A sete jogos do título francês

Líder da Ligue 1 com três pontos de vantagem em relação ao PSG, o Lille, de Christophe Galtier, está a sete partidas de quebrar o longo tabu de dez anos sem o título francês, um sonho que está próximo de tornar-se real em virtude do ótimo planejamento do clube da capital das Flandres.

Este ano, o Lille completará dez anos de sua última conquista do título francês, gloriosa época em que um tal Éden Hazard só não fazia chover dentro de campo. Pois é, e passada uma década, o time do norte da França está novamente sonhando em dar a volta pela Ligue 1, e tudo graças ao excelente projeto iniciado pelo português Luís Campos, que nem trabalha mais no clube. Como os Dogues mudaram de dono devido a sua venda em 2020 para um grupo subsidiado pelo fundo inglês Merlyn Partners, o ex-diretor esportivo acabou deixando o cargo.

Todavia, vale ressaltar que o Lille vem apenas colhendo os frutos do excelente trabalho desenvolvido por Luís Campos, um exímio conhecedor do mercado da bola. A propósito, não devemos esquecer que o português foi um dos responsáveis pelo sucesso recente do Monaco, já que além da conquista do título francês na temporada 2016/17, os monegascos também se beneficiaram na parte financeira ao faturarem enormes cifras com as vendas de atletas como Anthony Martial, James Rodríguez, Bernardo Silva, Geoffrey Kondogbia, Tiemoué Bakayoko, e tantos outros trazidos por Campos.

E após a ótima passagem pelo Monaco, Luís Campos desembarcou na capital das Flandres com a missão de reorganizar o Lille tanto financeira quanto esportivamente, algo que ele conseguiu muito em razão do incrível trabalho como scouting. Para se ter uma ideia, no ano seguinte da venda de Nicolas Pépé ao Arsenal por 80 milhões de euros, os Dogues negociaram Victor Osimhen junto ao Napoli por 70 milhões de euros, faturando 150 milhões de euros apenas nestas transferências.

Contudo, para repor a saída de Victor Osimhen ao Napoli, o Lille, que última janela de verão ainda tinha Luís Campos como diretor de futebol, foi ao mercado para contratar Jonathan David, ex-KAA Gent, por 27 milhões de euros, quer dizer, outra aposta certa dos Dogues visto que o jovem atacante canadense é um dos destaques da equipe nesta temporada com 10 tentos marcados e quatro assistências, em 42 jogos disputados no período.

Desta maneira, o dom de Luís Campos em descobrir jovens talentos e contratá-los por preço de banana para revendê-los por altíssimas cifras, novamente vem surtindo o efeito esperado no Lille. Além disso, a capacidade de recuperar jogadores com potencial e que estavam encostados em seus antigos clubes, era outra habilidade do ex-diretor de futebol dos Dogues, basta citarmos o português Renato Sanches, que caiu no ostracismo depois da ótima Euro realizada em 2016, além do goleiro Mike Maignan e do volante Boubakary Soumaré, ambos revelados e esquecidos pelo PSG.

Ademais, é importante destacarmos o excelente trabalho realizado pelo treinador Christophe Galtier, pois sem ele, o sucesso dos Dogues certamente não seria alcançado. Aliás, um dado curioso é que o Lille é somente o segundo clube na carreira do técnico de 54 anos de idade, tendo em vista que o único time comandado por ele antes de sua chegada ao Pierre-Mauroy em 2017, foi o Saint-Étienne, entre 2009 a 2017, ou seja, uma duradoura passagem de OITO temporadas à frente do conjunto verde e branco.

Agora, só nos resta saber se o Lille conseguirá manter essa filosofia após a saída de Luís Campos. Estrutura o clube tem para isso, haja vista o moderníssimo estádio Pierre-Mauroy, construído em 2016 para sediar alguns jogos da Eurocopa, cuja capacidade é superior a 50 mil pessoas. Por fim, é difícil cravarmos que os Dogues vencerão a Ligue 1 nesta temporada, tudo dependerá da trajetória do PSG na Champions League, mas mesmo que o sonho de conquistar título francês não se concretize, é inegável o fato de que os pupilos de Christophe Galtier já superaram totalmente as expectativas.

Deixar um comentário

Menu