É Mbappé, ou ninguém!

Pela segunda temporada consecutiva, o Real Madrid não investiu NADA – pelo menos até o momento – em contratações de reforços. Mas desta vez, existe uma explicação para isso: trazer Kylian Mbappé nesta janela de meio de ano!

Ao contratar Carlo Ancelotti para suceder Zinedine Zidane no comando técnico madridista, o presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, sabia que teria um homem de confiança no cargo. Em função dos trabalhos meramente razoáveis realizados pelo treinador de 62 anos de idade à frente de Napoli e Everton, tanto a mídia espanhola quanto a torcida merengue não acreditavam que a escolha por parte de Florentino era a correta, sobretudo porque Antonio Conte, campeão italiano com a Internazionale na temporada passada, encontrava-se disponível no mercado.

No entanto, o mandatário madridista já imaginava o turbilhão de problemas que teria de enfrentar caso contratasse Antonio Conte, afinal, não é surpresa para ninguém que além do técnico italiano ter um gênio pra lá de difícil, ele costuma cobrar bastante as diretorias dos clubes pelos quais trabalha. Pois é, e estes fatores aliados à outros, acabaram desencadeando o regresso de Carlo Ancelotti ao Santiago Bernabéu, como por exemplo: a experiência e liderança para gerir plantéis de atletas; o conhecimento da cultura do Real Madrid; e um histórico de sucesso à frente da equipe merengue.

A propósito, é importante salientar que mais duas emblemáticas figuras também regressaram ao Santiago Bernabéu juntamente com Carlo Ancelotti nesta temporada. Tratam-se do preparador físico Antonio Pintus, que trabalhou no Real Madrid entre os anos de 2016 e 2019, isto é, gloriosa época em que o time espanhol faturou o tricampeonato europeu sob a batuta de Zinedine Zidane, além do treinador de goleiros do clube de 2015 a 2018, Luis Llopis.

Já dentro das quatro linhas, a única novidade do Real Madrid responde pelo nome de David Alaba, visto que Gareth Bale, Luka Jovic, Martin Odergaard e Dani Ceballos, retornaram de seus respectivos empréstimos. Vale ressaltar, que Alaba transferiu-se à custo zero ao clube espanhol devido ao término de seu antigo contrato junto ao Bayern, o que significa que os merengues não gastaram nada nesta janela de meio de ano, assim como ocorreu em toda a última temporada.

Obviamente, a crise global gerada pela pandemia contribuiu para a ausência do Real Madrid no mercado da bola desde a temporada anterior. Todavia, uma das principais razões para este “fenômeno”, são as péssimas investidas realizadas pelo clube espanhol nos últimos anos, período em que os merengues despejaram nada menos do que 250 milhões de euros para trazer Luka Jovic (60m), Vinícius Júnior (45m), Rodrygo (45m), Reinier (30m), Álvaro Odriozola (30m), Dani Ceballos (20m) e Brahim Díaz (20m). E sem contar Eden Hazard, contratado pelo montante de 120 milhões de euros.

Dentre todos estes reforços, até é compreensível gastar um valor superior a 100 milhões de euros para contratar Eden Hazard, haja vista a excelente passagem do belga pelo Chelsea. No entanto, este investimento se torna caro ao levarmos em consideração o custo-benefício, pois Hazard disputou somente 44 partidas e marcou cinco gols desde que chegou ao Real Madrid na temporada retrasada. Logo, não restaram alternativas ao presidente Florentino Pérez, que não juntar dinheiro para viabilizar a vinda do craque Kylian Mbappé.

Apesar do desejo assumido do atacante do PSG em transferir-se ao conjunto merengue, o negócio só não saiu porque o clube espanhol não tem condições financeiras de bancar a sua contratação, algo que se tornaria viável com as saídas dos negociáveis Martin Odergaard, Luka Jovic, Mariano Díaz, Álvaro Odriozola, Isco e Gareth Bale, lembrando que recentemente Raphael Varane foi vendido por 40 milhões de euros. Portanto, até o dia 31 saberemos se a tão esperada chegada de Kylian Mbappé ao Real Madrid se confirmará – ou não -, o que não vai mudar o humor do motivadíssimo Carlo Ancelotti!

Deixar um comentário

Menu