Nocauteados

A dolorosa eliminação do Atlético Madrid diante da Juventus nas oitavas de final da Champions League, causou enormes estragos no time colchonero, que por sua vez, tenta juntar os cacos para terminar a temporada pelo menos com o vice-título espanhol.

A Champions League é sem sombra de dúvidas a galinha dos ovos de ouro do Atlético Madrid, afinal, a equipe madrilenha nunca conquistou o torneio desde a sua fundação em 1903. As melhores campanhas dos rojiblancos na competição, foram os três vice-campeonatos nas temporadas 1973/74, 2013/14 e 2015/16, lembrando que nas últimas duas decisões, eles perderam do eterno rival, Real Madrid, o maior vencedor do campeonato com 13 canecos no currículo. Diante de todos estes aspectos, fica evidente porque a Champions League é tão importante na vida dos torcedores colchoneros.

Desde que o treinador Diego Simeone assumiu o Atleti em 2011, o crescimento do clube foi estrondoso, tanto é, que sob o comando do técnico argentino, o Atlético Madrid foi duas vezes campeão da Europa League (2011/12 e 2017/18), duas vezes da Supercopa da Europa (2012 e 2018, e venceu também a La Liga (2013/14), a Copa do Rei (2012/13) e a Supercopa da Espanha (2014). Aliás, seria mais fácil destacar que a orelhuda (troféu da Champions League) é a única taça que Cholo não teve o prazer de erguer à frente dos colchoneros.

Cholismo, assim é conhecido o futebol apresentado pelo Atlético Madrid de Diego Simeone. Muita garra, empenho e aplicação, características trazidas por Cholo desde a época em que ele atuava fora das quatro linhas.
Cholismo, assim é conhecido o futebol apresentado pelo Atlético Madrid de Diego Simeone. Muita garra e aplicação, características trazidas por Cholo desde a época em que ele atuava dentro das quatro linhas.

Com isso, é correto afirmar que Diego Simeone mudou totalmente o patamar do Atlético Madrid, antes considerado um clube mediano do futebol espanhol, assim como são Valencia, Sevilla e Athletic Bilbao. Atualmente, os rojiblancos brigam diretamente pelo título espanhol tanto com o Barcelona quanto com o Real Madrid. Não à toa, os comandados de Diego Simeone ficaram entre os três primeiros colocados nas últimas seis edições da La Liga, sendo que neste período eles foram uma vez campeões (2013/14), e mais recentemente, vice-campeões (2017/18).

As altíssimas cifras investidas pelo Atlético Madrid nesta temporada, é uma bela demonstração do crescimento do clube nos últimos anos. Para se ter uma ideia, a diretoria desembolsou o montante de 126 milhões de euros, aproximadamente R$ 542 milhões, para trazer reforços como Thomas Lemar, Rodri, Nikola Kalinic e Santiago Arias. Segundo o site Transfermarkt, na atualidade, o elenco do Atleti está avaliado em 955 milhões de euros (4.235 bilhões de reais), isto é, o terceiro mais caro da Espanha, ficando atrás apenas de Barcelona (R$ 5.100 bilhões) e Real Madrid (R$ 4.170 bilhões), respectivamente.

A derrota para o Real Madrid na final da Champions League 2013/14, foi certamente o momento mais difícil da carreira de Diego Simeone.
A derrota para o Real Madrid na final da Champions League 2013/14, foi certamente o momento mais difícil de Diego Simeone à frente do Atlético Madrid.

Vale ressaltar ainda, que na temporada passada, os colchoneros inauguraram o seu novíssimo estádio Wanda Metropolitano, considerada uma das arenas mais modernas do mundo. A propósito, ele será o palco da final da atual edição da Champions League. Por essas e outras, compreendemos porque o Atlético Madrid tornou-se na última década, uma das grandes potências do futebol europeu, ao lado de gingantes como Manchester United, Liverpool, Bayern Munique, Juventus, além dos conterrâneos Barcelona e Real Madrid.

Acontece, que o duro revés sofrido frente à Juventus por 3 a 0 em Turim, pelas oitavas de final da Champions League, afetou demais o conjunto madrilenho, ao ponto até mesmo do treinador Diego Simeone estar sendo pressionado. A derrota por 2 a 0 para o Athletic Bilbao no último sábado, comprovou que o Atlético Madrid está literalmente surrado, como se fosse um lutador de boxe nocauteado com o juiz à sua frente fazendo a contagem até dez. Obviamente, a causadora de todo este trauma, foi a eliminação no torneio continental.

Como restam somente dez rodadas para o término da La Liga, o maior desafio de Diego Simeone é fazer sua equipe encerrar a sua participação, no mínimo, na vice-posição do campeonato, visto que a diferença para o líder, Barcelona, é de 10 pontos, enquanto o terceiro colocado, Real Madrid, está apenas dois pontos atrás na tabela. Paralelamente, o planejamento visando a próxima temporada já começou pelos lados do Atlético Madrid, e a permanência dos atletas Juanfran, Filipe Luís e Diego Godín estão descartadas, ao passo que Antoine Griezmann afirmou publicamente que quer deixar o clube. Desta maneira, um ciclo chegará ao fim no Atleti, só nos resta saber agora, se o novo que está por vir, conseguirá vencer a tão sonhada Champions League. Aguardemos!

 

Deixar um comentário

Menu