A passagem relâmpago de Marco Giampaolo pelo San Siro

Pouco mais de três meses, este foi o tempo que o técnico Marco Giampaolo “sobreviveu” no comando do Milan, um longo período se considerarmos a enorme rejeição do treinador tanto por parte da torcida quanto dos próprios jogadores. Cabe agora ao novo comandante milanista, Stefano Pioli, tentar aparar as arestas e recolocar a equipe novamente no caminho das vitórias.

Não é surpresa para ninguém que o Milan dos dias atuais, não lembra nem de longe aquele poderoso esquadrão comandado por Carlo Ancelotti no início do século, composto por craques como Clarence Seedorf, Kaká, Cafu, Filippo Inzaghi, Paolo Maldini, Alessandro Nesta, Andrea Pirlo, Rui Costa, Rivaldo, e Andriy Shevchenko. Uma equipe que encantou o mundo através de seu excelente futebol, e no final das contas, conquistou todos os títulos possíveis entre os anos de 2002 a 2004, uma época repleta de glórias para os milanistas. Acontece, que a enorme crise econômica que assolou a Itália no final da década passada, colaborou para que o Milan se deparasse a um verdadeiro naufrágio, sobretudo porque o ex-presidente italiano Silvio Berlusconi, era também o mandatário do rubro-negro de Milão.

Desde de então, os torcedores milanistas vem passando por um grande calvário, sofrendo as consequências da péssima gestão da família Berlusconi. Não à toa, os rossoneros não disputam a Champions League desde 2014. E não para por aí, uma vez que a melhor posição alcançada pelo Milan no Calcio, nos últimos cinco anos, foi a 5ª colocação conquistada na temporada passada, quando o time tinha o ídolo Gennaro Gattuso à frente da equipe. Vale ressaltar, que após a saída do treinador Massimiliano Allegri em 2014, o clube de Milão literalmente perdeu o rumo, haja vista o desempenho do Milan na Serie A, no período pós Allegri, confira:

  • 2014 – 8º colocado – técnico: Clarence Seedorf
  • 2014/15 – 10º colocado – técnico: Filippo Inzaghi
  • 2015/16 – 7º colocado – técnico: Cristian Brocchi
  • 2016/17 – 6º colocado – técnico: Vincenzo Montella
  • 2017/18 – 6º colocado – técnico: Gennaro Gattuso
  • 2018/19 – 5º colocado – técnico: Gennaro Gattuso
Marco Giampaolo foi o técnico que teve o pior aproveitamento à frente do Milan, no período pós Massimiliano Allegri.
Com 42,9% de aproveitamento, Marco Giampaolo foi o técnico que teve o pior desempenho à frente do Milan no período pós Massimiliano Allegri.

Diante deste cenário, a alternativa encontrada pela diretoria milanista foi trazer Marco Giampaolo, ex-treinador da Sampdoria. A propósito, através desta contratação, os rossoneros deixaram para trás a filosofia de ter ex-atletas comandando o time à beira do campo, já que dos cinco treinadores que dirigiram a equipe nos últimos cinco anos, somente Vincenzo Montella não defendeu as cores do Milan como jogador profissional.

Obviamente, o ótimo trabalho de Marco Giampaolo na Sampdoria foi levado em consideração para que os diretores do Milan, Zvonimir Boban e Paolo Maldini, optassem pela vinda do treinador à Milão. Nas três temporadas em que Giampaolo dirigiu a equipe de Gênova, ela terminou o Calcio uma vez na décima posição, e duas outras vezes na nona colocação, ou seja, boas performances para um time acostumado a brigar na parte debaixo da tabela do campeonato.

Depois de sondar José Mourinho, e abrir negociações com Luciano Spalletti, o Milan anunciou que Stefano Pioli será o novo técnico da equipe.
Depois de sondar José Mourinho, e abrir negociações com Luciano Spalletti, o Milan anunciou que Stefano Pioli será o novo técnico da equipe. O ex-treinador da Fiorentina assinou um vínculo válido até 2021 com os rossoneros.

No entanto, poucos imaginavam que a passagem de Marco Giampaolo pelo San Siro duraria apenas 111 dias (o trabalho mais curto de um treinador pelo Milan). Em apenas sete jogos no comando do conjunto milanista, o treinador de 52 anos de idade colecionou três vitórias e quatro derrotas, lembrando que todas estas partidas foram disputadas pelo Calcio. Embora os rossoneros tenham colocado um fim na série de três revezes seguidos ao vencer o Genoa por 2 a 1 no último sábado, a diretoria não exitou em demitir o ex-técnico da Sampdoria após este triunfo em Gênova. Deste modo, Giampaolo deixou o Milan na 12ª posição da Serie A com 9 pontos nas 7 primeiras rodadas do campeonato.

Seria uma tremenda injustiça demitir Marco Giampaolo porque os rossoneros seguem distantes da luta pelo scudetto do Calcio, visto que os elencos de Juventus, Internazionale e Napoli são bem mais qualificados tecnicamente. Todavia, não figurar nem entre os dez primeiros colocados na classificação do campeonato é realmente uma prova de que o trabalho de Giampaolo era decepcionante no Milan, pois para quem não sabe, o plantel milanista é o 4º mais caro da Itália, atrás somente das três equipes citadas acima, isto é, as principais forças do futebol italiano na atualidade. Mas o pior de tudo, é vermos Hellas Verona, Bologna e Parma, times com pouquíssimos recursos financeiros, empatados com o Milan na tabela, ao passo que o Cagliari, por exemplo, vem à frente com 11 pontos, no 7ª posto.

A precoce saída de Marco Giampaolo, não deu-se apenas pelo fraco futebol praticado pelo time dentro de campo, afinal, a relação do treinador com alguns jogadores era péssima fora das quatro linhas. Talvez, esta seja a razão pela qual os jogadores Krzysztof Piatek, Suso e Lucas Paquetá, caíram tanto de rendimento nesta temporada, à medida que os recém-contratados Ismael Bennacer, Rafael Leão e Rade Krunic, até agora não mostraram a que vieram. Entretanto, iremos saber em breve se este era o real problema que afetava a equipe, isso porque Stefano Pioli, ex-Fiorentina, já foi confirmado oficialmente como o novo técnico milanista. Logo, está nas mãos de Pioli a difícil tarefa de classificar o Milan à Champions League após cinco longos anos. O próximo compromisso dos rossoneros será no dia 20/10, data do aniversário de Stefano Pioli, diante do Lecce no estádio San Siro. Aguardemos!

 

 

 

 

 

 

 

Deixar um comentário

Menu