O grande erro do Bayern!

A desgastada relação com os jogadores aliada ao péssimo futebol praticado pela equipe, determinaram a saída de Niko Kovac do comando técnico do Bayern. Diante deste cenário, a pergunta que fica é a seguinte: quem será o novo treinador do conjunto bávaro?

A trajetória de Niko Kovac chegou ao fim no Bayern Munique, após a goleada sofrida pelos heptacampeões alemães diante do Eintracht Frankfurt por 5 a 1, em partida válida pela 10ª rodada da Budesliga. A alegria dos torcedores bávaros assim que a demissão do técnico croata foi confirmada pelo diretor-executivo Karl-Heinz Rummenigge acabou não surpreendendo, visto que o nome de Kovac nunca foi bem quisto desde a sua chegada à Baviera em julho de 2018. Embora o treinador tenha realizado um bom trabalho à frente do Eintracht Frankfurt, ele chegou ao Bayern sendo contestado até mesmo pela diretoria, que por sua vez, tinha o desejo de contratar Thomas Tuchel, ex-Borussia Dortmund, para suceder o ídolo Jupp Heynckes.

No entanto, a diretoria do clube bávaro ficou a ver navios depois que Thomas Tuchel aceitou o desafio de comandar o PSG. Sem opções no mercado, tanto o presidente Uli Hoeness quanto o diretor Karl-Heinz Rummenigge, decidiram apostar as suas fichas em Niko Kovac, campeão da Copa da Alemanha com o Eintracht Frankfurt na temporada anterior, e detalhe, vencendo o próprio Bayern (3 x 1) na decisão do torneio. Talvez seja este o motivo que levou o Gigante da Baviera a contratar o treinador croata. Todavia, o estilo de jogo das equipes dirigidas por Kovac já davam mostras de que ele enfrentaria enormes dificuldades à frente do Bayern, sobretudo porque o time mais poderoso do futebol alemão ainda mantinha viva a filosofia implantada por Pep Guardiola, ou seja, obtendo um sistema ofensivo, baseado na posse de bola, nas rápidas trocas de passes e infiltrações.

Em 65 jogos à frente do Bayern, Niko Kovac colecionou 45 vitórias, 12 empates e somente oito derrotas, obtendo 75,3% de aproveitamento no comando da equipe.
Em 65 jogos à frente do Bayern, Niko Kovac colecionou 45 vitórias, 12 empates e somente oito derrotas, obtendo 75,3% de aproveitamento no comando da equipe.

Como não poderia deixar de ser, Niko Kovac mudou por inteiro a forma do Bayern jogar assim que ele assumiu o comando do time, transformando-o em uma equipe mais defensiva, que costumava marcar atrás da linha de meio-campo, e tinha como característica jogar no erro do adversário, explorando demasiadamente os contra-ataques. Tendo à sua disposição jogadores com atributos contrários ao seu modelo de jogo, o ex-treinador do Eintracht Frankfurt começou a lidar com o descontentamento de diversos atletas de seu próprio elenco, como por exemplo, Manuel Neuer e Thomas Muller.

Mesmo enfrentando todos estes contratempos, o Bayern ainda teve forças para erguer o caneco da Bundesliga e da Copa da Alemanha sob o comando de Niko Kovac. Entretanto, a campanha do Gigante da Baviera na liga alemã acabou sendo a pior dos últimos sete anos. Além disso, a eliminação do time bávaro frente o Liverpool pelas oitavas de final da edição passada da Champions League foi considerada a gota d’água para a diretoria, já que o Bayern necessitava de uma simples vitória diante dos ingleses em Munique devido ao empate sem gols no jogo de ida, em Anfield. Mas no final das contas, os comandados de Jurgen Klopp venceram o jogo de volta por 3 a 1 em plena Allianz Arena.

Sob o comando de Niko Kovac, jogadores mais técnicos como James Rodríguez e Thiago Alcântara perderam espaço no time do Bayern.
Sob o comando de Niko Kovac, jogadores mais técnicos como James Rodríguez e Thiago Alcântara, perderam espaço no time do Bayern.

Contudo, Niko Kovac ainda teve a oportunidade de iniciar a temporada 2019/20 em Munique. As negociações envolvendo os insatisfeitos Mats Hummels, Renato Sanches e James Rodríguez, além da saída dos veteranos Rafinha, Franck Ribéry e Arjen Robben, obrigaram a equipe bávara a investir pesado para trazer os jogadores Benjamin Pavard, Lucas Hernández, Michael Cuisance, Philippe Coutinho e Ivan Perisic. Vale ressaltar, que os 143,5 milhões de euros (R$ 648,6 milhões) despejados pelo Bayern para contratar reforços neste meio de ano, já equivalem a quantia mais alta gasta pelo clube em uma única janela de transferências ao longo da história.

Apesar de todo este investimento realizado pelos bávaros, a caminhada da equipe dentro de campo não começou como de costume na atual temporada, tanto é, que ela divide a segunda posição na tabela da Bundesliga juntamente com RB Leipzig, ambos com 21 pontos, ao passo que o Borussia Monchengladbach lidera a liga com 25. Em onze partidas disputadas até aqui, o Gigante da Baviera contabiliza 6 vitórias, 3 empates e duas derrotas. Todavia, o pífio desempenho defensivo do Bayern é o que realmente chama a atenção, uma vez que o time já foi vazado o montante de 16 vezes, registrando uma média de 1,45 gols sofridos por jogo. Por outro lado, o ataque continua sendo o melhor da competição por conta dos 29 tentos marcados.

Logo, fica evidente que a diretoria cometeu um grande erro ao contratar Niko Kovac, e piorou ainda mais a situação ao mantê-lo por um ano e quatro meses no clube. Em contrapartida, a demissão do treinador croata deu-se no início da Bundesliga, portanto há tempo de sobra para o time recuperar o tempo perdido. A grande incógnita agora é em relação ao futuro comandante do heptacampeão alemão, lembrando que os mais cotados para assumir o cargo no momento são José Mourinho e Massimiliano Allegri, os dois desempregados mais cobiçados no mundo da bola. Além deles, outro técnico que vem tendo o nome bastante falado pelos lados da Allianz Arena é Erik ten Hag, atualmente no Ajax. Mas enquanto o substituto de Kovac não é definido, o interino Hans-Dieter Flick seguirá à frente dos bávaros. Aguardemos as cenas dos próximos capítulos!

 

Deixar um comentário

Menu