Portugal, campeão da Liga das Nações da UEFA

A Liga das Nações da UEFA foi realmente um sucesso, e teve um final feliz para a seleção de Portugal, que depois de erguer o troféu da Eurocopa em 2016, não desperdiçou a oportunidade de faturar o caneco da primeira edição do novo torneio da UEFA.

Balanço positivo da Liga das Nações

A ideia da UEFA em criar um campeonato entre seleções do Velho Continente no período pós Copa do Mundo, não poderia ter sido melhor, afinal, nesta época os selecionados realizavam modorrentas partidas amistosas, que não despertavam nenhum interesse ao público. Aliás, cada vez mais os jogos internacionais geram algum tipo de entusiasmo nas pessoas. Para nós, sul-americanos, acredito que este fenômeno aconteça somente na disputa dos Mundiais, ou seja, de quatro em quatro anos. Na Europa, a Eurocopa também empolga os amantes da bola, pensando nisso, a entidade teve a iniciativa de organizar uma nova competição continental.

O êxito da Liga das Nações da UEFA junto aos torcedores europeus foi enorme, tanto é, que os estádios estiveram sempre lotados, o alto índice de audiência nas transmissões também surpreendeu, enquanto dentro de campo, os jogos foram empolgantes, intensos, e com os jogadores bastante motivados à ganharem um campeonato defendendo as cores de suas respectivas seleções. A propósito, o sucesso do torneio foi tanto, que outras confederações já vislumbram a possibilidade de realizarem a competição em seus continentes. Por incrível que pareça, até mesmo a FIFA cogita criar a Liga das Nações Mundiais, que reuniria países do mundo todo. Todavia, estes são apenas projetos que não saíram nem ao menos do papel.

Em 2004, os portugueses choraram em virtude da derrota diante da Grécia na decisão da Eurocopa no estádio da Luz. Em 2019, a nação lusa vingou aquele revés, e comemorou o título da Liga das Nações no estádio do Dragão.
Em 2004, os portugueses choraram em virtude da derrota diante da Grécia na decisão da Eurocopa no estádio da Luz. Em 2019, a nação lusa vingou aquele revés, e comemorou o título da Liga das Nações no estádio do Dragão.

A caminhada dos campeões

A caminhada da seleção portuguesa para chegar na grande decisão da Liga das Nações da UEFA não foi fácil, visto que na fase de grupos da competição, os comandados de Fernando Santos tiveram de encarar os combinados de Itália e Polônia. No entanto, os atuais campeões europeus passaram invictos pelo estágio inicial do torneio, colecionando o total de duas vitórias e dois empates nos quatro jogos realizados no período. Vale ressaltar, que naquela ocasião, Portugal não contou com a presença de Cristiano Ronaldo, preservado devido ao excessivo número de jogos disputados na temporada anterior.

Já nas semifinais, os portugueses tiveram pela frente a indigesta Suíça, que havia se classificado como líder do grupo 2, aonde estavam situadas as seleções de Bélgica e Islândia. Em um confronto equilibradíssimo, o selecionado de Portugal, que teve o privilégio de atuar diante de sua torcida no estádio do Dragão, conseguiu a vitória no finalzinho da partida, quando o craque Cristiano Ronaldo entrou em ação ao marcar dois gols nos 43 e 45 minutos, respectivamente, e graças ao seu hat-trick, os lusitanos derrotaram os suíços por 3 a 1, avançando assim, à decisão.

O oponente de Portugal no último e decisivo embate da Liga das Nações da UEFA, era a Holanda, um verdadeiro esquadrão composto por nomes como Virgil van Dijk, Matthijs de Ligt, Frenkie de Jong e Memphis Depay. Novamente, a seleção lusa teve o fator campo a seu favor, já que o palco da final foi o mesmo das semifinais, o estádio do Dragão. Como não poderia deixar de ser, ambas equipes adotaram uma postura conservadora dentro de campo, jogando a maior parte do tempo no erro do adversário. Até que aos 15 minutos da segunda etapa, Gonçalo Guedes acertou um belo chute de fora da área, sacramentando o inédito título dos portugueses.

Depois de vencer a França na final da Eurocopa 2016 com um gol de Éder na final (1 x 0), os portugueses derrotaram a Holanda na decisão da Liga das Nações graças ao gol de Gonçalo Guedes.
Três anos depois de Éder “salvar” a seleção de Portugal na decisão da Eurocopa 2016, foi a vez de Gonçalo Guedes (foto) garantir a conquista da Liga das Nações da UEFA ao conjunto português.

Geração de Ouro

O título da Eurocopa em 2016, havia sido o primeiro título dos portugueses ao longo da trajetória. Três anos depois, os lusitanos voltaram a dar a volta olímpica, porém desta vez, pela Liga das Nações da UEFA. Contudo, não restam dúvidas de que sem Cristiano Ronaldo a Seleção das Quinas dificilmente conquistaria os dois torneios. Para se ter uma ideia, desde que o camisa 7 estreou pelo selecionado nacional em 2003, há 16 anos, ele marcou o montante de 88 gols em 157 jogos defendendo as cores da nação vermelha e verde. Diante deste incrível retrospecto, fica evidente que CR7 é o maior jogador da história de Portugal.

E para finalizar, o futuro se apresenta próspero aos portugueses, uma vez que Cristiano Ronaldo, atualmente com 34 anos de idade, planeja jogar até os 41 anos, e cai entre nós, saúde para isso ele vem provando que tem. Além de CR7, outros jovens atletas merecem ser destacados pela conquista da Liga das Nações, como são os casos de Raphael Guerreiro (25), Bruno Fernandes (24), Gonçalo Guedes (22), João Félix (19), e principalmente, de Bernardo Silva (24), eleito o melhor jogador do torneio pela UEFA, e campeão da tríplice coroa inglesa pelo Manchester City nesta temporada. Assim, com Cristiano Ronaldo ao lado de todos estes talentosos jogadores, a seleção de Portugal desembarcará no Catar em 2022, como uma das grandes favoritas ao título da Copa do Mundo.

 

 

 

Deixar um comentário

Menu