Aonde o Arsenal vai parar?

Ocupando a lanterna na tabela da Premier League sem somar nenhum ponto nas três primeiras rodadas da competição, o Arsenal, de Mikel Arteta, não poderia ter iniciado pior a sua caminhada na nova temporada do futebol inglês.

O revés do Arsenal frente o recém-promovido Brentford, pelo placar mínimo na rodada inicial da nova edição da Premier League, já dava indícios de que os comandados de Mikel Arteta enfrentariam grandes problemas na temporada. Pois é, e as derrotas nos jogos seguintes diante de Chelsea, por 2 a 0, e Manchester City, por 5 a 0, somente comprovaram esta tese. Não à toa, os Gunners registraram o seu pior início na história da liga inglesa em virtude dos três resultados negativos nas três primeiras partidas da competição, nos quais eles não balançaram as redes adversárias.

Aliás, vale ressaltar que na temporada 1954/55, os Gunners também haviam sofrido três tropeços nas três primeiras rodadas da liga inglesa, porém naquela oportunidade, eles perderam marcando gols em pelo menos um dos jogos disputados. Assim, diante deste pífio início na Premier League 2021/22, uma enorme crise se instaurou pelos lados do Emirates Stadium, especialmente sobre o treinador Mikel Arteta e o diretor de futebol Edu Gaspar, afinal, o Arsenal foi o clube da Terra da Rainha que mais investiu nesta janela de transferências, tendo despejado € 147 milhões em contratações.

Sob a direção de Edu Gaspar, o Arsenal já investiu quase € 400 milhões em reforços, o que gera uma série de questionamentos em relação ao trabalho do dirigente brasileiro. Não obstante está o técnico Mikel Arteta, que embora tenha conquistado os títulos da FA Cup e da Supercopa da Inglaterra no ano passado, vem colecionando mais decepções do que alegrias no cargo, haja vista as OITAVAS posições nas duas edições anteriores da Premier League, ou seja, as piores dos Gunners desde 1995.

No entanto, é importante salientar que a KSE, companhia norte-americana que administra o Arsenal desde agosto de 2018, mudou totalmente o projeto esportivo dos Gunners nesta temporada, e isso fica evidente através das contratações realizadas pelo clube nesta janela de transferências. Para se ter uma ideia, dos cinco reforços apresentados pelos londrinos até aqui, todos tem idade inferior a 24 anos de idade, o que significa que eles trabalham visando um planejamento à longo prazo.

Desta maneira, o Arsenal, que nas últimas temporadas chegou a investir na vinda de veteranos como David Luiz e William, passou a focar única e exclusivamente em contratações de jovens promissores após ter dado início a este novo projeto esportivo liderado por Edu Gaspar e Mikel Arteta. Portanto, os Gunners precisarão ter muita paciência com a remontagem do plantel cuja média de idade é de somente 25,3 anos, sendo assim, o penúltimo mais novato da Premier League ao lado do Norwich, ambos apenas mais velhos do que o elenco do “caçula” Brentford (24,0 anos de média).

Assim, ao contarem com o apoio de Stan Kroenke, dono da KSE, para dar continuidade a este planejamento, tanto Edu Gaspar quanto Mikel Arteta serão mantidos em seus respectivos cargos pelo menos até a metade da temporada, isto é, o prazo máximo dado pelo magnata norte-americano para que os Gunners se recuperem do desastroso início na Premier League. Em contrapartida, o que pesa neste momento é a falta de paciência dos torcedores do Arsenal, desiludidos com o time desde o final da “era Arsène Wenger” no clube.

Por sinal, se dependesse da torcida, Antonio Conte já estaria comandando o time à beira de campo. Todavia, é necessário considerar o ponto de vista do técnico italiano, afinal, o que o levaria a suceder Mikel Arteta neste instante? Lembrando que recentemente ele rejeitou uma proposta para dirigir o Tottenham. Além disso, o ex-treinador da Inter de Milão prefere trabalhar com atletas mais “cascudos”, quer dizer, outro aspecto que desfavorece os Gunners. Isto posto, a realidade é uma só: “ou o Arsenal começa a vencer com Arteta, ou o Arsenal começa a vencer com Arteta”. Simples assim!

Deixar um comentário

Menu