Juventus, eneacampeã italiana 2019/20

Ver a Juventus encerrar as temporadas dando a volta olímpica tornou-se rotina no futebol italiano. Não à toa, os bianconeros conquistaram o scudetto do Calcio pela NONA vez consecutiva após a vitória diante da Sampdoria por 2 a 0 no encerramento da 36ª rodada da Serie A.

Apesar da enorme tradição da Juventus, nem o torcedor mais fanático do clube imaginava que a Vecchia Signora dominaria o futebol italiano durante toda a atual década. Pois é, a dinastia da Juve na Itália teve início a partir da temporada 2011/12, quando o time na época comandado por Antonio Conte ergueu o primeiro da série de nove títulos seguidos ganhos pelos bianconeros, um feito jamais alcançado por nenhuma outra agremiação ao longo da história. No geral, foram três scudettos conquistados sob a batuta de Conte, cinco sob a de Massimiliano Allegri, ao passo que o mais recente deles, deu-se com Maurizio Sarri à frente da equipe.

A propósito, não restam dúvidas de que o eneacampeonato da Juventus foi o mais complicado dentre todos, a começar por conta da pandemia do novo coronavírus que assolou o mundo e fez com que a temporada do futebol na Itália ficasse paralisada por quase 100 dias. Além disso, a vinda do treinador Maurizio Sarri para suceder o pentacampeão italiano, Massimiliano Allegri, não foi bem digerida pelos torcedores bianconeros, sobretudo porque a identificação de Sarri era grande com o Napoli em virtude da ótima passagem do técnico napolitano pelo clube do sul, embora o trabalho mais recente do comandante de 61 anos de idade tenha sido no Chelsea.

Vale ressaltar, que a contratação de Maurizio Sarri era um desejo pessoal do presidente Andrea Agnelli, visto que o mandatário da Juventus tinha a intenção de ver a equipe praticando um futebol mais ofensivo e menos pragmático, isto é, totalmente contrário ao estilo de jogo do time que desde 2014 era dirigido por Massimiliano Allegri. Todavia, a troca no comando técnico não surtiu o efeito esperado, já que a forma da Juve atuar não convenceu apesar do eneacampeonato.

Contudo, o título dos bianconeros na temporada 2019/20 começou a ser desenhado entre os meses de dezembro e janeiro, período no qual a Inter de Milão, concorrente direta da Juve na briga pelo scudetto, empatou cinco dos oito compromissos disputados, o que acabou colaborando para que a Juventus abrisse uma boa vantagem na liderança do Calcio. Posteriormente, os tropeços da Lazio já na fase pós pandemia, também contribuíram para a conquista do conjunto de Turim.

No final das contas, a Juventus faturou o scudetto com duas rodadas de antecedência, pois com o triunfo diante da Sampdoria (2 a 0), os bianconeros chegaram aos 83 pontos, abrindo sete pontos de diferença em relação à Inter de Milão, vice-colocada na Serie A. Colecionando o total de 26 vitórias, 5 empates e cinco derrotas em 36 jogos, os pupilos de Maurizio Sarri registram 76,9% de aproveitamento na competição. Ademais, é importante salientar que a Juve é dona da melhor campanha como mandante no torneio. Para se ter uma ideia, os eneacampeões permanecem invictos no Allianz Stadium, somando 16 vitórias e dois empates atuando em seus domínios.

Aqui estamos nós! Campeões da Itália. Feliz pelo meu segundo campeonato consecutivo e por continuar a construir a história deste grande e esplêndido clube. Este título é dedicado aos torcedores, em particular aqueles que sofreram e estão sofrendo com a pandemia. Não foi fácil! Sua coragem, atitude e determinação nos deram a força necessária para enfrentar esta final apertada de campeonato e lutar até o final por este título. Um grande abraço para todos vocês!” disse Cristiano Ronaldo.

Assim, os bianconeros aumentaram ainda mais a sua vantagem na lista de maiores vencedores do Calcio com 36 scudettos, lembrando que a Internazionale aparece em seguida com 19, enquanto o Milan contabiliza o montante de 18 títulos. Por fim, a conquista do eneacampeonato evidencia a gigantesca superioridade do time de Turim sobre os demais adversários no cenário nacional. Muitos acreditam que isso deve-se ao enorme poderio financeiro da Juventus, mas a verdade é que nem os altíssimos investimentos realizados pela Inter nesta temporada foram suficientes para acabar com a soberania da Juve. Portanto, o “deca” parece ser realmente questão de tempo. A ver!

Deixar um comentário

Menu