Derrota no North London Derby escancarou a atual situação do Tottenham

Pouco mais de dois anos após disputar a inédita final da Champions League, o Tottenham vive um clima pra lá de crítico, que veio ainda mais à tona depois da duríssima derrota por 3 a 1 no North London Derby.

O tento de Son Heung-min na etapa final do North London Derby impediu com que o Tottenham somasse a sua terceira derrota consecutiva por 3 a 0 na Premier League, quer dizer, o único fato que os Spurs ainda podem comemorar, se é que existe motivo para tal. Pois é, mas ao contrário do clássico contra o Chelsea, no qual os pupilos de Nuno Espírito Santo levaram três gols no segundo tempo da partida, as coisas se inverteram no Emirates Stadium, aonde eles foram vazados três vezes nos quarenta e cinco minutos iniciais do jogo, o que demonstra a total falta de confiabilidade do time.

Entretanto, vale ressaltar que as três vitórias do Tottenham em seus três primeiros compromissos pela Premier League causaram enorme euforia nos torcedores, ainda que todos tivessem sido pelo placar mínimo. O 4-3-3 utilizado por Nuno Espírito Santo, com a equipe pressionando a saída de bola do adversário através de suas linhas altas, e apresentando bastante intensidade e aplicação em campo, deixava a impressão de que os Spurs praticariam um bom futebol sob a batuta do treinador português, algo que caiu por terra após os reveses diante de Crystal Palace, Chelsea e Arsenal.

Aliás, o que se viu do Tottenham nas últimas três rodadas da Premier League foi um time improdutivo e desorganizado, com os jogadores totalmente perdidos e sem saber o que fazer em campo, especialmente no setor de meio-campo, o mais vulnerável da equipe, que não ajudava o ataque criando jogadas, e tampouco a defesa marcando os adversários. Ainda assim, o revés frente o Arsenal só não foi pior por conta da entrada do volante Oliver Skipp no lugar do meia Dele Alli no intervalo do jogo.

No entanto, o fato que mais chamou a atenção na sequência de três derrotas sofridas pelo Tottenham na Premier League, é que em nenhuma delas os jogadores se mostraram convictos em relação ao plano de jogo elaborado por Nuno Espírito Santo, ou seja, uma situação similar a vivida nos finais das trajetórias de Mauricio Pochettino e José Mourinho à frente dos Spurs, porém com uma grande diferença, o ex-técnico do Wolverhampton está a apenas 88 dias no cargo.

E diante deste indigesto cenário, é natural que o trabalho de Nuno Espírito Santo comece a ser questionado, sobretudo porque o técnico português nunca foi unanimidade nem ao menos entre a cúpula diretiva do Tottenham, tendo em vista que Antonio Conte, Mauricio Pochettino e Hansi Flick eram os preferidos da diretoria para assumir o comando do time neste meio de ano, mas como todos rejeitaram as propostas recebidas pelos Spurs, restou ao presidente do clube, Daniel Levy, acertar a contratação do ex-treinador do Wolverhampton poucos dias antes do início da pré-temporada.

O principal objetivo do mandatário do Tottenham era torná-lo um time que divertisse os torcedores através de um futebol ofensivo e intenso. Por esta razão, Hansi Flick foi tão assediado pelo clube inglês após a sua saída do Bayern. De qualquer modo, é impossível saber se os Spurs estariam jogando melhor se o técnico da seleção alemã estivesse ocupando o cargo de Nuno Espírito Santo na atual conjuntura. Todavia, é fato que o treinador português certamente não cumprirá os seus dois anos de contrato no caso de mais algumas apresentações como as três últimas pela Premier League.

Contudo, o maior responsável pela atual situação do Tottenham responde pelo nome de Daniel Levy, afinal, o declínio do clube teve início a partir do instante em que o presidente demitiu Mauricio Pochettino, um dos melhores treinadores da história dos Spurs, para trazer José Mourinho, que vinha de passagens conturbadas por Chelsea e Manchester United. Além disso, as contratações equivocadas de reforços neste período, aliadas ao inexistente planejamento para reformular o time, culminaram com a derrota no North London Derby. Em outras palavras, muitas outras ainda virão!

Deixar um comentário

Menu