Ou vai, ou racha!

Sem conquistar o título da Premier League desde a temporada 2012/13, o Manchester United segue a sua incessante luta para retomar o caminho das vitórias sob a batuta de Ole Gunnar Solskjaer. Mas até quando?

Passados sete anos da aposentadoria de Alex Ferguson, e o Manchester United continua vivendo uma fase pra lá de instável, dando inclusive, a nítida impressão de que o lendário treinador deixou o Old Trafford a pouquíssimo tempo. Pois é, a difícil trajetória dos Red Devils no período pós Ferguson já era mesmo esperado, tendo em vista o excessivo número de títulos conquistado pelo time naquela gloriosa época, além da enorme identificação do técnico escocês junto ao clube pelo qual ele trabalhou durante longas 27 primaveras, totalizando 1500 partidas à frente da equipe.

Diante deste cenário, não restavam dúvidas de que o sucessor de Alex Ferguson no comando técnico dos Red Devils teria um enorme desafio pela frente. Dito e feito, após meses de grande pressão, proveniente do acumulo de maus resultados, o compatriota de Ferguson, David Moyes, sucumbiu no cargo sem nem ao menos completar uma temporada no clube. Posteriormente, os experientes Louis van Gaal e José Mourinho também não tiveram sucesso no Manchester United, tanto é, que ambos não chegaram a completar três anos em Old Trafford.

O insucesso dos renomados Louis van Gaal e José Mourinho levaram a diretoria do Manchester United a apostar em Ole Gunnar Solskjaer, novato treinador que vinha de um bom trabalho à frente do Molde-NOR. A idolatria de Solskjaer junto aos torcedores aliada ao fato do ex-atacante ter sido comandado por Alex Ferguson, também abriram as portas para a sua chegada aos Red Devils na metade da temporada 2018/19.

Prestes a completar dois ano no comando do Manchester United, Ole Gunnar Solskjaer segue sem conquistar nenhum título. Entretanto, o fato que mais marca esta passagem de Solskjaer pelo clube mais vezes campeão inglês ao longo da história, é a irregularidade da equipe, que é capaz de perder do Tottenham por 6 a 1 em pleno Old Trafford, e nos jogos seguintes, golear o Newcastle por 4 a 1 e bater o PSG por 2 a 1, atuando fora de seus domínios.

A instabilidade do Manchester United também fica evidente quando analisamos a campanha do time tanto na Champions League quanto na Premier League, já que ao mesmo tempo que os Red Devils lideram o grupo H do torneio continental à frente do atual vice-campeão europeu PSG, eles ocupam apenas a DÉCIMA QUARTA posição na tabela do Campeonato Inglês com míseros 10 pontos em 7 jogos – 47,6% de aproveitamento. E não para por aí, visto que os pupilos de Ole Gunnar Solskjaer não venceram NENHUMA partida no Old Trafford pela liga inglesa até aqui na temporada.

Vale ressaltar, que os Red Devils terminaram a temporada 2019/20 em alta, muito em função das ótimas partidas realizadas pelo meia Bruno Fernandes. Assim, era esperado que eles entrariam na briga direta pelo título da atual edição da Premier League com Liverpool e Manchester City, algo que definitivamente não aconteceu – e não acontecerá. Por este motivo, a pressão sobre o treinador Ole Gunnar Solskjaer não para de aumentar pelos lados do Old Trafford, ainda mais com Mauricio Pochettino dando sopa no mercado.

Desta maneira, os próximos seis jogos do Manchester United serão cruciais para definir o futuro de Ole Gunnar Solskjaer no clube, uma sequência tranquila pela Premier League com confrontos diante de West Bromwich (c), Southampton (f) e West Ham (c), enquanto as outras três partidas pela Champions League decidirão o rumo dos ingleses no torneio. Resumindo, ou Solskjaer engata uma série de resultados positivos neste período, ou então, é bem provável que Mauricio Pochettino ocupe o banco de reservas do Old Trafford antes mesmo do Natal. Aguardemos!

Deixar um comentário

Menu