direito ao regresso à elite do futebol nacional após 13 anos como campeão da Série B, o Fortaleza inicia 2019 com dois objetivos em mente, sendo o primeiro deles, escapar do rebaixamento no Campeonato Brasileiro, enquanto o segundo, é vencer a Copa do Nordeste, ou seja, tarefas nada fáceis para o técnico Rogério Ceni.

Centenário inesquecível

O centenário do Fortaleza foi realmente inesquecível aos torcedores do Tricolor de Aço, afinal, este histórico ano ficou marcado pelo retorno do Leão do Pici ao Campeonato Brasileiro através do inédito título da Série B, algo considerado totalmente surreal antes do início da temporada passada, dado o baixo orçamento do clube cearense em relação aos demais concorrentes na segunda divisão do torneio. Mesmo assim, através de um futebol baseado na rápida troca de passes, marcação pressão e bastante intensidade, o Fortaleza conseguiu quebrar todos os paradigmas, e encerrou 2018 em festa.

Como não poderia deixar de ser, o grande responsável pelo sucesso da equipe no ano do centenário foi o treinador Rogério Ceni, que chegou ao Fortaleza repleto de desconfiança por conta do desempenho abaixo das expectativas no São Paulo. Mesmo assim, o ex-goleiro são-paulino deu a volta por cima, tanto é, que logo em sua primeira temporada à frente do Leão do Pici já faturou um caneco. Outra figura importante do Tricolor de Aço foi o presidente Marcelo Paz, que mostrou pulso firme ao manter Rogério Ceni no comando do time após o vice-campeonato cearense, lembrando que a derrota diante do arquirrival Ceará, na final do torneio estadual, gerou uma grande revolta em boa parte da torcida leonina.

Em 38 partidas realizadas pela edição anterior da Série B, o Fortaleza de Rogério Ceni colecionou o total de 21 vitórias, 8 empates e 9 derrotas, obtendo 71 pontos e 61,3% de aproveitamento no campeonato.
Em 38 partidas realizadas pela edição anterior da Série B, o Fortaleza de Rogério Ceni colecionou o total de 21 vitórias, 8 empates e 9 derrotas, obtendo 71 pontos e 62,3% de aproveitamento no campeonato.

Temporada 2019

A primeira atitude da diretoria do Leão do Pici visando o sucesso em 2019, foi manter Rogério Ceni como treinador do time. Após uma reunião entre Ceni e o presidente Marcelo Paz no final de dezembro, o acordo enfim foi firmado, e tem validade de um ano. Algumas exigências foram feitas pelo técnico de 46 anos de idade para que o contrato fosse assinado, dentre as principais estão melhorias nas partes estruturais do clube, e o investimento em reforços para a disputa do Campeonato Brasileiro. Vale ressaltar, que na temporada anterior, Rogério Ceni já havia solicitado a reforma do Hotel Otoni Diniz, local aonde o Tricolor de Aço concentra durante os jogos, melhorias da sede administrativa do Fortaleza, na academia utilizada pelos atletas, no CT Ribamar Menezes, além da drenagem do campo do estádio Alcides Santos.

Atendendo aos pedidos de Rogério Ceni, a diretoria do clube cearense investiu pesado para trazer 13 novos reforços ao Fortaleza, tratam-se do goleiro Felipe Alves (Athletico Paranaense), dos zagueiros Juan Quintero (Deportivo Cali) e Patrick (Ferroviária), do lateral-direito Diego Ferreira (Tombense), do lateral-esquerdo Carlinhos (América Mineiro), dos volantes Paulo Roberto (Corinthians), Santiago Romero (Nacional-URU) e Gabriel Dias (Internacional), do meia Madson (Al-Khor), e dos atacantes Edinho (Atlético Mineiro), Matheus Alessandro (Fluminense), Pedro Júnior (Kashima Antlers) e Júnior Santos (Ituano).

Uma das principais metas de Rogério Ceni é transformar o estádio Alcides Santos em um centro de excelência.
Uma das principais metas de Rogério Ceni é transformar o estádio Alcides Santos em um centro de excelência.

Começo a todo o vapor

Para a alegria de toda a nação leonina, o Fortaleza iniciou 2019 como terminou 2018, isto é, vencendo.  Isso porque os cearenses bateram o Náutico por 3 a 1 em pleno estádio dos Aflitos, pela 1ª rodada da Copa do Nordeste. Com dois gols do estreante Júnior Santos e outro de Éderson, o Tricolor de Aço fez jus à todo o seu favoritismo frente o Timbu, dominando completamente as ações da partida. Devido aos poucos dias de trabalho, os pupilos de Rogério Ceni sentiram um pouco a falta de ritmo de jogo, principalmente nos últimos vinte minutos do confronto. Todavia, os três pontos conquistados fora de seus domínios foram bastante comemorados pelos Leões.

Já na noite de ontem (segunda-feira), foi a vez do Leão do Pici estrear em 2019 diante de sua torcida no estádio Castelão, em partida válida pela 2ª rodada da Copa do Nordeste. Aliás, este duelo foi considerado o primeiro grande teste do Fortaleza no ano, já que o conjunto cearense tinha como oponente um clube que também disputará a Série A do Campeonato Brasileiro, o CSA. Escalado novamente no 4-4-2, o Tricolor de Aço apenas empatou sem gols com os alagoanos. Na entrevista coletiva pós-jogo, o técnico Rogério Ceni deixou claro que ainda sonha com a chegada de reforços, confira:

"O nosso elenco é curto, reduzido, mas já gastamos bastante, 70 % da nossa folha de pagamento, 
não podemos errar, nem ter pressa. Temos que trazer o cara certo para cada função. Um zagueiro
canhoto, um 10 e um 9 de referência. Não tenho mais o Gustavo, que é jogador de referência e seu
estilo de jogo faz muita falta pra gente".

Contabilizando 4 pontos em dois jogos (1 vitória e 1 empate), o Fortaleza segue na liderança do grupo A da Copa do Nordeste ao lado do Salgueiro, que por sua vez, registra um gol a menos de saldo em relação aos cearenses. O próximo compromisso do Leão do Pici será sábado (02) contra o Botafogo-PB, no estádio Almeidão.

Ainda é cedo para cravarmos qualquer diagnóstico sobre o futuro do Tricolor de Aço, mas como os atuais campeões da Série B disputarão quatro competições ao longo do ano (Campeonato Cearense, Copa do Nordeste, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro), serão necessários mais alguns reforços para que eles atinjam seu principal objetivo na temporada, permanecer na elite do futebol nacional. Aguardemos!

Deixar um comentário

Menu