O novo PSG, de Christophe Galtier, entrou em ação na temporada 2022/23

Com uma nova formação, e Neymar e Lionel Messi inspirados, o PSG atropelou o Nantes por 4 a 0 e faturou o título da Supercopa da França. Sim, o novo Paris Saint-Germain entrou em ação na temporada 2022/23.

Embora a Supercopa da França, competição que reúne os atuais campeões da liga e da copa francesa, seja considerado um amistoso de luxo, o Paris Saint-Germain deixou uma ótima impressão do que está por vir neste novo ciclo sob o comando de Christophe Galtier, isso porque os parisienses golearam o Nantes por 4 a 0, com dois de Neymar e outros de Lionel Messi e Sergio Ramos, nesta que acabou sendo a estreia oficial do PSG na temporada 2022/23.

Pois é, e o principal ponto que sinaliza essa nova fase do PSG é a inspiração do badalado trio ofensivo da equipe. A começar por Lionel Messi que, certamente, terá um desempenho melhor em seu segundo ano defendendo as cores do clube, a julgar que o astro argentino teve tempo para superar o difícil rompimento junto ao Barcelona, adaptar-se ao futebol e a cultura francesa, além de iniciar uma pré-temporada do zero com os demais companheiros.

Já em relação a Neymar, o interesse se mostra até na aparência, tendo em vista que o camisa 10 se reapresentou totalmente em forma neste meio de ano, lembrando que ele regressou das férias com alguns dias de antecedência para iniciar os trabalhos de pré-temporada. A razão disso tudo? O Mundial do Catar, muito provavelmente, a última Copa do Mundo do craque brasileiro.

E apesar da ausência contra o Nantes, Kylian Mbappé é o outro integrante do trio de ataque parisiense que segue animado com os rumos do PSG. Não à toa, o atacante de 23 anos de idade descartou a ida ao Real Madrid para continuar no Parque dos Príncipes até 2025 e, é claro, por confiar no novo projeto esportivo do clube liderado pelo diretor de futebol recém-contratado, Luís Campos.

Deste modo, fica claro que ofensivamente o técnico Christophe Galtier não tem nada com o que se preocupar. Em contrapartida, o mesmo não podemos dizer em relação a fase defensiva, isto é, quando a equipe atua sem a bola, já que Neymar, Mbappé ou Messi, precisarão recompor a marcação no meio de campo. Aliás, como o trio não esteve em campo no duelo frente o Nantes, o ponta-direita Pablo Sarabia ficou encarregado desta missão.

Na ocasião, o PSG, armado no 3-4-3, jogou no 5-3-2 sem a bola, quer dizer, com oito jogadores recompondo a marcação, o que é o ideal na atualidade. Ainda assim, o time até pode se defender com sete atletas quando enfrentar adversários do nível do Nantes, ou seja, oponentes do futebol francês. Contudo, este cenário muda no caso da Champions League, aonde o sarrafo é maior e os parisienses precisarão de pelo menos oito peças ajudando na defesa.

Logo, o objetivo primordial de Christophe Galtier será convencer o seu trio de ataque a recompor a marcação no meio de campo nos jogos mais complexos da temporada, algo que Mauricio Pochettino não teve êxito. Todavia, se levarmos em consideração que o PSG vive uma nova realidade, inclusive com Sergio Ramos voltando não apenas a jogar como a balançar as redes, a impressão inicial é a de que Messi, Neymar e Mbappé já compraram essa ideia. A ver!

Deixar um comentário

Menu