Lavada Histórica

Três meses após surpreender o mundo, ao disputar a grande decisão da Champions League, o Tottenham voltou a estampar as capas dos principais jornais esportivos na manhã desta quarta-feira, mas desta vez, por conta da humilhante derrota sofrida diante do Bayern, por 7 a 2, em pleno estádio White Hart Lane.

A temporada passada foi realmente memorável para o Tottenham, afinal, a equipe do norte de Londres conseguiu a façanha de disputar a final da Champions League, um feito jamais alcançado pelo clube até então. Embora os Spurs tenham caído diante do Liverpool por 2 a 0 na decisão do torneio, é óbvio que tanto os jogadores como o treinador Mauricio Pochettino, receberam uma série de elogios pela ótima campanha realizada pelo time na competição, sobretudo porque naquela oportunidade o conjunto londrino não havia feito nenhuma contratação na janela de transferências, devido às obras de modernização do estádio White Hart Lane.

O simbólico vice-título europeu dos Spurs, criou uma enorme expectativa em relação ao sucesso dos pupilos de Mauricio Pochettino na atual temporada, ainda mais porque ao contrário dos últimos dois anos, o Tottenham teve a possibilidade de voltar a atuar no mercado de transferências, tanto é, que o time da capital inglesa investiu a bagatela de 114 milhões de euros (R$ 518,7 milhões) para contratar os jogadores Tanguy Ndombélé, Ryan Sessegnon e Giovani Lo Celso, junto a Lyon, Fulham e Betis, respectivamente. Deste modo, as esperanças eram tão grandes pelos lados do White Hart Lane, que o treinador Mauricio Pocchetino afirmou que o Tottenham brigaria diretamente com Manchester City e Liverpool, pelo caneco da Premier League.

Desde 2014 no comando do Tottenham, o técnico Mauricio Pochettino não ergueu nenhum caneco pelo time londrino.
Desde 2014 no comando do Tottenham, o técnico Mauricio Pochettino não ergueu nenhum caneco pelo time londrino.

No entanto, os tropeços do Tottenham diante de Newcastle (0 x 1) e Leicester (1 x 2), nos primeiros jogos da Premier League, além da precoce eliminação frente o Colchester, pela 3ª Fase da Copa da Liga Inglesa, caíram como um verdadeiro balde de água fria sobre os Spurs, frustrando todas as expectativas dos torcedores. A propósito, escrevi um artigo sobre o tema no final do mês de agosto. Caso não tenha lido, acesse o link abaixo: https://www.soccerblog.com.br/2019/08/26/tottenham-nao-voltou-das-ferias

Logo, fica evidente que o Tottenham não vem praticando um bom futebol desde o início da temporada. No momento, o time londrino ocupa somente a 6ª colocação na tabela da Premier League com 11 pontos ganhos, colecionando o total de 3 vitórias, 2 empates e duas derrotas em 7 jogos disputados, obtendo 52,4% de aproveitamento através desta razoável campanha. Vale ressaltar, que a diferença dos Spurs para o Liverpool, atual líder da competição, já é de dez pontos. Portanto, o título inglês vai ficando cada vez mais distante do White Hart Lane.

O último título conquistado pelo Tottenham foi a Copa da Liga Inglesa, ganho em 2008, quando o time era comandado por Juande Ramos.
O último título conquistado pelo Tottenham foi a Copa da Liga Inglesa, ganho em 2008, quando o time era comandado por Juande Ramos.

Mas por incrível que pareça, o pior pesadelo do Tottenham na temporada ainda estava por vir. Depois do time inglês estrear na Champions League com um empate diante do Olympiakos (2 x 2), na Grécia, a equipe comandada por Mauricio Pochettino tinha como principal objetivo, derrotar o Bayern Munique no White Hart Lane, e assim, assumir a liderança do grupo B do torneio, até porque é de suma importância aos times que disputam a competição, vencer as partidas em que eles atuam como mandantes, e na medida do possível, beliscar outros pontos nos jogos fora de casa.

Todavia, o que se viu no estádio White Hart Lane foi um massacre por parte do Bayern Munique, que atropelou o Tottenham por 7 a 2, sendo esta, a maior goleada sofrida por um clube inglês atuando em seus domínios por torneios continentais, lembrando que os ingleses disputam competições de âmbito internacional há exatos 137 anos. Esta humilhante derrota tornou-se ainda mais dolorosa, porque o atacante Serge Gnabry, cria do Arsenal (maior rival do Tottenham), balançou as redes em quatro ocasiões, enquanto Robert Lewandowski, duas vezes, e Joshua Kimmich, marcaram os outros tentos da partida. Como não poderia deixar de ser, os atuais vice-campeões europeus deixaram o gramado do White Hart Lane sob vaias.

Com o triunfo do Estrela Vermelha sobre o Olympiakos por 3 a 1, os Spurs caíram para a terceira posição do grupo B com apenas 1 ponto. Sexto colocado na Premier League, terceiro na Champions League, e eliminado em seu primeiro compromisso pela Copa da Liga Inglesa, este é o atual cenário vivido pelo Tottenham, que por sua vez, nunca passou por um momento tão turbulento sob o comando de Mauricio Pochettino. Obviamente, a diretoria do clube londrino não irá demitir o treinador argentino, nem deveria cogitar essa hipótese, mas é nítido que passou da hora de cobrá-lo, exigindo um rendimento minimamente convincente da equipe.

Dos três reforços contratados pelo Tottenham, apenas Tanguy Ndombélé está jogando, à medida que os lesionados Ryan Sessegnon e Giovani Lo Celso estarão à disposição de Mauricio Pochettino apenas após a pausa referente à data FIFA. Desse modo, não restam dúvidas de que os Spurs terão caras novas depois do jogo do próximo sábado contra o Brighton, e é exatamente disso que o time precisa, de renovação, jogadores ambiciosos, sedentos para vestir a camisa do clube, ou seja, atletas com um espírito completamente oposto ao de figuras como Christian Eriksen e Toby Alderweireld. Assim, esperamos ver uma grande evolução do Tottenham no período pós 7 a 2, nesta que segundo disse o próprio Pochettino, será uma nova era para os Spurs.

 

 

 

 

Deixar um comentário

Menu