A máquina de Jurgen Klopp

Uma máquina, assim podemos definir o infernal time do Liverpool, de Jurgen Klopp, que depois de conquistar a Europa na temporada passada, segue firme e forte a sua caminhada rumo ao tão sonhado título da Premier League.

A temporada 2018/19 ficou marcada eternamente tanto na memória dos torcedores do Liverpool quanto na do treinador Jurgen Klopp, afinal, foi exatamente nela que os Reds quebraram um longo tabu de seis primaveras sem títulos, à medida que o comandante alemão ergueu o seu primeiro caneco à frente da equipe inglesa. Vale ressaltar, que quando o ex-técnico do Borussia Dortmund desembarcou na Terra dos Beatles, em 2015, ele garantiu que o conjunto de Merseyside voltaria a dar a volta olímpica pelo menos nos próximos quatro anos, promessa essa, cumprida com alguns meses de antecedência por Klopp.

Mas muitos perguntam, porque Jurgen Klopp tinha tanta convicção que os Reds venceriam um título em quatro anos? É justamente pelo fato do treinador alemão entender que este é o tempo necessário para que um técnico implante a sua filosofia de jogo em uma equipe. É claro que a diretoria do clube abraçou essa ideia, tanto é, que ela bancou a permanência do técnico até ele vencer a Champions League na temporada anterior, lembrando que antes desta conquista, o Liverpool havia sido apenas vice-campeão da Copa da Liga Inglesa e da Europa League, em 2016, e vice da própria Champions League, em 2018, tudo sob o comando de Klopp.

No último dia 08, Jurgen Klopp, eleito o melhor treinador do mundo no ano de 2018 pela FIFA, completou o seu quarto ano no comando do Liverpool.
No último dia 08, Jurgen Klopp, eleito o melhor treinador do mundo no ano de 2018 pela FIFA, completou o seu quarto ano no comando do Liverpool.

O estilo de jogo das equipes comandadas por Jurgen Klopp é extremamente intenso, composto por uma forte marcação na saída de bola do adversário, e com os jogadores buscando recuperar a redonda o mais rápido possível. Portanto, trata-se de uma proposta que exige 100% de dedicação por parte dos atletas em campo, ou seja, é necessário que todos aceitem essa forma de jogar. A propósito, isso explica porque Klopp deparou-se com uma série de dificuldades assim que chegou ao Borussia Dortmund em 2008, depois de ser contratado junto ao modesto Mainz 05.

Embora o ex-comandante do Borussia Dortmund tenha vivido um longo período de seca à frente do Liverpool, os Reds criaram uma enorme identidade durante esta fase, transformando-se por inteiro em uma equipe com a cara de Klopp. Por este motivo, a diretoria não dispensou o treinador alemão, pois enxergava uma grande evolução no time, e é evidente que caso isso não tivesse acontecido, certamente o técnico da equipe seria outro à essa altura do campeonato, basta recordarmos o final do antecessor de Jurgen Klopp, Brendan Rodgers, em Anfield.

Klopp
Em 221 jogos à frente dos Reds, Jurgen Klopp soma 130 vitórias, 52 empates e 39 derrotas, obtendo assim, 66.6% de aproveitamento através desta ótima performance.

Com a identidade criada e a filosofia de jogo totalmente implantada, o Liverpool, de Jurgen Klopp, tornou-se uma verdadeira máquina. Assim, os Reds foram premiados com o título da Champions League na última temporada, sendo o sexto da equipe até hoje. Além disso, os comandados de Jurgen Klopp por pouco não faturaram a Premier League, visto que eles ficaram na  segunda posição da tabela da competição a apenas um ponto do bicampeão Manchester City. A propósito, os 97 pontos registrados pelo Liverpool naquela oportunidade, colocaram o time de Merseyside como o melhor vice-colocado da história da liga inglesa.

Na atual temporada, o Liverpool continua voando dentro de campo. Não à toa, os campeões europeus encontram-se isolados na ponta da tabela da Premier League, somando o total de 24 pontos em oito jogos disputados até aqui, mantendo-se com 100% de aproveitamento no torneio. A campanha dos Reds é tão surpreendente, que eles já abriram uma vantagem de oito pontos em relação ao Manchester City, segundo colocado com 16 pontos ganhos. Apesar de estarmos no início da competição, é difícil imaginarmos o Liverpool desperdiçar a grande chance de vencer esta edição da liga inglesa, algo que não acontece desde 1990.

E não é somente o futebol praticado pelo Liverpool que nos levam a crer que os Reds serão campeões ingleses, pondo fim a um jejum que está prestes a completar 30 anos. As estatísticas também jogam a favor da equipe de Anfield, uma vez que ela mantém-se invicta há exatos 44 jogos atuando em seus domínios. E não para por aí, pois o Liverpool venceu os seus últimos dezessete compromissos válidos pela Premier League, estando a somente uma partida de igualar-se ao Manchester City, time detentor do maior número de triunfos seguidos pela liga (recorde batido em 2017). Diante de todo este cenário, entendemos porque a frase de Bill Shankly: “Eu fui feito para o Liverpool e o Liverpool estava feito para mim”, serve tão bem para Jurgen Klopp, praticamente um novo beatle do século XXI.

 

 

Deixar um comentário

Menu