Cadê o futebol da Juventus?

Os primeiros meses de Maurizio Sarri no comando técnico da Juventus realmente não foram como todos imaginavam, isso explica porque o ex-treinador do Chelsea vai passar as festas de final de ano com a corda no pescoço.

A década de 2010 ficou marcada pela supremacia da Juventus no futebol italiano, afinal, a equipe de Turim faturou o montante de oito scudettos do Calcio, quatro Copas da Itália, além de outras quatro Supercopas nacionais neste período. Entretanto, como o tão desejado título da Champions League não é conquistado pela Juve desde 1996, a diretoria bianconera decidiu investir pesado na temporada passada para contratar Cristiano Ronaldo junto ao Real Madrid, sobretudo porque o craque português já ergueu cinco vezes a orelhuda ao longo de sua carreira, sendo quatro pelo Real Madrid e uma pelo Manchester United.

Acontece, que nem mesmo a chegada de Cristiano Ronaldo foi capaz de conduzir a Juventus ao título da Champions League, tanto é, que os bianconeros caíram diante do Ajax, nas quartas de final da edição anterior do torneio continental. Assim, a diretoria do clube entendeu que o pragmático estilo de jogo praticado pela equipe era o grande responsável pelo insucesso da Juve na competição. Consequentemente, o treinador Massimiliano Allegri acabou sendo demitido ao término da temporada para dar lugar ao ex-técnico do Napoli e do Chelsea, Maurizio Sarri, conhecido por armar os seus times de maneira bastante ofensiva dentro de campo.

Prestes a completar seus primeiros seis meses à frente da Juventus, Maurizio Sarri soma 18 vitórias, 4 empates e duas derrotas à frente da equipe (
Prestes a completar seus primeiros seis meses no comando da Juventus, Maurizio Sarri soma 18 vitórias, 4 empates e duas derrotas à frente da equipe (80,5% de aproveitamento).

Embora ainda seja muito cedo para avaliarmos o trabalho de Maurizio Sarri na Juventus, a queda de rendimento dos atuais octacampeões italianos é mais do que evidente sob o comando de seu novo comandante. Para se ter uma ideia, a Juve fechou o ano dividindo a liderança do Calcio com a Internazionale, visto que ambos contabilizam 42 pontos na tabela do campeonato. Todavia, como a equipe de Milão supera o time de Turim nos critérios de desempate (gols marcados e gols sofridos), a Velha Senhora é a segunda colocada na classificação.

Mas o Natal dos bianconeros será ainda pior depois que a Juventus sofreu uma duríssima derrota diante da Lazio, por 3 a 1, pela final da Supercopa da Itália 2019, sendo este, o segundo revés seguido dos pupilos de Maurizio Sarri frente os biancocelestis. Vale ressaltar, que não é somente o fato de ter perdido a decisão que incomodou tanto os torcedores da Juve, mas sim, a enorme superioridade e até a facilidade com a qual o conjunto romano selou este triunfo, lembrando que a folha salarial da Juventus é quatro vezes mais cara em relação aos ordenados da Lazio.

A série de 14 vitórias consecutivas em finais do craque Cristiano Ronaldo, chegou ao fim com a derrota da Juventus diante da Lazio pela decisão da Supercopa da Itália.
A série de 14 vitórias consecutivas em finais do craque Cristiano Ronaldo, chegou ao fim com a derrota da Juventus diante da Lazio pela decisão da Supercopa da Itália.

Outro detalhe interessante, é que a solidez defensiva, marca registrada da Juventus nos últimos anos, também já não é mais a mesma. Após ter tido a melhor defesa do Calcio em todas as campanhas do octacampeonato italiano, a Juve é dona apenas da terceira melhor defesa do campeonato juntamente com a Roma na atual temporada, ambas assinalando 17 gols sofridos em 17 jogos até aqui. Desta maneira, tanto a Internazionale (14) quanto a Lazio (16), seguem à frente dos bianconeros neste quesito. Certamente, a filosofia de jogo adotada por Maurizio Sarri colaborou para a queda de rendimento do setor defensivo da equipe.

Diante de todo este cenário, a pressão sobre Maurizio Sarri já é enorme pelos lados de Turim, por esta razão é impossível afirmar que o treinador de 60 anos de idade irá terminar a temporada no comando da Juve, ainda mais com o argentino Mauricio Pochettino dando sopa no mercado. Além disso, o excelente trabalho de Antonio Conte na Internazionale, a curta e conturbada passagem de Sarri pelo Chelsea, e a verdadeira obsessão do técnico italiano pelo esquema 4-3-3, também são elementos que pesam de forma bastante negativa ao comandante da Juventus neste momento.

Na época em que Maurizio Sarri dirigia o Napoli, era algo totalmente comum vermos o técnico reclamando da falta de recursos financeiros do clube napolitano em comparação à Juventus. Hoje, mesmo com toda a fortuna da família Agnelli à sua disposição, Sarri vem encontrando enormes dificuldades para fazer o seu time jogar aquele futebol ofensivo e intenso que todos esperavam. Devido às festas de fim de ano, os bianconeros só voltarão à campo no dia 06/01, quando terão o Cagliari pela frente. Deste modo, é bom o treinador usar estas semanas livres da melhor maneira possível para realizar ajustes na equipe, já que somente títulos garantirão a sua permanência no cargo.

 

 

 

 

Deixar um comentário

Menu