O surpreendente início de temporada do Aston Villa

Após se livrar do rebaixamento na última rodada da edição anterior da Premier League, o Aston Villa iniciou a sua caminhada de forma avassaladora nesta nova temporada do futebol inglês… o Liverpool que o diga!

A temporada 2019/20 ficou marcada pelo retorno do Aston Villa à Premier League após três longos anos. E assim como ocorre com a maioria dos times recém-promovidos, os Villans sofreram um bocado para permanecer na divisão de elite do futebol inglês. Não à toa, eles só evitaram o rebaixamento na última rodada da competição, já que com o empate diante do West Ham por 1 a 1, o conjunto de Birmingham chegou aos 35 pontos na classificação, isto é, um a mais em relação ao Bournemouth, primeira equipe rebaixada na edição passada da campeonato.

Vale ressaltar, que o Aston Villa investiu pesado no mercado de transferências na temporada 2019/20. Para se ter uma ideia, naquela oportunidade a diretoria dos Villans despejou o montante de 159,1 milhões de euros (R$ 1 bilhão) para trazer mais de dez novos reforços ao Villa Park, tudo obviamente com o intuito de não fazer feio em seu primeiro ano de regresso à Premier League. Mas apesar de toda esta gastança, o time sete vezes campeão inglês ao longo da história encerrou a sua participação ocupando a modesta 17ª posição na tabela do torneio.

No entanto, ao analisarmos o desempenho do Aston Villa na edição anterior da Premier League, notamos que a diretoria não investiu nada bem o seu dinheiro, especialmente em função do pífio rendimento do setor defensivo da equipe que foi vazada 67 vezes em 38 jogos, registrando assim, uma média de 1,76 gols sofridos por partida. Aliás, isso explica porque os Villans ficaram com a segunda pior defesa do torneio, mantendo-se somente à frente do Norwich – sofreu 75 tentos.

E não para por ai, visto que o Aston Villa só não foi vazado em 7 das 38 rodadas da Premier League 2019/20, além de ter assinalado uma baixíssima média de 13,8 desarmes por jogo, terminando como a terceira equipe que menos roubou bolas no campeonato inteiro. Através destes dados, fica evidente que a ausência de boas peças no setor defensivo acabou sendo o aspecto que mais pesou para a campanha negativa dos Villans na última temporada.

Depois de superar uma série de contratempos e garantir a continuidade na Premier League, o Aston Villa traçou como principal objetivo nesta janela de transferências, reforçar o setor defensivo da equipe. Por este motivo, a diretoria do clube não mediu esforços para contratar o goleiro Emiliano Martínez e o lateral-direito Matty Cash junto à Arsenal e Nottingham Forest, respectivamente. Além deles, o volante Ross Barkley foi cedido pelo Chelsea via empréstimo de uma temporada por não estar nos planos do treinador Frank Lampard.

Contudo, ainda sobrou dinheiro para o Aston Villa investir nas contratações do atacante Ollie Watkins, considerado uma das maiores promessas do futebol inglês, e do ponta-esquerda Bertrand Traoré, que estava no Lyon. A propósito, com a vinda destes reforços o clube de Birmingham desembolsou o total de 82,35 milhões de euros (R$ 533,6 milhões), quer dizer, pouco mais da metade do valor gasto na temporada 2019/20. Todavia, a grande jogada dos Villans nesta janela foi assegurar a permanência do craque Jack Grealish, mesmo diante da forte concorrência do Manchester United.

Com a bola rolando, o Aston Villa obteve o seu melhor início no Campeonato Inglês desde 1962 devido aos três triunfos conquistados nas três primeiras rodadas da Premier League 2020/21, incluindo a épica goleada por 7 a 2 aplicada sobre o atual campeão Liverpool, lembrando que os Villans já balançaram as redes adversárias 11 vezes e foram vazados somente em duas oportunidades até aqui. Diante de todo este cenário, não restam dúvidas de que os comandados de Dean Smith prometem ser uma das sensações da temporada 2020/21 na Terra da Rainha. A ver!

Deixar um comentário

Menu