De volta pra casa, de volta a Boedo!

Foram longos 40 anos de uma dura e intensa batalha, para que enfim, o San Lorenzo tivesse a oportunidade de voltar pra sua casa, isto é, regressar a Boedo. Uma notícia que foi mais comemorada do que uma conquista de Copa Libertadores pelos torcedores do Ciclón.

Fundado no ano de 1908 (111 anos), no bairro de Boedo, zona oeste da capital Buenos Aires, o San Lorenzo viu no final da década de 70, a página mais triste de sua história ser escrita, isso porque o governo militar argentino obrigou o clube a vender o seu estádio, conhecido como Gasómetro, para quitar dívidas e evitar deste modo a sua falência. Na época, o Gasómetro era, certamente, o estádio mais charmoso da Argentina, não à toa, todos o chamavam de “O Wembley argentino”. No entanto, a ditadura pouco se importou com este detalhe, tanto é, que demoliu-o para construir o primeiro hipermercado do país, o Carrefour.

Em virtude deste duríssimo golpe sofrido no período da ditadura argentina, o Ciclón atuou por anos em diversas canchas, sem ter a sua própria casa. E somente no ano de 1994, o San Lorenzo conseguiu inaugurar o seu novo estádio, apelidado de “Nuevo Gasómetro”, situado no bairro de Flores, a cerca de 3 quilômetros de distância de Boedo, aonde ficava o “Viejo Gasómetro”. Desde então, a equipe azul e grená ergueu uma série de canecos em sua nova residência, inclusive, o da Copa Libertadores da América, em 2014, lembrando que o time do Papa Francisco foi o último dos grandes clubes argentinos a conquistar a taça do torneio continental.

A última partida do San Lorenzo no "Velho Gasômetro", foi diante do Boca Juniors, em 1979. Naquela ocasião, o jogo terminou empatado sem gols.
A última partida realizada pelo San Lorenzo no Viejo Gasómetro, foi diante do Boca Juniors, em 1979. Naquela ocasião, o jogo terminou empatado sem gols.

Embora o San Lorenzo estivesse totalmente adaptado ao Nuevo Gasómetro, os torcedores jamais se esqueceram do Viejo Gasómetro, sobretudo porque uma das principais características dos hinchas argentinos são os seus fortes vínculos com os bairros aonde seus respectivos clubes foram fundados, por isso é comum vermos moradores de Parque Patrícios torcerem para o Huracán, ao passo que os cidadãos de Liniers são fanáticos pelo Veléz Sarsfield, e por aí vai. Logo, as raízes da torcida do Ciclón estão inteiramente ligadas a Boedo.

Por este motivo, o desejo de resgatar a sua identidade nunca deixou de existir no San Lorenzo, que passou a travar uma grande batalha com as autoridades argentinas, com o intuito de trazer o clube novamente à Boedo. No ano de 2008, podemos afirmar que os cuevos deram o seu primeiro passo para vencer esta guerra, já que eles conseguiram recuperar 4.500 metros quadrados do terreno aonde ficava o Viejo Gasómetro, tudo obviamente, seguindo as normas jurídicas legais, através da Lei de Reparação Histórica.

Acima, temos a imagem do projeto do novo estádio do San Lorenzo, que será construído no mesmo local do antigo Gasômetro.
Acima, temos a imagem do projeto do novo estádio do San Lorenzo, que será construído no mesmo local do antigo Gasómetro.

Em seguida, o San Lorenzo passou a adquirir uma considerável quantidade de imóveis no bairro de Boedo, apropriando-se do maior número possível de casas na região. Mas foi exatamente em novembro de 2012, que a equipe do Papa Francisco confirmou a recompra de todo o terreno pertencente ao Carrefour, ao pagar a última parcela referente a essa reaquisição. E para a alegria de todos os hinchas do Ciclón, o último round desta duríssima luta aconteceu na sexta-feira passada, quando o presidente do clube, Matías Lammens, assinou todas as escrituras do terreno junto à prefeitura. No final das contas, o time argentino pagou 150 milhões de pesos (pouco mais de R$ 45 milhões) pela área de 27.524 metros quadrados.

Como não poderia deixar de ser, a confirmação do retorno do San Lorenzo à Boedo, foi extremamente comemorado pelos fanáticos torcedores azulgranas, que por sua vez, fizeram uma enorme passeata pelas ruas do bairro, sendo que o ponto final desta caminhada, foi o número 1700 da avenida La Plata (local aonde será o novo estádio do time). A propósito, mais de 70 mil hinchas foram às ruas festejar a maior vitória da história do Ciclón, portanto não restam dúvidas de que a data do dia 01 de julho de 2019 ficará marcada eternamente na memória dos cuervos.

O planejamento do San Lorenzo a partir de agora, é acelerar o processo de construção de seu novo estádio, que se chamará Papa Francisco, uma simbólica homenagem ao mais ilustre torcedor do clube. A nova casa do Ciclón, será também uma arena multiuso, com capacidade para 38 mil lugares, e para erguê-la, a equipe da capital argentina desembolsará de 50 a 100 milhões de dólares. Se não houverem atrasos, algo bastante improvável, essa obra será concretizada até o final de 2020. Todavia, este detalhe pouco importa, pois o eterno sonho dos azulgranas de um dia retornarem a Boedo, hoje, é pura realidade.

 

Deixar um comentário

Menu