Gallardo, o rei dos mata-matas

Não deu para o Cruzeiro, o time celeste não foi páreo ao River Plate, que o eliminou da Copa Libertadores em pleno estádio Mineirão na noite de ontem. Deste modo, os Milionários seguem firme a sua caminhada rumo ao bicampeonato do torneio continental.

Por ter se classificado na liderança do grupo B da Copa Libertadores com 15 pontos em seis jogos, tendo feito a segunda melhor campanha da competição, o Cruzeiro era apontado como grande favorito no duelo frente o River Plate, pelas oitavas de final do torneio, sobretudo porque os mineiros teriam a oportunidade de disputar o segundo e decisivo confronto desta fase, em casa, diante de sua torcida no Mineirão. Por esta razão, vi muitos cruzeirenses comemorando o empate sem gols contra os argentinos como se fosse um título, afinal, bastava uma simples vitória em solo brasileiro para que a Raposa avançasse às quartas de final.

Entretanto, os cruzeirenses esqueceram que do outro lado estava o River Plate, atual campeão da Copa Libertadores, comandado por Marcelo Gallardo, um verdadeiro exterminador de times brasileiros em mata-matas, tanto é, que até antes da partida de ontem, o Muñeco havia vencido todos os embates contra equipes do Brasil, acumulando quatro triunfos no geral. Isso explica porque o conjunto de Núñez desembarcou tão tranquilo em Belo Horizonte, como se tivesse ganho o jogo de ida, em Buenos Aires. No final das contas, Cruzeiro e River Plate empataram novamente por 0 a 0, levando a decisão para as fatídicas penalidades, aonde os argentinos levaram a melhor vencendo por 4 a 2.

Campeão da Copa Libertadores em 2016 pelo Atlético Nacional, e em 2018, pelo River Plate, o goleiro Franco Armani defendeu as duas penalidades que garantiram a classificação dos Milionários.
Campeão da Copa Libertadores em 2016 pelo Atlético Nacional, e em 2018 pelo River Plate, o goleiro Franco Armani defendeu as duas penalidades que garantiram a classificação dos Milionários no Mineirão.

Muitos dirão que a classificação do River Plate às quartas de final da Copa Libertadores foi puramente na sorte, visto que ela deu-se apenas nos pênaltis. Mas será mesmo, será que o incrível retrospecto de Marcelo Gallardo em decisões mata-matas não deve ser levado em consideração? E as excelentes cobranças dos argentinos, todas concretizadas, não devem ser valorizadas? O ótimo futebol apresentado pelos Milionários desde a chegada de Gallardo à Núñez em 2014, que inclusive foi preponderante para que o clube se tornasse uma máquina de ganhar título nos últimos anos, também foi mera obra do acaso?

Poderíamos enumerar aqui uma série de questões, que levariam todos a mesma resposta, ou seja: o trabalho de Marcelo Gallardo no River Plate é digno de aplausos. Por este motivo, o eterno ídolo dos Milionários que já era tido como um dos maiores ídolos da história do clube, em virtude de sua excelente trajetória dentro das quatro linhas, aumentou ainda mais a sua idolatria depois que ergueu três vezes o caneco da Recopa Sul-Americana, dois da Copa Libertadores, dois da Copa da Argentina, entre outros, todos conquistados neste período de cinco anos em que Muñeco está à frente da equipe de Núñez.

Marcelo Gallardo é o treinador mais bem pago do futebol sul-americano. O técnico de 43 anos de idade ganha pouco mais de 2 milhões de reais por mês para comandar o River Plate.
Marcelo Gallardo é o quinto argentino na história, que venceu a Copa Libertadores tanto como jogador quanto como treinador, lembrando que Humberto Maschio, Roberto Ferreiro, José Omar Pastoriza e Nery Pumpido completam esta seleta lista.

Com a vitória sobre o Cruzeiro, Marcelo Gallardo estendeu para cinco a sua invencibilidade diante de clubes brasileiros em mata-matas, permanecendo com 100% de aproveitamento nestes confrontos já que ele jamais foi eliminado por equipes tupiniquins. Todavia, não é somente contra equipes do Brasil que o treinador de 43 anos de idade apresenta este invejável desempenho, uma vez que a performance de Gallardo em duelos frente agremiações de outros países sul-americanos, também chama bastante a atenção. Confira a abaixo este incrível histórico:

  • Copa Sul-Americana 2014 – Campeão – eliminou Godoy Cruz, Libertad, Estudiantes, Boca Juniors e Atlético Nacional.
  • Copa Libertadores 2015 – Campeão – eliminou Boca Juniors, Cruzeiro, Guarani (PAR) e Tigres (MEX).
  • Recopa Sul-Americana 2015 – Campeão – venceu o San Lorenzo.
  • Copa Sul-Americana 2015 – semifinalista – eliminou LDU de Quito e a Chapecoense.
  • Recopa Sul-Americana 2016 – Campeão – venceu o Independiente Santa Fé (COL).
  • Copa Libertadores 2017 – semifinalista – eliminou  Guarani (PAR) e Jorge Wilstermann (BOL).
  • Copa Libertadores 2018 – Campeão – eliminou Racing, Independiente, Grêmio e Boca Juniors.
  • Recopa Sul-Americana 2019 – Campeão – venceu o Atlético Paranaense.

Ao analisarmos este fantástico retrospecto, notamos que Marcelo Gallardo venceu 21 dos 24 duelos mata-matas realizados desde que ele assumiu o comando do River Plate em 2014. As únicas eliminações sofridas por Gallardo neste período, foram diante do Huracán, pelas semifinais da Copa Sul-Americana 2015, frente o Independiente del Valle (EQU), pelas oitavas de final da Copa Libertadores 2016, e a última delas, para o Lanús, pelas semifinais da Copa Libertadores 2017. Por essas e outras, fica mais do que evidente, porque El Muñeco é apontado como o melhor treinador do futebol sul-americano na atual década.

 

 

 

 

 

Deixar um comentário

Menu